Guia de Compras

Jardinar sem jardim

Com ajuda de vasos e plantas, um terraço ou uma varanda pode transformar-se no seu jardim, possibilitando um maior contacto com as plantas. Os cuidados e a sua manutenção vão poder ser momentos de descontração e despertar dos sentidos.

Que tipo de vaso ou floreira escolher para o seu terraço ou varanda

Os vasos e as floreiras são um complemento na decoração. Aumentam a variedade de composição e reforçam as cores e texturas das plantas. Estas, quando em vasos, acabam por ganhar mais destaque, através dos pormenores e combinações que se perderiam num canteiro do jardim. Com tantas cores, feitios e materiais, podemos “brincar” nos nossos jardins em vaso. Vou falar um pouco da constituição do material para que possam conhecer melhor as vantagens e desvantagens de cada um. Desde os mais tradicionais, como o barro e a pedra, aos mais recentes materiais sintéticos.

Qual deveremos comprar? Qual será o mais adequado? São algumas das questões que deveremos colocar no momento da compra. Devemos sempre fazer um balanço entre o estético e a sua função.

Pedra

É um material que tem acompanhado as novas tendências, através dos formatos e estilos mais contemporâneos.

Vantagens: Não ser poroso e assim o composto não seca tão depressa.

Desvantagens: Ser um material pesado, apesar de estável, torna-o difícil de manusear. Normalmente, é um produto caro.

Barro

São os mais comuns de encontrar, uma solução versátil e acessível. Encontram-se com acabamento natural ou com superfícies vidradas de várias tonalidades e revestimentos.

Vantagens: Material poroso, permite o bom arejamento das raízes. Poderá ser personalizado com custos acessíveis, como pintá-lo, possibilitando um programa diferente para fazer em família.

Desvantagens: Como é poroso, temos que regar mais vezes as plantas. Se a água se infiltrar pelo vidrado, o vaso pode tornar-se menos resistente às geadas e partir-se com mais facilidade.

Madeira

É um material natural e cria um contraste harmonioso com as plantas. A sua cor torna os espaços mais quentes e acolhedores, criando benefícios e reações físicas, psíquicas e emocionais positivas.

Vantagens: Leve e de fácil manuseamento, impermeável à geada. Pode ser pintada e envernizada.

Desvantagens: Exige um tratamento anual para não apodrecer.

Metal

Com cores e formas apelativas, pode ser uma alternativa para espaços que não tenham sol direto.

Vantagens: O metal é um material resistente ao gelo, no qual podemos encontrar várias formas e feitios. Sob forma de baldes, levam-nos para às memórias mais campestres.

Desvantagens: Caso não tenha um tratamento especial, enferruja muito facilmente e ficam amolgados com a sua utilização descuidada. Ao sol, aquecem muito.

Sintéticos

Apresentam-se sob diferentes formas: quer em polímeros, fibras de vidro, plásticos ou resinas e encontramos uma grande variedade de vasos.

Vantagens: Leves, resistentes. Em termos de acabamentos são versáteis, podem imitar os vários tipos de materiais, desde a pedra ao barro.

Desvantagens: Os riscos ou rachas que desenvolvam, podem danificar e tornar os vasos inutilizáveis rapidamente. Há modelos de vasos de barro e sintéticos que já encontramos acoplados com um sistema de irrigação, que nos permite um certo controlo e autonomia na sua manutenção. Uma solução mais cara, mas ao mesmo tempo previne os esquecimentos de regar com a frequência necessária às necessidades da planta.

Fotos: Thinkstock

Veja o vídeo: Como fazer uma floreira de primavera para a varanda

Siga-nos no Facebook e no Instagram.

Poderá Também Gostar