Passo a Passo

Colha a sua farmácia de outono

farmácia de outono

Bagas de sabugueiro.

 

Outono é tempo de colhermos aquilo que semeamos. É tempo de guardar, de secar, de conservar, de confecionar xaropes, geleias, marmeladas, etc. O inverno é tempo de escassez e repouso da mãe Natureza que adormece para ganhar forças e logo que o tempo aqueça, acordar renovada e pronta para mais uma primavera. São assim os ciclos da Natureza nesta parte do mundo. Faz bem ao corpo e à alma vivermos em comunhão com esses ritmos, estarmos atentos e gratos a quem tão generosamente nos alimenta e nos acolhe.

Bagas e frutos para uma farmácia de outono.

 

Sementes, bagas e pequenos frutos

Nesta estação do ano no meu jardim é a grande festa das sementes, das bagas, dos pequenos frutos mas também dos figos, dos marmelos, das maçãs reinetas. Como o meu quintal extrapola muitas vezes as fronteiras dos muros que o limitam, estende-se esta vontade de comunhão pelos campos vizinhos. No espaço limitado do quintal colho o que sobra das bagas de sabugueiro e com elas confeciono um xarope muito rico em vitaminas A e C, com propriedades ligeiramente laxantes, anti-reumatismo e  antioxidantes que guardo para tomar durante o inverno.

Sementes de funcho.

 

Sementes de funcho

Ainda dentro da minha farmácia de quintal recolho muitas sementes de funcho de sabor doce e agradável, adiciono-as a vários pratos de peixe ou de carne, sopas, saladas e sobretudo leguminosas. Depois de secas guardo-as em frascos e utilizo-as em infusões e decocções para tratar flatulência, cólicas intestinais e outros problemas digestivos e também pela sua ação expetorante. As sementes de funcho mas também as folhas são utilizadas pela indústria farmacêutica para a confeção de rebuçados e xaropes para tratar a tosse.

Sementes de girassol e de abóbora.

 

Sementes de girassol e de abóbora

Faço ainda a recolha das sementes de girassol e de abóbora. Com muita paciência vou descascando as sementes de girassol já secas e observando a estrutura em forma de espiral fazendo lembrar os hexágonos das colmeias e deslumbrando-me sempre com a perfeição das formas da Natureza. Os incas adoradores de sol veneravam também o girassol. Os astecas coroavam as suas sacerdotisas com estas flores e utilizavam-nas nos seus rituais.  As sementes, muito nutritivas, são uma excelente fonte de proteínas, fósforo, potássio, cálcio, vitaminas do grupo B, D e A.

Podemos consumi-las em sopas, saladas, na confeção de bolos, pão, panquecas, etc. As sementes de abóbora que também integram a minha farmácia de outono são ricas em vitaminas e sais minerais sobretudo zinco. São, por isso, recomendadas para fortalecer os tecidos da próstata e melhorar a sua função.

Os homens a partir dos 40 anos deveriam ingerir diariamente uma mão cheia de pevides de abóbora para beneficiar as funções prostáticas.

Frutos da roseira-brava.

 

Frutos da roseira-brava

Extrapolando agora os muros do jardim vou ao encontro dos indispensáveis cinórrodos ou frutos da roseira-brava ou Rosa canina, a melhor e mais generosa fonte de vitamina C disponível na Natureza.

A maior concentração desta vitamina encontra-se na parte interna e externa da casca dos frutos, as sementes estão cobertas de uma penugem que pode irritar a garganta e por isso se aconselha filtrá-la ao confecionarmos o xarope. Estas sementes são muito procuradas pela indústria da cosmética para serem prensadas a frio e extrair o óleo de rosehip , não de rosa mosqueta já que esse provém de uma outra rosa. Os óleos destas sementes são excelentes antirrugas, muito recomendados sobretudo em casos de estrias e cicatrizes de operações.

Xarope de roseira-brava.

 

Receita de xarope de frutos de roseira-brava

1. Coloque num tacho 2 chávenas de cinórrodos e a mesma quantidade de água, leve a cozer em lume brando durante 15 a 20 minutos.

2. Retire do lume, coe por um passador muito fino e/ou uma gaze, separe e guarde as sementes.

3. Meça o líquido, junte metade dessa quantidade de açúcar amarelo biológico e volte a levar ao lume até o açúcar derreter, deixe arrefecer e guarde em frascos esterilizados.

Poderá efetuar esta mesma receita com as bagas de sabugueiro e/ou de pilriteiro (Crataegus monogyna).

Leite de pevides de abóbora.

 

Receita de “leite” de pevides de abóbora

1. Retire as sementes frescas da abóbora e triture-as com casca juntando cerca de 1 litro de água para uma mão cheia de pevides no copo da liquidificadora.

2. Coe, utilize a polpa no composto e ao líquido meio viscoso que foi coado junte um pau de canela, um pouco de cardamomo (opcional) e uma casca de laranja ou limão.

3. Leve a aquecer sem deixar ferver durante cerca de 10 minutos. Obterá uma bebida saborosa e nutritiva para acompanhar a sua refeição.

Fotos: Fernanda Botelho, Thinkstock

Gostou deste artigo? Siga a Jardins no Facebook e no Instagram.

Poderá Também Gostar