Plantas Ornamentais

Ácer: para um outono espetacular

O género Ácer compreende cerca de 200 espécies de árvores e arbustos de folhas caducas, simples ou compostas, geralmente lobuladas e divididas que, em muitas ocasiões, durante o outono, antes de cair, se tingem de tons amarelos, laranjas e avermelhados.

Entre os mais apropriados para o jardim, destaca-se o ácer menor (Acer campestre), de crescimento lento, com a copa arredondada. O ácer real (A. platanoides) é muito duradouro e resistente a contaminações e apresenta muitas variedades com folhagem de cores animadas como “Krimson King”, em vermelho vivo. O falso plátano (A. pseudoplatanus) destaca-se pelas folhas dentadas e a boa resistência ao frio e ao vento. A variedade “Atropurpureum” tem folhas de cor púrpura nas costas.

Se pretende um exemplar de porte compacto, até para cultivar em vaso, os áceres japoneses (A. japonicum) são perfeitos com as folhas espalmadas que adquirem a tonalidade carmesim no outono. O Acer palmatum tem forma arredondada e porte arbustivo.

Guia de cuidados

Localização

Para todos os gostos. Enquanto algumas espécies adoram o Sol pleno, os áceres campestres preferem a exposição Sol/sombra. Mas os áceres japoneses crescem melhor à sombra.

Terreno

Fresco e rico. Crescem bem em quase todos os solos mas preferem os que conservam alguma humidade, sem no entanto estarem encharcados. Os solos ricos, com abundante matéria orgânica, entre ácidos e calcários, são os preferidos dos áceres.

Plantação

Outono ou primavera. Se comprar exemplares cultivados em vaso ou em raizame, deve plantar no 0utono ou na primavera. Mas também pode adquirir plantas com a raiz nua.

Manutenção

Rega e poda. Nos primeiros anos e na época de seca, regue sem encharcar. Embora não necessitem poda periódica, convém eliminar a madeira seca. Proteja também os mais jovens das geadas tardias.

Como combater e prevenir doenças

Folhas pegajosas? Pulgões

Ao chupar a seiva,os pulgões provocam danos directos e indirectos porque sobre o melaço que segregam se instalam fungos. O principal sintoma são as folhas encarquilhadas e pegajosas.  SOLUÇÃO: Em caso de ataque massivo recorra a insecticidas.

Debilitada? Armilária cor de mel

Este fungo do solo (Armillaia mellesa), que ataca em outonos chuvosos, pode ser mortal. Por vezes surgem lesões junto da raiz e as folhas ficam amareladas. Quando não atacado a tempo,  as partes aéreas apodrecem. SOLUÇÃO: Ao plantar, observe com atenção os exemplares  e retire tudo o que apresentar danos nas raízes. Na primeira fase, pode combater a Armillaria com fungicida.

Ramos secos? Antracnosis

A primavera, outono e inverno são as épocas em que esta doença fúngica pode surgir. Provoca a debilidade progressiva  e a deformação dos ramos. Os sintomas são manchas  negras nas folhas. SOLUÇÃO: Elimine rapidamente as folhas e os ramos com sintomas, queimando-os. Os fungicidas apenas são eficazes se a doença não se encontrar muito avançada.

Folhagem comida? Lagartas

Certos insetos e lagartas de algumas borboletas atacam nas noites de tempo seco e quente. Pode não ser grave mas provocam danos estéticos. SOLUÇÃO: Mantenha os arredores das árvores livres de daninhas onde se podem ocultar e retire com as mãos os ovos e as lagartas. Pode utilizar inseticidas.

Fotos: GettyImages

Gostou deste artigo? Subscreva o canal da Jardins no Youtube e siga-nos no Facebook e no Instagram.

Poderá Também Gostar