Cultivar Bio Plantas Ornamentais

Girassol: como cultivar

girassol

Nomes Comuns: Girassol, Flor do sol.

Nome científico: Heliaanthus annuus (“helio”, o sol e “anthos”, a flor).

Origem: América do Norte e Central.

Família: Asterácea ou Compostas.

Caraterísticas: 60 cm a 2,5 metros de altura, com o caule de 2-6 cm de largura, com raiz pivotante que penetra a profundidades de 4-5 metros (altura da raiz, é maior que a altura do caule na fase adulta). Folhas de grande tamanho, entre 12-40 por planta. As flores estão inseridas num “capítulo” ou cabeça. O fruto é composto pelo aquénio, onde estão inseridos as sementes.

Fecundação/Polinização: Reprodução alogâmica, feita pelas abelhas, abelhões e outros insetos. A maioria das variedades não são auto-férteis, precisam de polinização cruzada, recentemente foram introduzidas algumas cultivares autoférteis.

Factos Históricos: Cultivado desde há 3000 anos a.C. por tribos indígenas do território do Arizona e Novo México. Chegou a Espanha, depois da conquista do México no ano 1510, chegando aos países do Este da Europa no seculo XVII. No primeiro decénio do seculo XIX o Girassol aclimatou-se na Rússia  e em 1830, um agricultor russo, “Bocáresv” instalou uma pequena prensa para retirar o óleo, desde aí cultivou-se como uma planta oleaginosa. A Portugal chegou ao norte e sul do país, mas servia apenas para plantar nas bordaduras alimentando os pássaros. Hoje esta cultura já tem algum impacto no Alentejo. É dos óleos vegetais mais consumidos no mundo.

Ciclo Biológico: Anual (110-170 dias).

Variedades mais cultivadas: Existem centenas, que se caraterizam pela precocidade, riqueza em óleo, altura e beleza da flor.  As variedades mais conhecidas são: sementes brancas, pretas e raiadas. Existem cultivares para óleo: “Adalid”, “Fantasia”, “Toledo”,  “Rostov”, “Portassol”, e muitas outras. Para consumo humano de sementes: “Agrossur”, “Alcazaba”, ”Lion´s Mane” (Pintada por Van Gogh) entre centenas de novas cultivares. Existem também variedades para produção de flores de corte;: “Strawberry Blonde”, “Teddy bear”, “Holiday”. Parte Utilizada: Sementes e pétalas (sabor agridoce).

girassol

Condições Ambientais

Solo: Prefere solos argilo-arenosos, terras frescas e profundas com boa drenagem e ricas em matéria orgânica. pH entre 6,2 – 7.

Zona Climática: Tropical, Subtropical, temperados e Equatorial.

Temperaturas: Ótimas: 21-25ºC Min: 4ºC Max: 40 °C

Paragem do Desenvolvimento: 5ºC.

Temperatura do solo: > que 10ºC.

Exposição Solar: Pleno sol, dias longos. O Girassol realiza Heliotropismo (segue o sol).

Humidade relativa: média a alta.

Precipitação: 500-800 mm/ano.

Altitude: 0- 1000 m.

Fertilização

Adubação: Estrume de vaca, coelho, ovelha, bem decomposto. Adubo Verde: Azevém, colza, favarola e luzerna. Exigências nutritivas: 1:2:2 ou 2:1:2, 2:1:3 (de azoto de fósforo: de potássio) + boro. Tipo de Planta: Esgotante dos terrenos, pode acumular nitratos, se forem aplicados em excesso.

Técnicas de Cultivo

Preparação do solo: Lavoura funda no princípio de inverno ou primavera, com subsolagem e gradagens a profundidades de 30-45cm

Data de plantação/sementeira: Primavera (março-maio).

Tipo de plantação/sementeira: por semente em pequenos vasos ou diretamente no terreno em covachos (2-3 sementes).

Tempo de germinação: 10-30 dias.

Faculdade germinativa (anos): Mais de 3 anos.

Profundidade: 4-6 cm.

Compasso: 20-45 na linha e 40-80 entre as linhas.

Transplantação: Quando tiver 10-15 cm de altura.

Rotação: Antes do trigo, cevada ou aveia, depois deixa muitos restos orgânicos, que se transformam em húmus. Também se pratica a rotação: luzerna-trigo-Girassol-trigo. Depois da cultura da batata, e antes de uma leguminosa (ervilha, fava, lentilhas). O terreno deverá ter um intervalo de 4 anos.

Consociações: Batatas, pepinos e milho.

Amanhos: Monda de ervas, e “Mulching” entre as linhas.

Regas: Na sementeira e a partir da inflorescência até à colheita, a rega deve ser de 25-60l/m2 e apenas em períodos de grande seca, feita por sulcos ou mantas.

girassol

Entomologia e patologia vegetal

Pragas: Alfinete, lagarta cinzenta, gorgulho, traças, pássaros.

Doenças: Míldio, podridão da raiz, verticilose, podridão cinzenta (botrytis), Esclerotina.

Acidentes: Geadas, baixa tolerância a salinidade.

Colheita e Utilização

Quando colher: Quando 50% da floração está aberta e as brácteas, ficam com a cor castanha e prolonga-se durante 10/12 dias. Colhe-se entre setembro e outubro.

Produção: Entre 1000-3500 Kg /ha.

Condições de armazenamento: As sementes podem ser secas e transformadas em óleo ou para consumo da semente inteira. Se a humidade relativa for 60% e a temperatura de 60ºC, as sementes estabilizam a sua humidade ao fim de algum tempo, quanto as sementes tiverem 7,1% se são para óleo e 9,2% se são para consumo.

Valor nutricional: Elevado valor proteico e ricos em vitamina E, B1, B2, B3, A, D e E, cálcio, fosforo e ferro.

Época de consumo: Outubro-novembro.

Usos

Alimentar: óleo de girassol, consumo de sementes e pétalas, elaboração de pão e bolos. As sementes têm sido utilizadas para Biodiesel, especialmente no Brasil.

Medicinal: As sementes são boas para problemas cardíacos, estimulante físico e mental e problemas de estômago.

Fotos: Pixabay

Gostou deste artigo? Siga-nos no Facebook e no Instagram.

Poderá Também Gostar