Jardins

Jardins junto à costa

Os jardins costeiros têm um caráter distinto, não só pela localização como também pelas condições do solo e influência marítima. Portugal tem uma vasta área costeira, e nesse sentido torna-se importante conhecer as características climatéricas das zonas costeiras, espécies que se adaptam a estes locais e cuidados a ter na criação e manutenção dos jardins.

As zonas costeiras apresentam verões mais frescos pela ação das correntes frias do oceano. São os ventos salgados do oceano que provocam o maior estrago nos jardins costeiros, tornando-se muito importante a criação de uma barreira para travar os ventos e impedir que tenham ação direta nas outras espécies do jardim.

Esta barreira deve ser criada por plantas em vez de um muro sólido porque:

  • Filtra e abranda os ventos salgados e frios em vez de os travar e criar alguma turbulência;
  • Promove a estabilidade e fixação de solos mais sujeitos a erosão, como é o caso de jardins junto a falésias e praias.

Espécies aconselhadas

Cupressus macrocarpa

Árvore de folha perene, tem uma folhagem densa de cor verde luminoso.

Pinus radiata

Esta árvore de crescimento rápido pode atingir 60 metros se for bem cuidada. De folha persistente e com folhagem (agulhas) de cor verde luminoso.

Ilex aquifolium

Árvore de folha perene que pode atingir os 25 metros. Adapta-se bem a vários climas e produz floração branca e frutos nos meses de outubro e novembro.

Euonymus japonicus

Este arbusto originário do Japão, cresce até 8 metros, com folha persistente. A floração ocorre de maio a outubro.

Prunus spinosa

Prunus spinosa

Arbusto que produz o fruto abrunho, alcança 5 metros e tem folha caduca. A lenha originada das podas é boa para a lareira.

Salix purpurea

Também chamado pelos seus nomes comuns de Salgueiro-de-casca-roxa ou Vime-vermelho, é um arbusto de folha caduca que pode atingir os 3 metros de altura. A sua lenha é apreciada e usada para a fabricação de tacos de cricket e cestos.

Para a criação do seu jardim, existem muitas outras espécies que pode plantar por serem também resistentes ao sal, mas num local mais abrigado, como segunda linha, protegidas pelas plantas anteriormente indicadas. Deixo o exemplo de algumas:

Cordyline

Cordyline

Planta muito elegante com um caráter mais tropical, pode surgir em tons de purpura e verde, entre outras.

Escallonia

Arbusto muito útil para a formação de uma sebe, de folhagem persistente, tem uma densa floração de cor rosa ou vermelha, conforme a escolha que faça de entre as 40 ou 50 espécies que existem. Gosta de sol.

Alecrim

Alecrim

Arbusto lenhoso de folha persistente e origem Mediterrânica, não necessita de muita água e produz flores de cor branca, rosa, purpura e azul, conforme a espécie.

Armeria maritima

Armeria maritima

Uma planta que cresce até 50 cm de altura, ao longo das zonas costeiras de maior parte do Hemisfério Norte, produz flores de cor rosa com uma forma redonda, entre março e agosto.

Echium

Planta que apresenta uma larga variedade de espécies, é muito utilizada como planta ornamental em local com sol direto. Atinge cerca de 80 cm em altura e produz flores que se tornam azuis.

Festuca glauca

Festuca glauca

Uma gramínea muito elegante, de estilo contemporâneo e de fácil manutenção. Não necessita de muita água e quando plantada com pouco espaçamento, produz uns maciços muito interessantes.

Phormium

Phormium

Planta herbácea com folhas que atingem mais de um metro de comprimento. Produz floração que é um grande atrativo para os pássaros.

Seixos

A erosão a que os jardins costeiros estão sujeitos faz com que seja importante enriquecer o solo de matéria orgânica para melhorar a sua estabilidade. A utilização de coberturas de solo como a casca de pinheiro, folhas, troncos triturados ou mesmo composto ajudam neste processo. Devemos ter em atenção que as zonas costeiras são zonas com vento, sendo por isso importante a colocação de seixo, pedras ou gravilha por cima das coberturas de solo, para as proteger da erosão do vento e ajudar na retenção da humidade.

Num jardim costeiro temos de saber lidar com o tempo e condições mais adversas, mas nunca nos devemos esquecer que estamos num local privilegiado e como tal sugiro a criação um recanto abrigado, composto por um banco, uma mesa ou mesmo um baloiço, onde possa contemplar a vista e o jardim.

Fotos: Thinkstock e Pixabay

Gostou deste artigo? Subscreva o canal da Jardins no Youtube e siga-nos no Facebook e no Instagram.

Poderá Também Gostar