Aromáticas e Medicinais

Cultive uma farmácia de verão no seu jardim

Apesar de dedicar ao meu jardim menos tempo do que aquele de que gostaria, ele é sempre generoso e de vez em quando revela-me que afinal aquela planta de goji que transplantei já lá vão duas ou três primaveras, afinal não morreu. Enroscou-se e escondeu-se no canteiro da erva-príncipe, entre milefólios e cana-de-açúcar. Aqui cresce um pouco de tudo durante o ano inteiro numa espécie de cumplicidade muito orgânica e espontânea. No entanto, não dispenso algumas plantas e árvores específicas para cada uma das estações.

Aloé para as queimaduras

Como estamos no verão e as primeiras idas à praia, por mais cuidados que tenha deixam sempre algumas mazelas. É bom chegar do mar, tomar um duche frio de mangueira, no quintal, aproveitando assim a água para regar as plantas, e de seguida ir à cozinha buscar uma faca e cortar, rente ao caule uma das folhas mais carnudas da base do meu Aloe vera (Aloe barbadensis), por vezes também utilizo o A. Arborescens.

Propriedades do aloé

Ambos são muito eficazes no tratamento de todo o tipo de queimaduras incluindo as solares. A pele absorve aquela baba fresquinha (daí o nome brasileiro de babosa), arrefece, hidrata-se e regenera-se sem deixar marcas. Sem dúvida uma das melhores plantas para ter sempre à mão numa horta, quintal ou varanda. Para além das suas propriedades emolientes, é também um excelente cicatrizante e hemostático. Trata ainda queimaduras de radiação devido à sua ação refrescante, anti-inflamatória e regeneradora do tecido celular, restituindo rapidamente os líquidos nas camadas dérmicas, aliviando a dor e nutrindo a pele devido à sua riqueza em aminoácidos e vitaminas.

Utiliza-se ainda em picadas de insetos e feridas várias. De um modo geral alivia quase todos os problemas de pele que requeiram um remédio calmante e adstringente, como por exemplo em casos de varizes. É um excelente regenerador celular acelerando o crescimento de novas células e eliminando as velhas, por isso tem sido utilizado com sucesso na cura de vários cancros de pele e outros. A sua polpa pode também ser usada internamente, adicionada a batidos ou sumos.

Árvores de interesse medicinal

Apesar dos meus 400m2 de jardim tenho várias árvores de interesse medicinal: sabugueiros, tília, aveleira, hamamelia, marmeleiro, ginjeira, romãzeira, ameixeira e as madeirenses araçazeiro e pitanga. Escusado será dizer que o meu jardim/farmácia de verão é um jardim de sombra onde as aromáticas como as alfazemas, tomilhos ou sálvias tentam fugir para os vasos mais expostos ao sol.

Sabugueiro e suas aplicações terapêuticas

No verão tenho os sabugueiros em flor, que vou utilizando em deliciosos refrescos, águas florais, sobremesas, etc. Para além dos usos culinários tem muitas aplicações terapêuticas; é anti-inflamatório e diaforético (que baixa a febre). Usa-se em infusão para tratar gripes, constipações, rinites, febre-dosfenos e vários tipos de alergias.

Receita de refresco de sabugueiro: Junte numa tigela 10 inflorescências de sabugueiro, 1 limão com casca, cortado em pequenos pedaços, 2 litros de água fria e 100 gramas de açúcar mascavado, biológico. Deixe a macerar durante aproximadamente 12 horas, coe, conserve em garrafas de vidro e guarde no frigorífico ou congelador, sirva fresco e diluído com água.

Malva-rosa, excelente repelente para mosquitos

Outra planta que não dispenso é a malva-rosa (Pelargonium graveolens). Para além de fazer umas sebes perfumadas, é um excelente repelente de mosquitos, cultivo várias espécies e utilizo as folhas e as flores.

Receita de óleo para pele anti-mosquitos: Encher um frasco de folhas e flores frescas de pelargónio e alfazema (opcional), deixar a macerar ao sol em óleo de girassol biológico ou azeite, colocar tampa e mexer de 3 em 3 dias. Coar ao fim de um mês, juntar 20 a 30 gotas de óleo essencial de alfazema, rotular colocando nome e data. Aplicar na pele depois do banho. Hidrata a pele e afasta mosquitos.

Água floral: Colocar na mesa uma jarra de água com umas folhas e flores de malva-rosa ou de sabugueiro confere-lhe um sabor fresco e perfumado muito agradável nos dias quentes de verão.

Hipericão: um analgésico, cicatrizante e calmante natural

O hipericão (Hypericum perforatum) é outra das plantas espontâneas muito bem vindas no meu jardim. Todos os anos, um pouco antes do São João (aliás o seu nome comum é erva-de-São-João) colho as delicadas flores amarelas e confeciono o óleo de hipericão (ver receita). Este óleo fica vermelho devido a um dos seus compostos, a hipericina.

Propriedades do hipericão

Utiliza-se como analgésico em casos de lombalgias e outras dores musculares, é também utilizado como cicatrizante e em queimaduras. Não é recomendável expor-se ao sol se tiver ingerido esta planta em infusão, já que ela é fotossensível e poderá causar manchas vermelhas na pele. É considerado o Xanax do mundo vegetal por ser um excelente ansiolítico e antidepressivo. Muito polémica é a sua utilização em conjunto com alguns fármacos de síntese sendo mesmo contraindicado se estiver a tomar a pílula anticoncetiva.

As calêndulas ou maravilhas, excelente anti-inflamatório

Indispensáveis em qualquer jardim/botica são as maravilhas (Calêndula officinalis), de fácil cultivo, e desde que se vão cortando as cabeças secas com sementes, mantêm-se em flor durante muito tempo. Podem ser amarelas ou cor-de-laranja. Estas últimas contêm mais betacarotenos e são anti-inflamatórias e adstringentes, antivirais e antifúngicas. Assim, podem ser utilizadas em casos de eczema, candidíase, pé-de-atleta ou outras infeções fungícas. Usa-se internamente em forma de infusão ou externamente em lavagens.

As mentas ou hortelã e as suas propriedades digestivas

As hortelãs ou mentas são muito refrescantes e portanto excelentes ervas aromáticas de verão. Ajudam a baixar a temperatura do corpo, são digestivas e desparasitantes. Podem usar-se numa infinidade de receitas, desde sangrias, molhos, saladas de frutas, musses e pudins.

Erva-cidreira e as suas múltiplas utilizações

A erva-cidreira ou melissa é também uma das minhas grandes favoritas. Cresce praticamente espontânea nos cantos mais sombrios do jardim, entre violetas e pervincas. Adoro a sua ação calmante do sistema nervoso, excelente no tratamento de herpes labiais. De sabor cítrico agradável, uso-a em infusões quentes ou frias, nos batidos, em sobremesas e até picada em omeletes.

A minha eleição de sete plantas importantes num jardim-farmácia de verão seria: aloé-vera, sabugueiro, hipericão, calêndulas, malva-rosa, mentas e erva-cidreira. Reserve um cantinho no seu canteiro e faça uma escolha sazonal de plantas úteis à sua saúde.

Fotos: Thinkstock

Siga-nos no Facebook e no Instagram.

Poderá Também Gostar