Cultivar Bio

Flores comestíveis da horta

flores comestíveis

Flores de rúcula selvagem.

 

As nossas hortas são mais do que um espaço onde se podem cultivar plantas hortícolas para consumo de verduras em folha, frutos, sementes ou partes subterrâneas como raízes, tubérculos, bolbos, rizomas e outros. Quando deixamos que o ciclo de vida das hortícolas prossiga para floração, obtemos as suas flores que podem ser consumidas. Assim podemos explorar os nossos sentidos através das suas cores, aromas, cheiros e paladares tão diversos.

As flores da horta

flores comestíveis

Flores de coentros.

Este tema das flores comestíveis tem sido introduzido com maior destaque desde há pouco mais dez anos e especialmente nos últimos 3 a 4 anos. Trabalhando eu na área da agricultura biológica, com a preocupação da sustentabilidade, espero com este pequeno artigo dar um contributo para a otimização destes mesmos espaços.

Há flores que são cultivadas para o fim gastronómico como os casos bem conhecidos da couve-flor, dos brócolos, dos espigos de nabiça ou couve-nabiça, e ainda as flores de alcachofra e abóbora-curgete. Pois é… a maioria das pessoas quando consome couve-flor ou brócolos não pensa em flores, mas na verdade são a sua estrutura que ainda está fechada. E quando tempera com orégãos? dos nossos orégãos tradicionais (Origanum virens) a principal parte aromática são as “escamas” que constituem a base das flores!

Quantas vezes as nossas hortícolas entram em floração? Ou porque plantámos demasiadas unidades de uma só vez  e não conseguimos colher tudo na altura certa, ou porque fomos de férias e as hortícolas não ficaram “paradas” à nossa espera. Pois não fique triste por se ter distraído e as suas hortícolas se apresentarem cheias de lindas flores! Claro está que é imprescindível que as flores não tenham sido pulverizadas com nenhum produto que faça mal à saúde como a maioria dos pesticidas. Vamos ver o que podemos aproveitar de flores saudáveis e isentas de quaisquer produtos.

Flores que pode consumir

Flores do rabanete.

Todas as flores das hortícolas da família das Brássicas podem ser consumidas. Assim temos as mais comuns, como por exemplo as couves. Couves-galegas, repolhos, couve-roxa, couve-rábano, couve nabiça, entre outras, vão dar-nos flores de vários tons de amarelo e brancas, sendo de um modo geral muito tenrinhas, suaves e com sabor a couve ligeiramente adocicado.

Nabos e rabanetes, de todos os tipos, vão dar-nos flores de cor branca ou rosada, com um subtil sabor. No caso das flores dos rabanetes, quando estão muito expostas ao sol podem mesmo ter um ligeiro sabor picante.

As nabiças, de todo o tipo, vão dar-nos flores amarelo vivo, com um ligeiro sabor a nabiça mas adocicado.

A rúcula selvagem vai dar flores amarelas vivo. A rúcula cultivada tem flores amarelo mais claro e de maiores dimensões, ambas com sabor à rúcula respetiva.

Existem outras famílias cujas flores podem ser consumidas. As abóboras, sendo as mais conhecidas as dos vários tipos de curgete, têm flores grandes amarelas que podem ser recheadas. Os coentros, com flores muito branquinhas e textura macia, com o muito característico sabor, tão intenso como a rama. A chicória, cujas flores têm pétalas brancas ou azuis que se podem comer, e à semelhança das folhas têm um sabor um pouco amargo. O cebolinho – um clássico na horta biológica – tem flores lindíssimas roxo-lilás, tão perfumadas e saborosas como a rama.

Ainda da mesma família também as flores das várias variedades de cebola e mesmo dos alhos se podem comer e são bem saborosas. As flores do alho-porro também têm um sabor agradável. As flores da salsa, do aipo e do cerefólio também se podem comer; não têm grande expressão visual, mas deixo isso ao gosto pessoal de cada um. As flores dos agriões, pequeninas e branquinhas, também sabem a agrião. As flores das ervilhas também se podem comer… mas depois ficamos sem ervilhas!

Fotos: José Pedro Fernandes

Poderá Também Gostar