Inspirações

Uma planta, uma história: castanheiro da austrália

A convite da Associação Ecológica “Amigos dos Açores”, orientei uma visita de estudo no Jardim António Borges, conhecido no século XIX como Jardim da Lombinha e, desde a década de sessenta do século XX, o maior e o mais rico jardim municipal de Ponta Delgada. Foi com enorme surpresa, quando nesta visita, recebi das mãos do pequeno Marco Alexandre uma vagem com quatro sementes parecidas com castanhas, descoberta por baixo duma árvore que tentara identificar sem sucesso. Na posse daquele precioso achado, consegui rapidamente a resposta para a dúvida que me atormentava: Castanheiro da Austrália.

Posteriormente, encontrei árvores da mesma espécie no Jardim Botânico José do Canto e no Jardim da Universidade dos Açores. Esta espécie é a única do género Castanospermum, designação que deriva das suas sementes serem muito semelhantes às castanhas. No entanto, esta árvore indígena das florestas húmidas do NE da Austrália e da Nova Caledónia, conhecida por “Moreton Bay Chestnut’, não é da família das Fagáceas, que integra os castanheiros. Pertence à grande família das Fabáceas, tal como as acácias, as faveiras, as ervilheiras ou os tremoceiros.

Dimensão

Na natureza atinge 40 metros de altura, mas os exemplares dos jardins de São Miguel não chegam aos 10 metros. As inflorescências brotam diretamente dos ramos no fim da primavera e no verão.

As flores

As flores têm cálices alaranjados e as corolas evoluem do amarelo até ao vermelho. Segue-se o desenvolvimento das vagens, que ficam maduras e libertam uma a quatro sementes no outono. Estas castanhas são venenosas, mas os aborígenes australianos consomemnas depois de assadas durante muito tempo.

As sementes

As sementes, enterradas parcialmente num substrato formado por 50% de areia de origem vulcânica e 50% de composto orgânico, germinam muito bem ao fim de 3 meses, desde que a temperatura atmosférica não seja inferior a 18ºC.

B.I.

Nome científico: Castanospermum australe

Nome vulgar: Castanheiro da Austrália

Família: Fabaceae (Leguminosae)

Porte: Árvore

Origem: Austrália; Nova Caledónia

Moradas: Jardim António Borges, Jardim Botânico José do Canto, Jardim da Universidade dos Açores – Ponta Delgada

Fotos: Raimundo Quintal

Gostou deste artigo? Subscreva o canal da Jardins no Youtube e siga-nos no Facebook e no Instagram

Poderá Também Gostar