Pragas e Doenças

Loendro: Como prevenir e curar doenças e pragas

Temos a certeza que já a viu por aí nos meses mais quentes. O loendro e a sua floração exuberante em jardins e espaços exteriores não passa por despercebida a ninguém.

No entanto, e tal como todas as plantas, este arbusto necessita de cuidados para que se mantenha em boas condições fitossanitárias. Fique a conhecer algumas das pragas ou doenças que podem afetar esta planta e como as solucionar.

1- Cochonilha? Retire com álcool

A falta de nutrientes ou o ar seco e quente podem provocar o aparecimento de cochonilhas, em concreto a cochonilha algodonosa. Esta praga instala-se em zonas pouco visíveis e vai chupando a seiva, provocando o seu debilitamento.

Solução: Se forem poucas, pode eliminá-las com um pincel. Dissolva uma colher de sabão e outra de álcool num litro de água e pulverize a planta por inteiro. Os produtos anticochonilhas são muito eficazes.

2- Teias-de-aranha? Aumente a humidade

A secura ambiental e as altas temperaturas são os grandes aliados dos ácaros, pequenos aracnídeos que além de envolverem as folhas com as suas teias, as enchem de pontos amarelos ou pardos, provocando a queda prematura.

Solução: Nos dias mais quentes, regue o loendro e molhe as folhas com água ou uma infusão de cavalinha misturada com sabão neutro. Pode também aplicar acaricida.

3- Tumor cinzento? Corte a zona

Existe uma estranha bactéria (Bacterium savastanoi) que provoca o aparecimento de tumores cinzentos nos ramos do loendro. A sua origem é desconhecida mas a planta vai-se debilitando até morrer. Trata-se de uma espécie de tuberculose.

Solução: Pode imediatamente os ramos com tumores e se os novos ramos apresentarem a mesma doença, não lhe resta outro remédio senão destruir o exemplar e não voltar a plantar no mesmo terreno durante alguns anos.

4- Manchas nas folhas? Aplique fungicida

Se as folhas se enchem de manchas esbranquiçadas que depois ficam enegrecidas, isso pode ser a causa de diversos fungos, como a ferrugem o oídio ou a botritis. Atacam quando a humidade é elevada e a temperatura quente. Junto ao mar, o perigo é maior.

Solução: Para prevenir o aparecimento de doenças de origem fúngica, evite o encharcamento ao regar e não nunca molhe a folhagem. Em caso de ataque, aplique fungicida.

5- Pulgões? Sabonária

A secura ambiental é a responsável pelo ataque do pulgão, um inseto que chupa a seiva da planta, provocando danos por vezes irreparáveis. As folhas encarquilham, caem no solo e ficam pegajosas.

Solução: Borrife com sabonária para afastar os pulgões ou prepare um caldo nicotinado. Existe espécies que afugentam os pulgões, como a dedaleira mas também insecticidas eficazes.

Fotos: GettyImages

Gostou deste artigo? Subscreva o canal da Jardins no Youtube e siga-nos no Facebook e no Instagram.

Poderá Também Gostar