Hortícolas e Frutícolas

Como cultivar uma horta na varanda

Numa varanda ou terraço as condições climatéricas por vezes tendem a ser extremas, muito calor no verão e muito frio e vento no inverno, e muitas vezes são também zonas expostas a ventos. Devemos ter esses fatores em conta e tentar minimizá-los com a criação de barreiras corta vento (sebes) e ensombramento quando necessário.

Vantagens de hortas em varandas e terraços

Pouco espaço: As hortícolas precisam de muito pouco espaço para se desenvolverem (em qualquer m2 produz uma série de coisas). A produção nunca será igual a uma horta tradicional em termos de quantidade e variedade de plantas produzidas.

Pouco investimento: Pode começar à medida do tempo e dinheiro que tem disponível. Começa com um ou dois vasos e à medida que ganha mais confiança vai aumentando a produção e a variedade da mesma.

Pouco tempo de manutenção: Não tem trabalho de escavar, sachar e mondar, que são as tarefas que numa horta consomem mais tempo e esforço.

Menos infestantes que uma horta tradicional: Como é um ambiente mais confinado acaba por ser muito menor o aparecimento de infestantes.

Vantagem da mobilidade (dependendo do tamanho e peso das floreiras): Pode levá-las para onde lhe der mais jeito, pode protegê-las do frio ou do calor excessivo, movendo-as para locais mais abrigados.

O que necessitam as hortícolas em vaso ou floreira

1. Um bom substrato (de preferência biológico especifico para hortícolas). As floreiras precisam estar muito bem drenadas precisam ter furos, de levar uma camada drenante que poderá ser de argila expandida (leca), brita ou cacos de barro, uma camada de geotêxtil para que a água não arraste o substrato. Por cima coloca-se o substrato.

2. As hortícolas são plantas que geralmente necessitam de muita água. Se tiver um ponto de água no terraço
ajuda, senão tente levar a água até ao terraço com uma mangueira de rosca.

3. Evite as floreiras ou vasos muito altos e estreitos pois têm mais tendência a desequilibrar, principalmente em zonas ventosas como são grande parte dos terraços.

Substituição de substrato de um ano para o outro

Pode substituir a totalidade do substrato de um ano para o outro (no caso de vasos pequenos) ou apenas uma parte do substrato (10-20 cm superficiais), tendo o cuidado de adicionar matéria orgânica. Não se esqueça que as hortícolas esgotam muito o solo e numa floreira ou vaso mais ainda, uma vez que o substrato é finito. Escolha das floreiras Há muita oferta no mercado, escolha recipientes com drenagem e adaptados à dimensão das plantas que vai lá colocar.

Os vasos e floreiras de barro absorvem eles próprios a água, logo temos de regar mais mas são os meus favoritos – são baratos e conseguimos ver pela cor do barro se o substrato está muito seco ou não. Os de PVC são práticos, leves e fáceis de usar. As caixas de fruta dão excelentes floreiras para hortícolas, forradas com contraplacado ou com tela. Pode colocar uma estrutura de ferro ou madeira e pendurar o vaso na parede ( já existem em tecido geotêxtil). São boas formas de aumentar o espaço quando este é curto. As floreiras verticais também são uma excelente forma de ter muitas plantas em pouco espaço.

Seleção das plantas

Deve escolher plantas que não cresçam demasiado e cujo volume não invada tudo. De preferência deverão ser de crescimento rápido para aproveitar as primeiras colheitas. Não se esqueça que as hortícolas são para consumir, logo tem de as replantar regularmente para ter sempre quantidades para consumo.

Para plantar em vaso ou floreira e se o seu espaço é limitado, faça uma escolha inteligente, cultive o que consome mais, não se entusiasme com catálogos de sementes na internet, mostruários de sementes nas lojas da especialidade e plantas nos centros de jardinagem pois corre o risco de cultivar “especialidades” que nunca vai comer e que nem sequer conhece.

Uma opção sensata é produzir em quantidade que consiga comer (não tem graça nenhuma ter três morangos e duas cenouras). Se não tem muito espaço maisvale optar por ter uma floreira com alfaces, outra com um ou dois tomateiros, um vaso grande com couve, rúcula, etc.

Algumas das hortícolas mais adequadas a vasos e floreiras: beringela, tomate, rúcula, pimento, piripiri, alfaces, couves, cenouras, abóboras, fava, ervilha, canónigo (alface cordeira), acelga, ervilhas e rábano. Todas as aromáticas são adequadas para ter em vasos e floreiras – misture-as com as hortícolas respeitando as consociações.

Fotos: Thinkstock

Siga-nos no Facebook e no Instagram.

Poderá Também Gostar