Passo a Passo

Faça os seus cosméticos naturais

cosméticos naturaisEstamos cada vez mais rodeados de produtos tóxicos e muitas vezes temos escolhas simples. Existem alternativas no mercado dos produtos biológicos e existem muitas receitas e sugestões de soluções caseiras, divertidas e fáceis de confecionar, utilizando as plantas como base.

Diminuir a pegada ecológica usando os produtos da natureza

Utilizando plantas , evitando produtos químicos  que nos habituaram a aceitar como normais e sem questionar a sua proveniência, o seu impacto ambiental e as suas repercussões na saúde. Tais como: parabenos, parafinas ou outros derivados do petróleo disfarçados com, cores e perfumes sintéticos, conservantes, plásticos, etc. Estou a falar de champôs, desodorizantes, cremes para a pele, batons, protetores solares, ambientadores, etc. Ao retirarmos os maus odores, estamos  a respirar algo que nos é prejudicial à saúde, que se aloja nas vias respiratórias, na corrente sanguínea e muitas vezes no cérebro.

Sem querer ser alarmista, gostaria que todos nós nos tornássemos consumidores mais atentos e responsáveis. Habituando-nos a ler os rótulos daquilo que consumimos e exercendo o nosso direito de escolha em prol de uma melhor saúde ambiental e de um melhor bem-estar pessoal.

As plantas como matéria-prima dos cosméticos naturais

Deixarei aqui algumas receitas de óleos macerados e cremes de pele nutritivos e hidratantes que poderão confecionar com várias plantas, azeite biológico, óleos essenciais e cera de abelha.

Poderá usar estas plantas na confeção do seu óleo de pele hidrante, que poderá funcionar também como repelente de mosquitos: gerânios (Pelargonio graveolens), calêndula, camomila, esteva (Cistus ladanifer), erva-príncipe (Cymbopogum citratus), cascas de laranja ou limão, cravinho, pétalas de rosas perfumadas, alfazema (Lavandula sp).

Malva-rosa.

Receita: Óleo hidratante e repelente de mosquitos

Este óleo poderá ser feito com as folhas e flores de malva-rosa, pétalas de rosas perfumadas ou folhas de esteva.

Preparação

Colha folhas e flores de alguma variedade perfumada de malva-rosa (pelargónios), deixe-as secar em local arejado e seco durante dois ou três dias. Coloque-as bem compactadas num frasco de vidro transparente de 500 ml. Encha com azeite, óleo de sésamo, de grainha de uva ou outro óleo vegetal, coloque a tampa e deixe  ao sol , durante três semanas a um mês. Passado esse tempo, coe com um passador fino, adicione dez gotas de óleo essencial de alfazema, dez de rosmaninho, dez de alecrim, dez de citronela (erva-príncipe) e obterá um óleo corporal hidratante e repelente de mosquitos.

Em vez de pelargónios, poderá fazer esta maceração usando rosas; se as rosas forem bastante perfumadas, não necessita adicionar óleos essenciais pois o seu óleo absorverá o perfume das rosas. Se escolher esteva (utilizam-se as folhas e não as flores, não necessitam de secagem prévia), o óleo terá um aroma a verão e propriedades antibacterianas e antifúngicas.

Receita: Creme de erva-cidreira (Melissa officinalis)

Muito útil para combater alguns fungos e vírus, como o vírus do herpes labial (Herpes simplex) e pode ser usado como bálsamo labial protetor e hidratante.

Ingredientes

• 2 colheres de óleo de infusão de melissa

• 1 colher de cera emulsificante vegetal ou cera de abelha

• 7 colheres de infusão de melissa extraforte

• 3 gotas de óleo essencial de tea-tree (Melaleuca alternifolia)

Preparação

Misturam-se bem todos os estes ingredientes com a varinha mágica, depois rotulam-se e guardam-se no frigorifico para utilizações futuras.

Calêndula.

Receita: Pomada de calêndula e camomila

Muito útil como cicatrizante natural e também em vários problemas de pele como eczema, psoríase, pele seca, cansada, gretada, etc.

Preparação

Colha folhas e flores de calêndula e camomila. Após coado o óleo macerado (receita anterior),  aquece-se em banho-maria. À parte em banho-maria, derrete-se cera de abelha que se juntará ao óleo na proporção de um para dez, mistura-se com a varinha mágica durante um minuto . Colocar em frascos de vidro, juntar umas gotas de óleo essencial de alfazema ou outro óleo essencial, pois é um bom conservante e tem acção anti-séptica. Colocar um rótulo com o nome da pomada e data. Depois de aberto, o boião deve ser conservado no frigorífico. A validade destas pomadas varia entre seis e dez meses.

Fotos: Thinkstock, Fernanda Botelho

Siga-nos no Facebook e no Instagram.

Poderá Também Gostar