Plantas Ornamentais

Cuidados com Cymbidium no outono e no inverno

Cymbidium

Cymbidium híbrido.

Assim que se começa a notar que os dias estão mais pequenos, as noites mais frias, quando caiem as primeiras chuvas, ainda no verão, os Cymbidium começam lentamente a “acordar” e “pensar em florir”. Quando chega o outono, já temos hastes florais desenvolvidas e se o verão não foi muito quente, começam logo a abrir as primeiras flores.

Nos Cymbidium, as mais famosas e cultivadas orquídeas em Portugal, as hastes aparecem na base dos pseudobolbos. Estes órgãos ovais que crescem ao longo de um rizoma não são mais do que caules que evoluíram para servir de armazenamento de água e alimento para a planta. Por serem muito importantes para a sua sobrevivência, mesmo que estejam sem folhas e com a aparência de estarem secos, nunca devem ser retirados a não ser que fiquem moles. Um outro erro muito comum é quando estamos a dividir um Cymbidium , nunca devemos fazê-lo em grupos de menos de três pseudobolbos. Juntos, terão mais hipóteses de se tornarem numa planta saudável e capaz de produzir boas florações.

Cymbidium híbrido.

O frio não as assusta e precisam mesmo de uma queda das temperaturas para iniciarem a floração. São orquídeas de exterior, que precisam de arejamento e variações de temperatura. No seu habitat natural, nas florestas montanhosas da Ásia, crescem em troncos de árvores, em maciços rochosos ou no solo florestal com boa drenagem. Em casa, preferem vasos não muito grandes, com mais altura do que largura e com uma mistura de fibra de coco, leca e casca de pinheiro em partes iguais.

Para que as florações durem meses e as plantas fiquem bonitas e saudáveis, proteja o seu Cymbidium das geadas fortes e do excesso de chuva. Um alpendre ou mesmo debaixo de uma rede de sombra esticada é o ideal. Quando em flor, leve os vasos para o interior para embelezar a sua casa. Mas, depois da floração, corte as hastes na totalidade e volte a colocar as plantas no exterior. E assim, com poucos cuidados, conseguimos que os nossos jardins fiquem cheios de cor no inverno, contrastando com os dias mais cinzentos. As florações acontecem entre outubro e abril.

Cuidados principais

  • Luz filtrada podendo receber algum sol direto nas horas menos quentes do dia.
  • As temperaturas ideais são entre os 10 e os 30. Mas sobrevivem tanto a temperaturas mais baixas como mais altas desde que tomadas algumas precauções.
  • Regas semanais abundantes deixando a planta secar entre duas regas.
  • Uso de fertilizante durante todo o ano em regas alternadas ou em granulado de libertação lenta próprio para orquídeas.
  • Devemos molhar as folhas quando regamos de manhã e colocar as plantas em locais arejados.
  • Os principais problemas são as pestes comuns também a outras orquídeas: cochonilha, caracóis e lesmas.

Fotos: José Santos

Gostou deste artigo? Siga-nos no Facebook e no Instagram.

Poderá Também Gostar