Plantas Ornamentais

Como dividir orquídeas – parte 1

É uma das poucas técnicas que nos restam para propagarmos uma planta de orquídea, visto que a germinação de sementes de orquídea é praticamente inviável sem condições especiais. Quando queremos obter mais plantas a partir de um exemplar, quando queremos tirar um “corte” para oferecer a um amigo, quando a planta está enorme e já não está a florir tanto como poderia e precisa de uma “renovação”. Para muitas destas situações resta-nos fazer divisões.

Ascocentrum miniatum – Orquídea de crescimento monopodial

Plantas monopodiais

São plantas sem pseudobolbos, cujo crescimento se verifica unicamente na vertical, constituído por pares de folhas opostas (sendo os exemplos mais conhecidos as Phalaenopsis e as Vanda). Nas orquídeas com este tipo de crescimento, é mais difícil fazer divisões porque estamos a falar de uma única planta e esta não deverá ser dividida pelo risco de a perdermos. Por vezes, crescem Keikis (filhotes) na base ou a meio da planta, mas mesmo assim, até estes atingirem um tamanho considerável e desenvolverem raízes próprias para poderem viver separados da planta-mãe podem demorar vários anos e muitas ficam sempre unidas à planta original, sendo impossível separá-las.

Maxillaria picta – Crescimento simpodial

Plantas simpodiais

São plantas constituídas por um rizoma que cresce horizontalmente e nele se desenvolvem pseudobolbos, que podem ter vários tamanhos e formas, e podem crescer juntos uns aos outros ou mais separados, com espaços mais ou menos longos de rizoma entre eles. Há muitos géneros conhecidos de orquídeas de crescimento simpodial com pseudobolbos, como os Cymbidium, os Dendrobium, os Oncidium, entre muitos outros. Há também orquídeas de crescimento simpodial sem pseudobolbos, e os exemplos mais comuns são as orquídeas-sapatinho, Paphiopedilum e Phragmipedium, neste caso, em vez de pseudobolbos temos plantas sem caule, com folhas longas e que crescem opostas a partir da base. As orquídeas de crescimento simpodial são as ideais para se fazerem divisões.

Dendrobium – Planta-mãe de onde foi retirado um corte com alguns pseudobolbos

Saber como dividir

Teoricamente, cada pseudobolbo ou cada planta que cresce a partir de um rizoma representa uma planta por si só. Quando vemos à venda um pseudobolbo de Cymbidium sem folhas e sem raiz, estamos perante uma promessa de uma planta completa. Mas para uma divisão vingar com menos riscos, precisa de um pouco mais do que um único pseudobolbo. Além do nosso desejo de “fazer” mais plantas, podem haver também razões de cultivo em que a planta beneficia ao ser dividida, como algumas plantas crescem mais vigorosamente quando são podadas.

Na próxima semana, não perca a segunda parte deste artigo, será explicado, passo a passo, como fazer uma divisão com sucesso.

Fotos: José Santos

Gostou deste artigo? Subscreva o canal da Jardins no Youtube e siga-nos no Facebook e no Instagram.

Poderá Também Gostar