Jardins

Giverny, o quadro vivo de Claude Monet

Uma das obras do pintor Claude Monet é o jardim da casa em que viveu durante 43 anos, localizada em Giverny. “O meu jardim é a minha obra de arte mais bonita”, dizia. Neste jardim, que Monet frequentemente pintou, nada foi deixado ao acaso e cada flor é uma pincelada impressionista.

Este espaço único situa-se na Alta Normandia, a 75 km de Paris. Claude Monet viveu nesta casa com a segunda mulher e os filhos desde 1883 até à data da sua morte, em 1926. A casa e os jardins, bem como as paisagens vizinhas, eram os grandes motivos de inspiração para o pintor e contribuem para compreender a obra de Monet de forma ímpar.

Na casa de Monet, o jardim divide-se em dois: Clos Normand – um antigo pomar e horta convertidos em jardim de flores – e o Jardim de Água, onde a inspiração japonesa e as plantas aquáticas brilham.

O Clos Normand

Clos Normand.

 

Este jardim foi desenhado por Monet sendo, segundo o próprio, uma interpretação do jardim de inspiração francesa (ao contrário do que estava em voga na época, o jardim de inspiração inglesa).  Para que o jardim tivesse vista sobre a paisagem envolvente e sol para as flores, Monet mandou cortar um grande número de árvores, incluindo algumas coníferas de grande porte, de que a mulher Alice gostava muito.

O traçado do jardim é de uma geometria muito simples, grandes alinhamentos de canteiros de plantas para bordaduras floridas, todos eles ladeados de caminhos e alguns enquadrados por pérgulas plantadas com trepadeiras floridas, como glicínia ou rosas.

A grande beleza deste jardim prende-se com a escolha das plantas e suas florações. Nada é deixado ao acaso – as cores, as formas e o período de floração são escolhidos criteriosamente, e o resultado é extraordinário.

Pode ver-se de tudo um pouco neste jardim encantado. Desde plantas perenes e vivazes  – como peónias, camélias, azáleas, rosas, tamargueiras, rododendros, alfazemas, malmequeres, etc. – até bolbosas como íris, lírios, frésias, tulipas, muscaris e crocus, passando por anuais como amores-perfeitos, floxes, miosótis, girassóis e papoilas.

O Jardim de Água

O Jardim de Água de Monet.

 

Para concretizar esta fantástica obra de engenharia e de paisagismo, Monet teve que pedir autorização para desviar o pequeno rio Epte, um afluente do Sena. Só assim poderia criar os famosos lagos dos nenúfares, que são os protagonistas do espaço (e que para florir devem ter a água a 16º). Também é célebre a ponte enquadrada por glicínias, inspirada nos jardins japoneses que Monet tanto apreciava.

Toda a bordadura do lago é plantada com salgueiros, noveleiros, tamargueiras, azáleas, rododendros, íris, guneras, glicínias, transformando este espaço num pequeno paraíso.

A passagem subterrânea permite-nos hoje em dia aceder facilmente ao Jardim de Água.

Calendário de floração

Quando visitamos o jardim é-nos dado no plano de visita um calendário de florações mensal, para sabermos o que está em flor ao longo dos meses (o jardim só está aberto de abril a outubro).

Deixamos-lhe algumas das florações de primavera, de verão e de outono para o ajudar na escolha da altura certa para visitar. Também pode consultar o calendário (em inglês) no site da Fundação Monet.

Na primavera
Estão em destaque as peónias, jacintos, narcisos, íris, chagas, tulipas, glicínias, azáleas, miosótis, rododendros, tamargueiras, violas, silénes, fritilárias, etc.

No verão
É tempo de papoilas, cosmos, girassóis, agapantos, brincos-de-princesa, nenúfares, hemerocales, dedaleiras, malmequeres, sardinheiras, alfazemas, rosas, rudbéquias, clematites, planta-do-tabaco, madressilvas, entre outras.

No outono
As dálias são as grandes protagonistas, bem como as alegrias-do-lar, bocas-de-lobo, zinias, crisântemos, ásteres, flor-da-baunilha, cravineas, rosas, amarantos, etc.

Como visitar
Fondation Claude Monet Giverny
Rua Claude Monet, 84
27620 Giverny
Alta Normandia
Site 
Aberto de 24 de março a 1 de novembro
Bilhete: Adulto: 9,5 €; Crianças a partir 7 anos: 5,5 €; Até aos 7 anos: gratuito

Como chegar
De carro: a partir de Paris é uma hora. Há estacionamento no local.
De comboio: a partir da Gare Saint Lazare em Paris (45 minutos de viagem) até à estação de Vernon. Da estação até ao Jardim são 7 km e há transporte da Fondation Monet.
Aproveite também para visitar, em Giverny, o Museu dos Impressionistas e, em Paris, o Museu Marmottan e o Museu da Orangerie, onde poderá ver muitas das obras de Claude Monet.

 

Fotos: Thinkstock

Poderá Também Gostar