Manutenção Geral

Aproveitamento de água em jardins

Em cada jardim é possível a implementação de uma série de medidas que irão torná-lo mais sustentável e poupar água, tempo e dinheiro. Saber utilizar a água disponível é, sem dúvida, uma vantagem que irá fazer toda a diferença para as gerações futuras.

A escolha das plantas

A utilização de plantas nativas da região é uma opção a ter em conta para a poupança de água de rega. Estas plantas estão naturalmente adaptadas ao clima e solo, e irão necessitar de menos água para o seu desenvolvimento.

Portulaca

Algumas espécies de suculentas são ótimas para cobertura de solo, tal como o Lampranthus, Delosperma, Portulaca, Sedum. Permitem criar uma cobertura natural sem despender mais dinheiro.

Existem também outras espécies de plantas que se adequam para uma cobertura de solo e com baixo requisito de água:

  • Rosmarinus officinalis prostratus (alecrim)
  • Cotoneaster horizontalis
  • Festuca
  • Lonicera nítida (madressilva)
  • Convolvulus cneorum
  • Geranium
  • Carex

Alecrim

Solo

Adicionar matéria orgânica no solo sob a forma de composto ou estrume é uma forma eficaz de aumentar a retenção de água, melhorar a saúde das plantas e a estrutura do solo.

Alguns substratos contêm na sua composição constituintes que promovem a retenção de água e assim aumentam o aproveitamento da água pelas raízes das plantas. Um bom substrato deve também promover um bom arejamento do solo, uma das características essenciais para o desenvolvimento das plantas.

Embora a remoção de infestantes não seja uma tarefa agradável ou aliciante, se o fizer com regularidade irá reduzir a necessidade de rega porque a competição pela água diminui.

Inertes e coberturas de solo

O solo descoberto é mais propenso ao aparecimento de infestantes e retém menos água.

Opte pela utilização de coberturas de solo numa camada de 5 a 10 cm, tais como a casca de pinheiro, o seixo, a gravilha, aparas de madeira, argila expandida, folhas secas, entre outras. Aplique primeiro uma manta geotêxtil de boa qualidade.

Aparas de lápis

Não são investimentos muito grandes e como resultado irá reduzir as perdas de água do solo por evaporação, o aparecimento de infestantes, o consumo de água, a erosão do solo pelo vento e chuva e a manutenção do jardim.

Algumas coberturas de solo como a casca de pinheiro ou aparas de madeira devem ser periodicamente renovadas para garantir melhores resultados e porque se vão degradando e decompondo naturalmente.

Plantação

A plantação de novas espécies é mais favorável na primavera e no outono, aproveitando, por um lado a época de maior crescimento e, por outro, a proximidade do inverno e das chuvas para o estabelecimento das plantas no solo antes da chegada do tempo quente. Irá assim aumentar a probabilidade da planta se estabelecer no solo e de necessitar de menos água no primeiro verão.

Rega

A instalação de um sistema de rega irá poupar tempo e recursos financeiros, visto ser possível otimizar os tempos de rega e o débito de água. Não regue nas horas de calor porque terá mais perdas de água por evaporação e para as plantas não será muito benéfico.

Se regar à mão, regue o mais próximo possível do chão para não compactar tanto a terra. Regue no solo e não nas folhas, porque o excesso de humidade nestas propicia o aparecimento de doenças.

Experimente pôr em prática estes conselhos e aproveite melhor a água disponível, reduzindo a sua fatura, tempo e recursos naturais.

Fotos: Thinkstock e Pixabay

Gostou deste artigo? Subscreva o canal da Jardins no Youtube e siga-nos no Facebook e no Instagram.

Poderá Também Gostar