Prepare já o seu verão!

Nada mais alegre que um grupo de maciços de flores anuais que enche de cor o jardim durante os meses quentes. Mas o que é uma planta anual? De uma forma básica, trata-se de uma planta que completa o seu ciclo vital (germinação, desenvolvimento e floração) no mesmo ano. Ou, dito de forma mais clara, a planta que pode utilizar a partir desta altura até às primeiras geadas. Fique a conhecê-las ao longo deste artigo e comece já a preparar o seu verão!

Zínia – Uma boa companhia para as mais altas

Fácil de cuidar e de crescimento rápido, gosta de solos ricos em nutrientes e que drenem bem. Floresce a partir do final da primavera até meados do outono. Quando as flores estiverem murchas, corte o ramo o mais baixo possível. Muito elegante, a Zinia elegans acompanha bem outras plantas mais altas no maciço do jardim.

Cosmos – Proteja os ramos do vento

Espécie pouco exigente, com flores grandes que surgem a partir de junho, o rosa apagado é a sua cor mais comum, embora também exista em branco, laranja, roxo e lilás. Semeie nesta altura em solo húmido a resguardo do vento. Resiste sem problemas a insectos. Durante o dia, as flores atraem muitas borboletas.

Petunia Surfina – Uma cascata de flores

As flores desta surfinia são mais pequenas do que as da surfinia clássica, perfumadas e com ramos compridos que caem em forma de cascata, o que as torna ideais para cestos suspensos. Aguenta bem o Sol quente, embora não deva descurar a rega. No entanto, não deve abusar da água porque pode causar amarelecimento e favorece o aparecimento de todo o tipo de fungos.

Verbena – Um tapete denso

Esta planta forma um denso tapete coberto por folhas de cor grisácea. Em março-abril, coloque sementes a germinar em bandeja quente para transplantar em finais de abril, no exterior, ao Sol onde floresce ao fim de seis semanas. Aplique adubo de libertação lenta e espace as regas o mais possível.

Boca de dragão – Excelente para bordaduras

Em forma de tubo ou trompeta, as suas flores em espiga são uma das suas características. Produz flores entre a primavera e o outono, ao Sol e em terrenos frescos, ricos e trabalhados, com boa drenagem. Desbaste os ramos quando alcançarem 5-6 cm para que produzam mais rebentos e coloque tutores para proteger do vento.

Calêndula – Cor até meados do outono

A resistência e a floração prolongada, assim como o amarelo das flores, dão cor ao jardim no verão que se prolonga até meados do outono. Cresce mais rápido e melhor a Sol pleno. É capaz de se auto reproduzir, embora possa multiplicar por sementes na primavera e no outono.

Cravo túnico – Água contra os ácaros

Fica bem em canteiros e bordaduras mas também pode cultivar em vasos, isoladamente ou junto de árvores e arbustos. Pulverize a planta com água para evitar os ácaros. Proteja a planta do vento.

Agerato – Flores rápidas

Plante em maciço ou jardineira e em pouco tempo oferece uma massa compacta de flores atrativas. Também se destaca em bordaduras baixas. Apenas tem que regar abundantemente quando o tempo for demasiado seco e cortar as flores murchas com regularidade. Pode instalar em qualquer terreno protegido do vento forte, o seu pior inimigo.

Calceolaria – Ideal para vasos

Esta anual necessita local claro para se desenvolver mas não suporta o Sol direto. Começa a florescer na primavera e pode dar flores até ao outono em temperaturas agradáveis. Pode cultivar em maciços ou em vasos e levar a planta para dentro de casa quando chegarem os primeiros frios.

Begónia – Junto das árvores

Sobrevive sem problemas à sombra, o que a torna num excelente recurso quando se querem instalar, por exemplo, maciços junto das árvores. O desenvolvimento é lento e não supera os 3040 cm. Não plante no exterior até passar o risco de geadas e retire as daninhas regularmente.

Impatiens – Sempre no exterior

Apesar de ser muito utilizada como planta de interior, o certo é que o seu potencial – apenas comparado ao da begónia – evidencia-se mais em maciços baixos de zonas sombrias. Gosta de solos húmidos. A partir do final da primavera produz centenas de flores de cores vivas.

Gelosia – Ideal para corte

As flores plumosas são uma das características desta anual. Proporciona uma exibição atrativa nos jardins e as suas flores que perduram no tempo são excelentes para corte e decoração de jarras. A sementeira faz-se na primavera e necessita de solo húmido e drenado.

Chaga – Floração prolongada

Resistente e com hábitos trepadores ou rasteiros, oferece floração prolongada em vermelho e amarelo. Convém moderar o uso de adubos ricos em azoto. Desenvolve-se bem em semi-sombra e deve ser bem regada.

Ideias práticas:
  •  Tenha em conta que as espécies crescem melhor em solo rico e a Sol pleno em vez de terreno menos fértil e com sombra parcial. Tenha em atenção os períodos de floração, de forma a que o desenvolvimento da cor seja contínua.
  • Na maioria dos casos associa-se o maciço de anuais com as zonas soleadas e abertas do jardim, localizações ideais para a criação de ilhas de cor, com a popular petunia ou com plantas como a calêndula ou o gerânio.
  •  Se o seu jardim tem pouco Sol ou possui zonas sobrias recorra, por exemplo, a ageratos ou begónias.
  • Tudo isto pode aplicar-se a bordaduras, alpendres ou terraços, onde alegram os ambientes com o colorido das flores ou a tonalidade das folhas.
A sombra também permite muita cor

Enquanto o Sol aquece intensamente, pode aproveitar também qualquer cantinho sombrio que tenha no jardim para plantar anuais. As plantas protagonistas destas páginas têm fama de ser grandes amantes do Sol mas nem todas o são na realidade. A Natureza, sábia e consciente de que os jardins também têm zonas de sombra, adequou espécies para estes locais.

Cuidados básicos:
  •  Com estas plantas, o principal é a escolha do local para cada espécie. Por exemplo, é muito difícil um maciço de begónias prosperar a Sol pleno. Assim como as petunias ou os gerânios em locais com sombra.
  •  A partir de agora e desde que não existam geadas primaveris, está na altura de plantar em vaso. A petunia e o agerato, requerem bandejas de sementeira devido às suas sementes pequenas e delicadas, enquanto as maiores e mais resistentes como a calêndula devem ser semeadas directamente no terreno.
  • As plantas que se encontram ao Sol devem receber mais água do que as que estão à sombra. Convém controlar as daninhas, eliminar as flores murchas e fazer adubações periódicas.

Foto: GettyImages e Pixabay

Gostou deste artigo? Subscreva o canal da Jardins no Youtube e siga-nos no Facebook e no Instagram

Poderá Também Gostar