Hortícolas e Frutícolas

Cultura do feijão

Variedades de feijão

O feijão (Phaseolus spp.) pertence à família botânica das Fabáceas, onde se incluem também a ervilha, a fava, o grão-de-bico, a lentilha, a soja, etc. É uma das culturas com maior diversidade, existindo 56 espécies agrupadas no género Phaseolus, sendo cultivadas quatro espécies: Phaseolus vulgaris (feijão-comum), P. acutifolius (feijão tepari), P. coccineus (feijoca) e P. lunatus (feijão-de-lima). Próximo do género Phaseolus encontra-se o género Vigna, que inclui espécies como o feijão-frade (Vigna unguiculata), feijão-azuqui (Vigna angularis), feijão-da-índia (Vigna mungo) e feijão-da-china (Vigna radiata).

Com base no hábito de crescimento, o feijão-comum classifica-se em: feijão rasteiro (inclui cultivares de crescimento determinado e indeterminado) e feijão de trepar (cultivares de crescimento indeterminado). Nas cultivares de feijão rasteiro de crescimento determinado, o crescimento vegetativo para pouco depois do aparecimento das flores.

Além de fornecer proteínas, o feijão seco é rico em potássio, magnésio, ferro e fibra. É enérgico, reconstituinte, reparador do sistema nervoso, diurético e ajuda a combater o colesterol.

É uma cultura melhoradora, útil em rotação, pelo facto de fixar azoto no solo através de nódulos nas raízes formadas pela simbiose com a bactéria rizóbio.

Condições ótimas de cultivo

É uma cultura sensível à geada, que precisa de uma temperatura do solo acima de 14 ºC para germinar, e de algum calor após a floração (entre 20 º C e 30 ºC, já que temperaturas acima deste valor podem causar a queda das flores). Prefere solos de textura ligeira a mediana e bem drenados, com pH 6-6,5, sendo sensível à seca e ao encharcamento.

Sementeira e plantação

O feijão semeia-se na primavera ou primavera/ verão (feijão-verde), a 3 cm de profundidade. Semeia-se em linha a um compasso de 5 x 70 cm ou em covachos (4 feijões/covacho) distanciados de 35 x 70 cm (feijão de trepar). O solo deve ser bem humedecido antes da sementeira. Se o tempo estiver frio e húmido, demolhar as sementes 24 horas antes de as semear.

Rotações e consociações favoráveis

Devem adotar-se rotações com um período de recorrência mínimo de dois anos. O feijão funciona como cultura intercalar, melhoradora, na rotação. Constitui um bom precedente cultural para as Solanáceas (batata, tomate, pimento, beringela), Apiáceas (cenoura, salsa, aipo, funcho), Aliáceas (alho, alho-francês, cebola) e Cucurbitáceas (abóbora, melão, melancia, pepino).

Precedentes culturais favoráveis: alho, alho-francês, cebola.

Precedentes culturais a evitar: ervilha, fava, feijão.

Consociações favoráveis: milho, milho abóbora, alface, espinafre, beringela, pepino, morango, batata, rabanete, tomate. Feijão-anão: beringela, cenoura, aipo, couve, pepino, alface, melão, nabo, alho-francês, ervilha, batata, tomate.

Consociações desfavoráveis: alho, beterraba, couve-nabo, agrião, funcho, cebola.

Cuidados culturais

  • Sachar após a emergência. Fazer a amontoa até às duas primeiras folhas verdadeiras logo que estas estejam bem desenvolvidas. No caso de variedades trepadeiras, colocar tutores com 2-3 m de comprimento, enterrando-os e unindo-os entre si com uma corda resistente. Em consociação, o feijão deve semear-se quando o milho atinge os 15 cm de altura, para que este possa ser utilizado como tutor.

Colheita e conservação

  • Feijão-verde: colhem-se as vagens à medida das necessidades, ao longo de todo o período produtivo.
  • Feijão fresco: colhe-se quando os feijões atingem o desenvolvimento máximo e as vagens se abrem com facilidade. Não necessita de ser demolhado para cozinhar.
  • Feijão seco: colhem-se as vagens secas, em tempo seco, durante o verão ou início do outono. Para melhor digestibilidade, colocar o feijão de molho o tempo suficiente para germinar um pouco, mudar a água a meio da cozedura, ou cozer com louro ou alga kombu.
Sabia que…?

Deve regar-se sempre que o solo se apresente seco. É exigente em água, e é especialmente importante regar com regularidade a partir da floração.

B.I.

Nome cientifico: Phaseolus spp.

Altura: 0,3- 1 metro.

Época de sementeira: Semeia-se na primavera ou primavera/verão (feijão-verde), a 3 cm de profundidade.

Solo e fertilização: Prefere solos de textura ligeira a mediana e bem drenados, com pH 6-6,5, sendo sensível à seca e ao encharcamento.

Local de cultivo aconselhado: É uma cultura sensível à geada, que precisa de uma temperatura do solo acima de 14 ºC para germinar, e de algum calor após a floração (entre 20 ºC e 30 ºC, já que temperaturas acima deste valor podem causar a queda das flores).

Manutenção: Sachar após a emergência. Fazer a amontoa até às duas primeiras folhas verdadeiras logo que estas estejam bem desenvolvidas. No caso de variedades trepadeiras, colocar tutores com 2-3 m de comprimento.

Fotos: GettyImages

Texto: AGROBIO

Gostou deste artigo? Subscreva o canal da Jardins no Youtube e siga-nos no Facebook e no Instagram.

Poderá Também Gostar