Cultivar

Conheça o solo do seu jardim

Arenoso ou Argiloso? Calcário ou ácido? Conhecer as características do solo do seu terreno ou jardim é fundamental para saber o que pode plantar.

solo

Solo argiloso com narcisos

 

1. Argiloso – Encharca facilmente

Como é: Possui textura pesada, suave e pegajosa. Pode ser moldado quando está húmido embora seja muito duro e seco.

Vantagens: Oferece alta retenção de fertilidade. Se pretende variar a estrutura e a textura, junte matéria orgânica e assim converte o solo numa base perfeita para plantas adequadas, como rudbequias, anémonas, ásteres, narcisos, parra virgem, entre outras.

Inconvenientes: Quase todos têm má drenagem e encharcam facilmente. Se regar em excesso ou se chove abundantemente, a água permanece muito tempo no terreno, com perigo para as raízes, que acabam por apodrecer. Trata-se de uma terra muito difícil de trabalhar porque molhada converte-se em massa pegajosa e uma vez seca ganha gretas e endurece rapidamente.

Cuidados do jardim: Se deseja melhorar o terreno, assegure uma permeabilidade adequada: instale tubos de drenagem. Para não acumular água, crie zonas desniveladas. Areje bem o terreno. Escolha espécies resistentes à elevada humidade do terreno e sobretudo junte areia na proporção média de 2-3 m3/100 m2 de superfície.

Solo arenoso com flores selvagens

 

2. Arenoso – Regar bastante

Como é: Tem textura seca e está formado por partículas grandes. É um terreno ligeiro e solto.

Vantagens: Drena rapidamente e as raízes têm bom arejamento graças à porosidade do terreno. Ideal para plantas que requerem boa drenagem. Adequado para relvado, cactos e muitas espécies mediterrânicas.

Inconvenientes: Seca rapidamente, pelo que deve regar bastante. Os nutrientes perdem-se à mesma velocidade devido à chuva e à rega. Por isso, adube com maior frequência relativamente a outro tipo de solo. As plantas requerem mais atenção.

Cuidados do jardim: Use fertilizantes de libertação lenta para que se dissolvam pouco a pouco. Convém adubar em pequenas quantidades e não frequentemente. Pode melhorar o terreno juntando 100 kg por cada 100 m2 de turfa e inclusive um pouco de terra de natureza argilosa.

Solo calcário com lavandas

 

 3. Cálcário – Contém muitos nutrientes

Como é: Tem uma tonalidade clara e é um terreno pouco profundo e pedregoso.

Vantagens: É rico em nutrientes e muitas plantas acomodam-se bem: aromáticas (lavanda e santolina), malva comum, salva, crisântemo, loureiro, adelfa e groselheiro, entre muitas outras árvores e arbustos. Também as sebes de piracanta, viburno, madressilva ou tuias, um pouco menos resistentes, inclusive os bolbos, crocus, túlipas, narcisos e jacintos.

Inconvenientes: É um solo rico mas pouco assimilável. Molha-se com facilidade, converterndo-se numa verdadeira pasta, difícil de transpor para as raízes. Não admite o cultivo de espécies muito sensíveis.

Cuidados do jardim: Para plantar, deve corrigir o excesso de calcário, juntando matéria orgânica, turfa ou estrume. Outra opção é juntar areia de rio.

Solo ácido com hortênsias

 

4. Ácido – Excelente permeabilidade

Como é: De textura agradável ao tacto, é composto por pequenas e finas partículas de matéria orgânica de procedência distinta, inclusive fóssil.

Vantagens: Excelente permeabilidade. Não é propenso a encharcamentos. São poucas as plantas que preferem este tipo de solo: camélia, hortênsia, rododendro, azálea e magnólia. Pode encontrar-se em rocalhas, maciços e requerem ambiente húmido durante o Verão. Outras espécies apropriadas são castanheiro, begónia, gardénia, cotoneáster e azevinho.

Inconvenientes: Não reúne alguns nutrientes essenciais, como o cálcio, o magnésio e o fósforo. Pelo contrário, abunda o ferro. Se tem um pH superior a 5,5, é propenso a encharcar e drena mal. Além disso, requer nutrientes ácidos de vez em quando e regue com água mole.

Cuidados do jardim: É fácil melhorar este tipo de solo, juntando terra vegetal. Também pode reduzir a acidez misturando matéria orgânica, mais recomendável que a turfa porque contém mais substâncias nutritivas. Outro material que oferece bons resultados é o estrume bem decomposto. Para as plantas grandes, aplique neutralizador de cal em pó, diluído no regador. Se as plantas são pequenas, espalhe neutralizador de cal seco nas raízes e regue em abundância. Se a água da torneira é muito calcária, regue com água da chuva recolhida em barril.

Fotos: Pixabay e Flickr

Gostou deste artigo? Siga-nos no Facebook, no Instagram e no Pinterest e subscreva o nosso canal no Youtube.

 

Poderá Também Gostar