Atualidade

Principais doenças de inverno em relvados

O diagnóstico das doenças dos relvados nem sempre é uma tarefa simples. É necessário estar familiarizado com os sintomas típicos e compreender como variam nas diferentes espécies, consoante as práticas de manutenção e as condições edafoclimáticas. Também é preciso estar atento à possibilidade de ocorrência de uma ou mais doenças simultaneamente.

Porque surgem as doenças

O solo é um meio onde se encontram muitos organismos, uns benéficos e outros patogénicos, ou seja, agentes causadores de doenças. Para que uma doença se manifeste, o agente patogénico tem de estar presente, tem de haver um hospedeiro suscetível, e as condições ambientais têm de ser propícias ao desenvolvimento da(s) doença(s). As mudanças de estação são por isso alturas de observação redobrada uma vez que as condições ambientais se alteram e a proliferação de determinados fungos poderá ser favorecida.

Diagnóstico

Para proceder ao diagnóstico, temos de observar criteriosamente tanto a parte aérea como as raízes, para verificar se se trata de um problema abiótico ou biótico, ou seja, se se trata de um problema causado por uma agressão externa ou por organismo patogénico. Para o tratamento, deverá proceder-se ao controlo cultural, entenda-se como todas as operações que podemos realizar para minimizar a ocorrência de doença sem utilizar produtos químicos, mas, por vezes, terá de ser acompanhado de controlo químico recorrendo à aplicação de produtos fitossanitários, que deverão ser recomendados ou aconselhados por um técnico especializado.

Prevenção

A aplicação equilibrada de fertilizantes e de estimulantes de fitoalexinas (substâncias produzidas pelas plantas como mecanismo de defesa natural para combater infeções – tóxicas para bactérias e fungos) é recomendada. Como exemplo temos o fosfito de potássio, que torna as plantas mais resistentes ao ataque de possíveis agentes patogénicos. Ao estimularmos as defesas naturais das plantas, estamos a torná-las mais fortes, logo em situações de stress, como o frio, geada, operações mecânicas agressivas ou tráfego intenso, o relvado fica potencialmente mais resistente às adversidades.

Principais problemas

Abióticos Compactação do solo; seca; lesões provocadas por cortes; queima devido a fertilizantes; queima devido a geada ou gelo; encharcamento do solo; ensombramento; carência de nutrientes; toxicidade devida a produtos fitofarmacêuticos; excesso de salinidade; acumulação de feltro (thatch).

Bióticos Fungos; bactérias; vírus; nemátodes; insetos; roedores.

Roda das bruxas (fairy ring)

A roda das bruxas ou fairy ring reconhece-se pelos anéis circulares de diferentes dimensões que podem ir de 20 a 30 cm a muitos metros de diâmetro. Ocorre frequentemente em solos de areia com elevados teores de matéria.

Ferrugem

As plantas atacadas por ferrugem apresentam folhas com pústulas alaranjadas. Quando o ataque é intenso, a relva amarelece e as plantas enfraquecem e morrem por perda excessiva da humidade das folhas.

Leaf spot

Manchas nas folhas, relvados amarelecidos, diminuição da densidade, crescimento não uniforme são sintomas de um ataque de leaf spot.

Fio vermelho

O fio vermelho manifesta-se no relvado por manchas circulares avermelhadas, apresentando sobre o relvado o micélio do fungo, constituído por fios muito finos de cor rosada a avermelhada; ocorre durante todo o ano, incluindo no inverno.

Fotos: Filipa Mateus de Almeida, Thinkstock

Gostou deste artigo? Siga-nos no Facebook, no Instagram e no Pinterest e subscreva o nosso canal no Youtube.

Poderá Também Gostar