Pragas e Doenças

Mineiras das hortícolas

Saiba quais são as principais características desta praga e como combatê-la.

Praga

Mineira Sul-Africana, minadora das folhas, mineira hortícola (Liriomyza huidobrensis; L trifolii; L bryoniae; L sativae).

Características

Os adultos são pequenas moscas com cerca de 2-4 mm de comprimento, de coloração escura, cinza ou negras, com manchas amarelas no tórax e abdómen. As larvas são brancas, ou amarelas com 2,5 mm de comprimento e são devoradoras do parênquima das células dos seus hospedes. O ovo é largo e de cor branco.

Ciclo biológico

Os adultos, alimentam-se do líquido, dos tecidos feridos pelo ovo posição efectuada pelas fêmeas. Passado algum tempo de alimentação, para adquirirem um estado de maturidade sexual, segue-se o acasalamento e ovo deposição. As fêmeas colocam os ovos (100-200) nas nervuras das folhas e passados 3-4 dias nascem as larvas. Uma semana depois chegam ao estado de pupa, onde permanecem 1-2 semanas até chegarem novamente ao estado adulto. Durante um ano a mineira, pode ter 5-10 gerações. Durante a primavera, o ciclo pode durar 17-30 dias e no outono 50-65 dias.

Plantas mais sensíveis

Ataca famílias de plantas muito diversas, mas as plantas hortícolas mais afetadas, são o melão, meloa, tomate, alface, feijão, pepino, pimento, beringela, aipo, melancia e rúcula, entre outras.

Danos

Nas folhas (especialmente nas folhas novas), verificam-se pequenas “galerias” ou túneis de forma sinuosa que nunca atravessam a nervura principal. As folhas atacadas, deformam-se, acabando por enrolar-se e cair. Nas plantas afectadas, verifica-se um atraso no desenvolvimento (redução da capacidade fotossintética) e uma menor produção de frutos ou folhas. As plantas muito novas podem morrer.

Combate biológico

Prevenção

Colheita e destruição das folhas atacadas; diminuir a fertilização em azoto; fazer rotações de mais de três anos com plantas não atacadas por esta praga; comprar variedades ou cultivares mais resistentes.

Luta química biológica

A pulverização com óleos minerais (óleo de verão), desencoraja a postura de ovos. A aplicação de “Neem” (substancia de origem natural), tem uma forte acção repelente sobre esta praga. Devem realizar estes tratamentos a partir de abril.

Luta biológica

Utilizar os auxiliares; Diglyphus isaea (parasitoide, produzido e utilizado com muito sucesso), Dacnusa sibirica, Chrysonotomyia formosa.

Foto: Pedro Rau

Gostou deste artigo? Subscreva o canal da Jardins no Youtube e siga-nos no Facebook e no Instagram.

Poderá Também Gostar