Aromáticas e Medicinais

Lúpulo para combater as dores e o reumático

Trepadeira vivaz usada para aromatizar a cerveja, o lúpulo é usado como analgésico, para tratar dores reumáticas e articulares e já foi usada pelos monges para…atenuar o desejo sexual.

Também conhecida por engatadeira, lúparo, pé-de-galo ou vinha-do-norte, o lúpulo (Humulus lupulus) é de uma planta trepadeira, vivaz, frequente nas regiões temperadas e húmidas da Europa, Ásia e América do Norte. Cresce espontânea em sebes e terrenos incultos. Usa-se para aromatizar cerveja. A cerveja já faz parte da cultura da Europa do norte há mais de 7000 anos. Antes de se começar a usar o lúpulo usavam-se outras plantas no fabrico da cerveja. Os ingleses ofereceram tanta resistência à introdução desta nova planta que proibiram até ao século XVI a sua utilização com medo que isso viesse alterar demasiado o sabor da sua cerveja tradicional. Enquanto isso, os franceses e os alemães estavam fartos de a usar. Foram mesmo encontrados registos da sua utilização com data de 1067.

Os índios da América do norte utilizavam o lúpulo para combater dores e induzir o sono. Na farmacopeia europeia usava-se e usa-se ainda como analgésico, para tratar dores reumáticas e articulares, dores menstruais, como expetorante, como diurético, antiparasitário e sedativo. Era ainda aconselhado em casos de flatulência, espasmos intestinais e diarreia.

Constituintes e propriedades

Contém óleo volátil (humuleno), princípios amargos (lupulina que contém humulona, lupulona e ácido valeriânico), flavonoides, asparagina, substâncias estrogénicas, taninos polifenóides. Os óleos essenciais e os amargos da resina têm uma ação sedativa, antiespasmódica e estimulante do apetite. É diurética, antibacteriana e anafrodisíaca sendo usada pelos monges para atenuar o desejo sexual. Era fumada devido ao seu efeito narcótico e as suas flores colocadas dentro das almofadas para combater as insónias. É adstringente, antissética, digestiva, diurética, anti-inflamatória.

Ajuda no alívio das dores, tensão nervosa e muscular e ansiedade. Em uso externo em forma de compressas, ajuda a combater inflamações. Alivia problemas digestivos causados por tensão nervosa como colite, doença de Crohn ou outros problemas gastrointestinais. Devido à sua ação antiespasmódica pode usar-se para combater tosse, bronquite, asma e outras infeções do aparelho respiratório. Útil ainda em casos de acne ou eczema. Aumenta o fluxo do leite materno, reduz espasmos menstruais, ajuda no desregulamento menstrual causado pela menopausa.

Precauções: Evitar em casos de depressão. Pode produzir efeito estrogénico. Ao toque pode em algumas pessoas causar dermatite de contato. Evitar durante a gravidez e aleitamento. Usam-se as inflorescências femininas.

Fotos: Pixabay

Siga-nos no Facebook e no Instagram.

Poderá Também Gostar