Plantas

A beleza das Pascoinhas

Esta plantas, assim conhecidas por estarem em floração na Páscoa, são uma das espécies do género Coronilla, da família das leguminosas, comum na região mediterrânica e que, no nosso País, ocorre sobretudo na região Centro e Sul, nomeadamente nos solos calcários da Estremadura, Arrábida e Algarve. Este arbusto apresenta uma floração amarela exuberante  e aroma delicioso no inverno e primavera.

Características  das pascoinhas

A espécie mais frequente no nosso País que, a partir de meados de fevereiro, é responsável por salpicar muitas colinas de um brilhante tom de amarelo é a Coronilla glauca, um arbusto que não cresce muito mais do que um metro de altura e que tem, na nossa perspetiva, pelo menos três grandes qualidades:

1) Possui um período de floração intensa alargado que se prolonga de fevereiro a meados de maio;

2) As suas folhas de cor verde-cinza podem ganhar destaque junto de arbustos de outras tonalidades;

3) Estão perfeitamente adaptadas ao nosso clima, suportando os longos períodos de secura do verão, não exigindo regas frequentes.

A estes três aspetos, juntam-se mais dois que fazem das Pascoinhas uma espécie incontornável em jardins que se queiram ecologicamente mais ricos. As suas flores, em forma de coroa – daí o nome de “coronilha”, são perfumadas e o seu néctar, um festim para os insetos polinizadores!

Utilização das pascoinhas nos jardins

Seja em bordaduras, sebes ou num canto do jardim, as pascoinhas são uma aposta segura que, apesar de preferir solos mais básicos, se adapta a outros tipos de solos desde que não sejam excessivamente ácidos! A sua germinação através de semente não oferece dificuldades, sendo apenas aconselhável, deixar  as sementes num copo de água tépida cerca de 16 horas antes de as semear.

Fotos: Thinkstock

Gostou deste artigo? Siga-nos no Facebook, no Instagram e no Pinterest e subscreva o nosso canal no Youtube

Poderá Também Gostar