Plantas e Flores

Ylang-ylang, flor do Paraíso

Quando o sol se levanta nos trópicos e começa a aquecer a terra, as flores de ylang-ylang despertam e exalam notas doces e sensuais, que logo se desvanecem como que adormecidas até à madrugada seguinte. A indústria da perfumaria encontrou nesta flor uma matéria-prima preciosa e única, sem a qual muitos dos mais famosos perfumes não existiriam.

O  ylang-ylang (Cananga odorata) é um arbusto da família das Anonáceas.  Não há unanimidade sobre a sua proveniência, embora se pense que tenha surgido  numa ilha do Índico (havendo teorias entre as ilhas Comores e as Filipinas). Atualmente, o ylang-ylang é largamente cultivado nas ilhas de Madagáscar e da Reunião. Mas o seu cultivo estendeu-se a muitas outras zonas do globo, de Bali à Martinica ou a zonas tropicais húmidas da América Central. O ylang-ylang floresce na sua árvore homónima, que pode atingir alturas consideráveis, com ramagens pendentes como as de um salgueiro-chorão. É nessas ramagens generosas que surgem os cachos de flores amarelas e de aroma delicado, tão cobiçadas para a produção de fragrâncias.

A essência de ylang-ylang e as suas propriedades

A destilação do ylang-ylang oferece-nos uma essência muito particular, usada na aromaterapia ou na perfumaria, mas também serviu na produção da essência de cananga, um produto que, misturado com óleo de coco, se tornou famoso no séc. XIX como produto de beleza para cuidar o cabelo e a pele. Às notas aromáticas do ylang-ylang foram ainda atribuidas propriedades afrodisíacas.  Razão por que existe na Indonésia a tradição de lançar estas flores sobre os leitos nupciais. A maioria dos produtores de fragrâncias recorre geralmente à primeira fase de destilação do ylang-ylang , habitualmente designada por “extra”, onde se revela todo o requinte e subtileza da flor.

O ylang-ylang e os seus perfumes

O ylang-ylang marcou gerações de perfumes, alguns dos quais são produtos icónicos na história da perfumaria. Entre estes, salientamos o Chanel n.º 5 e outros clássicos como o Arpège, de Lanvin; o Cabotine e o Cabochard, de Grès; o Chamade e o Samsara, de Guerlain; o Femme, de Rochas; o Jean Paul Gaultier; o Knowing, de Estée Lauder, entre muitos outros.

Sabia que…

Em línguas nativas do arquipélago das Molucas, ylang-ylang significa “flor das flores”. Na ilha de Bornéu, a população dayak chama-lhe kanonga, que também tem o significado de “flor entre as flores”. Antes de se lhe descobrirem as suas propriedades aromáticas, os indígenas recorriam às suas propriedades curativas e terapêuticas.

Poderá Também Gostar