Plantas

Plantas que evitam o declínio das abelhas

Cosmos

Uma das questões mais urgentes, senão mesmo a mais urgente, que a Humanidade enfrenta atualmente é o declínio das abelhas. Muitas pessoas nunca pensaram nisso, mas as abelhas têm um papel crucial na manutenção do equilíbrio dos ciclos de vida do nosso Planeta.

São estas as responsáveis pela polinização de 70% dos alimentos que ingerimos diariamente. O Planeta está doente, muito doente e as abelhas que vivem em estreita relação com os seus ciclos, são as primeiras a dar o sinal, morrendo ou simplesmente desaparecendo e deixando a colmeia ao abandono com a rainha lá dentro, que sem os cuidados das suas devotas acaba também por morrer. Apontam-se muitas causas à raiz deste grave problema mas todas essas causas acabam sempre por ter na sua origem no ser humano e na sua sede de dinheiro.

Trevo

Tudo começou com a industrialização da agricultura, monoculturas, pesticidas, herbicidas, adubos químicos e o desbravar do novo Mundo com a utilização dos solos sem o mínimo de respeito nem entendimento. Ao que acresce o abuso e violação da Natureza sem nunca ouvir e até escarnecer da relação de respeito e reverência que os povos nativos tinham e têm ainda com os ciclos da Terra. O homem caucasiano pediu a Terra emprestada aos seus avós para agora deixar aos seus filhos um Planeta envenenado que apenas com muita perseverança, muito trabalho e muita luta se poderá desintoxicar.

Cistus

Escolha das plantas

Existem, no entanto, pequenas-grandes coisas que estão ao alcance de todos nós fazer: ao escolhermos plantas para a nossa horta e jardim termos o cuidado de nos informarmos quais serão as preferidas das abelhas, as que produzem grande quantidade de pólen e néctar são sempre as melhores, as aromáticas como os tomilhos, alfazemas, sálvias, alecrim, entre outras. As flores dobradas não servem para as abelhas, pois é-lhes muito difícil chegar ao nectário.

Os cistus, os alliums e vários tipos de cardos além de serem grandes amigos das abelhas, fazem bonitas composições nas bordaduras e nas rocalhas.

Papoila

É importante também escolhermos plantas que floresçam durante o inverno, como os trevos, as alfafas, dente-de-leão, abutilon, várias Málvaceas. Existe um variado leque de plantas que alegram os jardins e as hortas durante esta época do ano, estação em que as flores silvestres escasseiam e a tarefa de alimentar a colmeia se torna mais difícil. Daí ser prática comum e errada entre muitos apicultores alimentarem as abelhas com açúcar durante o inverno, depois de lhes terem retirado todo o stock de mel que estas teriam produzido para se alimentarem durante o tempo frio.

Chagas ou capuchinhas

A varoa é uma das causas do rápido declínio na população destes insetos.

Outra prática comum para tentar eliminar este parasita que a ataca as abelhas é a pulverização/desinfeção das colmeias com antibióticos. Esta prática vai também acabando por enfraquecer o sistema imunitário das abelhas. Os apicultores biológicos fazem a desinfeção com produtos naturais à base de tomilho que é um excelente desinfetante, antifungíco e antiviral.

Anho-casto (Vitex agnus castus)

Boas práticas agrícolas

Outra pequena grande coisa que podemos todos fazer é não consumir alimentos geneticamente modificados, nem de agricultura convencional onde se usa e abusa dos agroquímicos, pois estes são também responsáveis pelo rápido declínio das abelhas.

Centárea (Centaurea sp)

Ao apoiarmos a boas práticas agrícolas, estamos a cuidar ao mesmo tempo da nossa saúde, da saúde das abelhas e da saúde de toda esta grande teia que é a vida no planeta Terra. Em Inglaterra existe já em marcha uma grande campanha de sensibilização para este problema, a que se dá o nome de Bee aware campaign.

Fotos: Fernanda Botelho

Gostou deste artigo? Subscreva o canal da Jardins no Youtube e siga-nos no Facebook e no Instagram.

Poderá Também Gostar