Pragas e Doenças

Oídio do tomateiro

oídio do tomateiro

Saiba quais são as principais características desta doença e como combatê-la.

Doença

Oídio, Mal branco, mancha amarela ou chamuscado (Leveillula taurica (Lev.) Arn. = Oidiopsis taurica (Lèv.) Salm.

Características

Fungo (oídio) que se propaga através do vento, podendo viajar grandes distâncias.

Ciclo Biológico

Quando a humidade relativa se situa entre 50-75% (especialmente durante a noite) e a temperatura é de 20-26ºC, com ausência de chuvas. Os esporos começam a germinar na superfície das folhas e o micélio coloniza o seu interior. A conservação deste fungo, durante o resto do ano, deve-se às plantas espontâneas ou ervas daninhas.

Plantas e variedades mais sensíveis

Tomate, pimento, beringela, pepino, alcachofra, cardo, alho francês e algumas infestantes.

Sintomas/danos

Nas folhas mais baixas e na parte superior, formam-se pequenas placas de cor amarela que acabam por ficar negras no centro; na página inferior forma-se uma substância branca. As folhas acabam por secar, ficando os frutos manchados, devido às radiações solares (“golpe de Sol”). Há também uma alteração na fotossíntese, originando uma produção irregular de frutos. Se as condições climatéricas forem favoráveis, o fungo alastra-se a todas as folhas da planta.

Combate biológico

Prevenção/aspectos agronómicos

Não plantar em solos salinos; mondar as infestantes; utilizar variedades tolerantes e resistentes (ex. “Ferline F1”, “Kotlas”); fazer rotações de culturas; controlar as regas.

Luta química biológica

Aplicar enxofre molhável, enxofre em pó polvilhável com lithothame e óleo emulsionável de nim (0,5%). No caso de fortes ataques, utilizar permanganato de potássio.

Luta biológica

Os fungos Ampelomyces quisqualis e Tilletiopsis, têm sido utilizados no tratamento curativo de alguns oídios.

Fotos: Pedro Rau

Gostou deste artigo? Subscreva o canal da Jardins no Youtube e siga-nos no Facebook e no Instagram.

Poderá Também Gostar