Pragas e Doenças

Plantas auxiliares que combatem pragas

A escolha de plantas autóctones e plantas melhoradas que se adaptam bem às amplitudes térmicas, diferentes tipos de solo e água disponível, reduzem significativamente a manutenção dos jardins, diminuindo as necessidades hídricas e reduzindo a susceptibilidade a pragas e doenças.

Insetos bons e insetos maus

Extraordinário este conjunto de seres vivos que para além de embelezar, purificar o ar, filtrar os solos e alimentar, cria nichos ecológicos de desenvolvimento microbiológico e animal, nomeadamente zona de desenvolvimento de insetos. E aqui surgem várias questões, “Insetos? Quais os bons e quais os maus? Quais a atrair e quais a repelir?” Existem alguns insetos que são pequenos jardineiros, ajudam no controlo de pragas devastadoras.

Plantas que atraem insetos auxiliares

A Hortelã-pimenta (Mentha piperita), a Calêndula (Calendula officinalis), o Loendro (Nerium oleander) e o Sabugueiro (Sambucus nigra) atraem as joaninhas, grandes predadoras de piolho ou afídio verde – um só exemplar pode devorar centenas destes insetos.

Calêndula.

 

Outras plantas indispensáveis

Funcho (Foeniculum vulgare), a Alfazema (Lavandula sp) e a Hera (Hedera helix) atraem insetos predadores. A saponária (Sapindus saponaria) repele caracóis e lesmas, o tomilho-vulgar (Thymus vulgaris) repele a lagarta da couve, o cravo-túnico (Tagetes erecta; Tagetes patula) e as chagas (Tropaeolum majus) afastam a mosca-branca.

A erva-cidreira (Melissa officinalis), o limonete (Aloysia triphylla), o manjericão (Ocimum basilicum), a erva-príncipe (Cymbopogon citratus), o pelargónio-limão (Pelargonium crispum ‘Variegatum’) e a salva (Salvia officinalis) repelem diversos insetos, incluindo as melgas e moscas tão desagradáveis. A arruda (Ruta graveolens)  repele gatos e formigas e o loureiro (Laurus nobilis) e o trovisco (Daphne gnidium) as toupeiras. O Poejo (Mentha pulegium) repele os tão indesejáveis ratos e também as formigas.

A importância de limpar o jardim no final do inverno

Podemos ter um jardim livre de pragas e doenças adotando práticas preventivas amigas do ambiente. Por exemplo, os esporos patogénicos hibernam sobre os restos vegetais ou no solo, prontos a infetar na próxima primavera. Uma boa limpeza de inverno reduz, consideravelmente, os riscos de contaminação.

É deste modo necessário fazer vigilância constante, e atuando prontamente assim que surja algum sinal de alerta, tendo sempre em vista a promoção do equilíbrio nutritivo e sanando as necessidades hídricas das plantas.

Cuidados ao adquirir sementes ou plantas

  • Escolha sementes certificadas.
  • Plantas ou bolbos bem formados, nutridos (sem folhas pálidas), isentas de pragas e doenças, sem queimaduras solares e sem podridões.
  • As plantas devem apresentar um sistema radicular com raízes brancas ou castanho claro, recusando as plantas que têm raízes compactadas, com desenvolvimento em círculo.
  • Quanto à escolha da relva devemos escolher quer sementes quer tapetes certificados que apresentem variedades tolerantes ao frio, calor, doenças, pragas, salinidade, sombra e tráfego.

Poderá Também Gostar