Aromáticas e Medicinais

Cultura biológica do tomilho

O tomilho é uma erva aromática que requere diversos cuidados. Fique a conhecer tudo sobre esta planta: desde a sua história, condições e técnicas de cultivo mais apropriadas ao seu desenvolvimento até às suas utilizações.

Nomes comuns: Tomilho, Tomilho de inverno, Tomilho comum e Timo.

Nome científico: Thymus vulgaris L, provém do grego “Thymos”, perfumar e “vulgaris”, significa que tem uma presença frequente.

Origem: Europa mediterrânica até ao sul da Itália.

Família: Labiadas.

Características: Planta aromática vivaz, sempre verde, lenhosa de 10-50 cm de altura, com numerosos ramos lenhosos, eretos, compactos. Folhas simples, muito pequenas, ovais-lanceoladas e muito odoríferas. As flores são numerosas e podem ser brancas ou lilás-rosadas, púrpuras ou rosadas-esbranquiçadas.

Fecundação/floração: As flores aparecem de março-maio.

Factos históricos: Outra opinião diz-nos que em grego a palavra “thymos”, significa coragem. Esta espécie era considerada sagrada e diziam que o seu perfume era “a respiração de Zeus”. Para os médicos da escola de salerno, respirar o seu perfume diretamente da planta era o melhor remédio conta a depressão. A planta tem uma reputação medicinal que desde o século XV até ao XVII, era usada para combater pragas na Europa até À I Guerra Mundial (o óleo essencial era um anticético utilizado nas batalhas). Espanha é a principal fornecedora de folhas de tomilho e de óleo essencial, juntamente com a França.

Ciclo biológico: Perene (renovar ao 4º ano).

Variedades mais cultivadas: Existem muitas variedades de tomilho, mas a “Comum” e a de “inverno” ou “Alemã” são as mais utilizadas.

Parte utilizada: Folhas e flores.

Condições ambientais

Solo: Gosta de solos calcários, arenosos, ligeiros, porosos, drenados, secos e com pequenas pedras. O pH deve ser entre 6-7.

Zona climática: Temperada quente, temperado, subtropical.

Temperaturas: Ótimas: 15-20ºC Min: -15ºC Max: 50ºC Paragem do Desenvolvimento: -20ºC.

Exposição solar: Pleno sol ou semissombra.

Humidade relativa: Dever ser baixa ou média.

Precipitação: Não deve ser muito elevada durante o inverno/primavera.

Altitude: De 0-1.800 m.

Fertilização

Adubação: Estrume de ovelha, vaca, bem decompostos e regar com chorume de vaca. Mas esta cultura não é muito exigente.

Adubo verde: Colza, favarola, luzerna e mostarda.

Exigências nutritivas: 2:1:3 (de azoto de fósforo: de potássio).

Técnicas de cultivo

Preparação do solo: Efetuam-se gradagens para esmiuçar o solo.

Data de plantação/sementeira: Início da primavera.

Multiplicação: Por sementeira (demora 15-20 dias a germinar), divisão de pés ou por estacas (outono ou principio de primavera).

Faculdade germinativa (anos): 3 anos

Profundidade: 0,1-0,2 cm.

Compasso: 25-35 X 50-80 cm.

Transplantação: Outono-inverno-primavera.

Consociações: Beringela, batatas, tomates e couves.

Amanhos: Sachas; mondas; proteção com palhas das geadas e frios Invernais; poda na primavera.

Regas: Gota-a-gota, só em períodos de grande seca.

Entomologia e patologia vegetal

Pragas: Nemátodos e aranhiço vermelho.

Doenças: Não são muito afetadas, apenas alguns fungos.

Acidentes: Não suporta encharcamento e humidade excessiva.

Colheita e utilização

Quando colher: Para obtenção óleos a época de colheita vai de abril-maio. Só se deve colher a partir do segundo ano, no início da floração, em dias secos. Podem ser feitos dois cortes por ano (o segundo costuma ser feito no fim de agosto – início de setembro).

Produção: 1000-6000 Kg/ha de planta fresca. Por 100Kg de tomilho fresco, obtêm-se 600-1000 g de essência.

Condições de armazenamento: Deve ser seca num secador à sombra.

Valor nutricional: As flores contêm flavonoides, mucilagens, compostos fenólicos (80%), cafeico, saponinas, taninos, Vitamina B1 e C e alguns elementos minerais. O óleo essencial contem carvacrol e timol.

Época de consumo: Junho-outubro.

Usos: Servem para temperar vários pratos como pizas, molhos de tomate, bolonhesa, entre outros. A nível medicinal são estimulantes, balsâmicas, antisséticas (antibacteriana e antifúngicas), cicatrizantes, antioxidantes (retarda o envelhecimento) e infeções nas vias respiratórias superiores (bronquite, tosse, catarro) e é eficaz no tratamento de ulceras no estômago. Também é usado externamente como desinfetante, cicatrizante, banhos tonificantes, pomadas e loções, usadas em dermatologia e cosmética. O óleo essencial também é usado em perfumaria, saboneteira e cosmética.

Fotos: Pixabay

Gostou deste artigo? Subscreva o canal da Jardins no Youtube e siga-nos no Facebook e no Instagram.

Poderá Também Gostar