Jardins

Hortas mandala

Horta jardim mandala de aromáticas criada para a Quinta do Bacuri, em Penafiel.

 

As hortas mandala são por definição espaços de integração e harmonia. “Mandala” em sânscrito significa “círculo”, sendo a representação geométrica do relacionamento íntimo existente entre o homem e o cosmos. A mandala é uma representação visual e plástica do retorno do homem à unidade, delimitando um espaço sagrado e atualizando um tempo divino. Trata-se de um símbolo de integração e harmonia, servindo de instrumento para meditação.

Hortas e jardins mandala

As hortas ou jardins mandala estão frequentemente associadas ao movimento de Permacultura, que num próximo artigo será abordado. Podem servir vários aspetos como o espiritual, o didático e a sustentabilidade. A construção e a manutenção respeitam o conceito de agricultura biológica, muitas vezes a biodinâmica, como por exemplo quando se procede à escolha de plantas deve ter-se o cuidado de respeitar as consociações de culturas, isto é a plantação das várias espécies de acordo com critérios de boa vizinhança e ajuda mútua.

Mandalas temporárias ou permanentes

Mandalas temporárias

Uma horta ou jardim mandala pode ter um carácter temporário, quando se utilizam exclusivamente plantas anuais (cujo ciclo de vida se cumpre em um ano), neste caso esta horta ou jardim terá um fim quando as culturas que a compõem terminam o seu ciclo de vida, no ano seguinte poderá ser construída no mesmo local uma nova mandala, igual ou diferente.

Mandalas permanentes

Quando a mandala é construída recorrendo à utilização de plantas vivazes (cujo ciclo de vida é superior ou igual a três anos), neste caso a mandala poderá permanecer no mesmo local por vários anos.

Como construir a sua horta/jardim mandala

1. Escolha do desenho

Para construir começa-se pela definição de uma forma circular, pois as mandalas geometricamente partem de um círculo. Pode ser um desenho original criado por nós, ou utilizar um desenho já existente com o qual nos sintamos identificados. No caso de se escolher o desenho de uma mandala existente, deve ter-se em atenção que o desenho deverá ser compatível com a criação de canteiros e caminhos onde poderá circular e ter acesso, para permitir uma fácil manutenção, pois vai ter de a trabalhar diariamente e colher as hortícolas.

2. Desenhar no solo

Deve transferir para o solo o desenho que escolheu, podendo respeitar os pontos cardeais se assim se proporcionar.

3. Conferir relevo

Construindo os canteiros elevados, garantindo uma maior facilidade de manutenção. Ao sobrelevarmos os canteiros a forma da mandala não desaparece e as plantas acabam por ter um maior volume de solo para explorar, principalmente em profundidade.

4. Instalar um sistema de rega automático

Este equipamento vai ajudarnos na manutenção da horta e na poupança de água.

5. Semear e/ou plantar

Deve semear/plantar a sua horta ou jardim mandala com as espécies que quer respeitando os princípios da agricultura biológica.

Exemplos de hortas/jardim mandala

As imagens que selecionei são de mandalas executadas por mim, uma horta mandala a que designei de horta flor, e uma mandala de horta-jardim de plantas aromáticas.

Mandala flor

A mandala flor foi criada para trabalhar com crianças de um jardim-de-infância, pré-escolar, em que as pétalas foram orientadas de acordo com os pontos cardeais. As pétalas são estreitas pois as crianças dos 3 aos 6 anos têm os braços curtos e como tal dificilmente chegam à zona central, permite fazer exercícios vários com as crianças sensibilizando-as para a terra e todos os assuntos da natureza e ao mesmo tempo contar histórias de que nunca se esquecerão.

Marcação dos limites da horta no terreno.

Horta-jardim de aromáticas

A horta-jardim de aromáticas foi criada para a Quinta do Bacuri em Penafiel, uma quinta de agricultura biológica, que usa a mandala para a produção e comercialização de plantas aromáticas variadas.

Fotos: José Pedro Fernandes

Siga-nos no Facebook e no Instagram.

Poderá Também Gostar