Plantas

Helleborus, a rosa de Natal

rosa-de-natal

Os Helleborus surpreendem-nos com uma riqueza de flores, no momento em que a natureza parece estar a dormir e o jardim está triste e sem cor. A maior parte das variedades começam a florir em novembro, suportando o frio e a neve. Outras florescem no fim do inverno e continuam a sua floração até à primavera. Após a floração, os Helleborus funcionam como uma ótima planta de cobertura, desde o fim da primavera até ao outono.

A verdadeira rosa-de-natal

Apesar de todas as variedades de Helleborus serem conhecidas na Europa como rosa-de-natal, este nome apenas se aplica a uma espécie, ao Helleborus niger, a verdadeira “celebridade” entre todos os Helleborus. Nativa da Suíça, Áustria e Alemanha, esta variedade prefere zonas de sombra e semissombra.

As suas raízes crescem em profundidade, para encontrar água e nutrientes suficientes para se desenvolverem. A sua floração começa em novembro, altura em que normalmente os jardins começam a perder charme, prolongando-se até março. As flores, que abrem em branco, amadurecem para cor-de-rosa à medida que o inverno chega e a temperatura baixa. As flores mantêm-se sempre acima da folhagem, proporcionando um efeito fantástico.

SP Frilly Isabelle (Helleboros x hybrid )

Outras variedades de Helleborus

Outras variedades de Helleborus têm vindo a ganhar popularidade, nomeadamente os híbridos. Com um elevado número de formas e cores, estas variedades também aparecem na época fria, apesar de começarem a florir em janeiro, prolongando-se até à primavera (dependendo do clima e das variedades).

As novas variedades provêm, entre outras, de cruzamentos entre a rosa-de-natal (Helleborus niger) e espécies de Helleborus mediterrânicas, combinando as melhores qualidades de ambos os pais. O seu charme e capacidade de resistir às temperaturas baixas do inverno provêm do Helleborus niger enquanto a capacidade de aguentar o sol quente de verão provem das variedades mediterrânicas (Helleborus x ericsmithii, Helleborus x nigercors e Helleborus x ballardiae).

Fotos: Pixabay

Gostou deste artigo? Subscreva o canal da Jardins no Youtube e siga-nos no Facebook e no Instagram.

Poderá Também Gostar