Manutenção Geral

Proteja o seu jardim dos animais de estimação

Os animais domésticos, sobretudo os cães e os gatos, podem tornar-se no pior inimigo do seu jardim ou das suas plantas. Quanto mais novos, mais riscos existem de provocarem danos irreparáveis. Fique a saber o que pode fazer para evitar esta situação.

As plantas e as flores, pelas suas vistosas cores, atraem a curiosidade dos animais. Para eles, uma planta ou um arbusto não é mais do que um brinquedo para divertimento até à destruição total. Não existe sensação pior do que chegar ao jardim e ver as plantas e as flores cultivadas e tratadas com tanto carinho serem reduzidas a destroços em meia dúzia de minutos, após uma série de investidas do cachorro. Claro que agora, pouco ou nada há a fazer. Estas situações devem ser evitadas e não reparadas. Como? Uma vez que o cão é um animal de costumes, o melhor é ensiná-lo desde muito pequeno que não pode destruir as plantas nem esburacar o jardim. É acima de tudo um trabalho de paciência mas com resultados comprovados. De qualquer modo, nesta fase de treino do animal, proteja sempre as plantas sobretudo as mais sensíveis.

Nalguns casos, é suficiente colocar tutores em redor da planta de forma a dissuadir o cão de chegar ao seu objectivo. Mas nunca se fie muito. É que se para alguns animais os tutores são suficientes para os afastar, para outros constituem mais um incentivo Existem no mercado repelentes para cães e para gatos que podem também ser uma alternativa a ter em conta. Trata-se de produtos que actuam sobre a glândula olfativa dos animais que estimulam uma sensação de repulsa. Devem ser aplicados frequentemente nas zonas a proteger até que o animal desista por completo de se chegar a esse local.

Covas

Para além da destruição das plantas e das flores, os cães têm também natural apetência pelos buracos existentes no terreno. Neste sentido, a prioridade é evitar ter no jardim animais que fazer esse tipo de escavações, como as toupeiras e os ratos. É que, qualquer cova ou túnel aberto desperta a curiosidade do cão que não descansa enquanto não levar a escavação até ao fim.

Relvado

O relvado é também objecto das atenções do cão. Sempre com o intuito de brincar, não hesita em desfazê-lo provocando danos irreparáveis. Uma das soluções passa por ter sempre o relvado devidamente aparado mas existem outras como os sensores de movimento que ao serem acionados molham os intrusos. É, no entanto, uma solução bastante mais cara do que a anterior mas se o seu jardim é frequentemente invadido por animais, nomeadamente cães ou gatos abandonados, pode tornar-se muito eficaz.

Outra questão que preocupa muito quem tem animais com acesso ao jardim são os dejetos. Como esta situação é sempre muito difícil de evitar, o mais adequado é ensinar o cão a usar sempre a mesma zona e apenas essa. De preferência, uma zona afastada de plantas ou de flores. Seja qual for a solução que adopte, nunca esqueça que o treino do animal para conviver em harmonia com o jardim e as plantas é o primeiro e provavelmente mais importante passo que deve ser tomado.

Fotos: Pixabay

Gostou deste artigo? Subscreva o canal da Jardins no Youtube e siga-nos no Facebook e no Instagram

Poderá Também Gostar