Aromáticas e Medicinais

3 propriedades medicinais do cebolinho

propriedades medicinais

O cebolinho não é das aromáticas mais populares, por isso as propriedades medicinais que possui podem surpreender. Se pretende lutar contra a inflamação ou mesmo prevenir o aumento do risco de cancro, introduzir cebolinho na sua dieta pode ser benéfico.

Eis três propriedades medicinais do cebolinho suportadas por estudos científicos.

1. Protege contra o cancro da próstata

Num estudo controlado, realizado em Xangai, na China, um grupo de cientistas descobriu que os sujeitos que ingeriam as maiores quantidades diárias (mais de 10 gramas) de vegetais da família Allium, incluindo o cebolinho, tinham 53% menos risco de ter cancro  da próstata do que os homens que consumiam a menor quantidade destes vegetais (menos de 2.2 gramas).

2. É anti-inflamatório e antioxidante

Um estudo publicado na revista científica Journal of Physiology and Pharmacology chegou à conclusão de que o extrato de cebolinho pode ter efeitos anti-inflamatórios em humanos, devido ao facto de reduzir o stress oxidativo. Este termo refere-se aos danos que resultam de um desequilíbrio entre a formação de radicais livres e as defesas antioxidantes. O stress oxidativo é um fator relevante no surgimento de cancro, envelhecimento e doenças neurodegenerativas, cardiovasculares e autoimunes.

Outro estudo investigou as propriedades antioxidantes do bolbo, folhas e talo do cebolinho. O que descobriu foi que os extratos de todos os órgãos da planta – mas especialmente das folhas – exibiam atividade antioxidante.

3. Tem várias vitaminas e nutrientes

A vitamina A, a vitamina K e a vitamina C são os nutrientes com maior presença no cebolinho. A vitamina A é importante para a visão, para o crescimento das células e para o sistema imunitário. A vitamina K é importante para a coagulação sanguínea, que nos protege de sangrar excessivamente. A vitamina C ajuda a produzir colagénio, é antioxidante e auxilia a reparar feridas.

Do que está à espera para introduzir esta planta na sua dieta? Veja aqui como cultivá-lo ou faça já hoje uma receita.

Foto: Kate Ter Haar – Flickr

 

Poderá Também Gostar