Hortícolas e Frutícolas

Dicas do hortelão: coelhos, composto e mulching

Dar um “chega p’ra lá” nos coelhos!

Um dos problemas que enfrentamos nas hortas, sobretudo quando estamos em áreas menos urbanas, são os constantes ataques de coelhos. Sendo um animal de grande porte, é difícil encontrar produtos para os afastar. Os coelhos detestam tudo o que seja picante, alho, pimentas (preta, branca, caiena, etc.), piripiri e malagueta são alguns exemplos do que pode usar.

Como fazer

Misturar num garrafão, 4 l de água, um pouco de detergente orgânico da loiça (este vai ajudar o repelente picante a fi car mais bem diluído na água e a fi xar-se nas plantas) e uma colher de sopa de um ou de uma mistura dos produtos picantes acima descritos, agitar bem e pulverizar antes do pôr do sol nas plantas mais atacadas. Se souber, coloque também repelente junto do local por onde os coelhos entram na horta.

Composto

É um adubo natural, mais efi caz que os adubos sintéticos, podendo ser feito em casa de várias maneiras, mas a mais comum é utilizar um compostor, que se pode adquirir nas grandes superfícies. Em primeiro lugar, é importante saber que um bom composto nunca cheira mal, antes pelo contrário, tem um cheiro agradável a terra fresca; se o seu não tem é porque em vez de decompor, está a apodrecer e isto acontece por humidade a mais. Falando de um modo simplificado, o composto é basicamente uma mistura de azoto e carbono. O azoto é sobretudo constituído pelas matérias mais húmidas (restos da cozinha, estrumes, etc.) e o carbono, pelas matérias secas (palhas, papel, plantas secas).

Como fazer

Para se fazer um bom composto, deve haver muito mais quantidade de carbono que de azoto, exatamente para não haver o risco de apodrecimento. Assim, quando colocar os restos da cozinha no compostor, tenha o cuidado de juntar matéria seca e se possível, de vez em quando, revirar tudo, pois uma boa oxigenação vai ajudar e acelerar todo o processo. Pode aplicar o composto nas suas plantas várias vezes por ano.

Mulching

Uma das maiores catástrofes que enfrentamos nos dias de hoje é a degradação dos solos, razão pela qual a ONU decretou 2015 Ano Internacional do Solo. Há algumas práticas que nos permitem reconstruir solos, uma delas, muito eficaz, é o mulching, que consiste em manter a terra coberta com qualquer tipo de matéria orgânica.

Vantagens

• Mantém mais humidade no solo, o que permite pouparmos na rega;

• Reduz a proliferação de ervas daninhas, o que nos poupa na monda;

• Protege o solo dos raios solares, o que mantém a temperatura da terra mais baixa nos dias de calor, e da chuva, o que diminui a erosão e lixiviação dos nutrientes.

• Alimenta a terra ao decompor-se.

Opções de matéria orgânica

Palha, estilha de madeira (ramos destroçados resultantes das podas), aparas de madeira (adquiridas por preços reduzidos nas carpintarias e serrações, mas cuidado para não usar serradura que vai criar uma camada impermeável), casca de pinheiro ou qualquer outra casca de árvores de grande porte, folhas secas, o mais destroçadas possível. Existe no mercado uma película biodegradável, feita a partir de amido de milho, que, apesar de não ter todas as vantagens da matéria orgânica acima mencionada, é efi caz, de fácil manuseamento e não tão poluente. O mulching é muito útil ,sobretudo quando temos solos muito arenosos ou muito argilosos.

Fotos: Thinkstock

Gostou deste artigo? Siga a Jardins no Facebook e no Instagram.

Poderá Também Gostar