XXVIII Exposição de Camélias do Porto

Local: Porto Data: 2 a 3 de março A Associação Portuguesa das Camélias (APC), entidade sem fins lucrativos, criada em 2008, visa proteger a camélia como património biológico e cultural de Portugal. Neste sentido, o estudo e a promoção da Camélia de Origem Portuguesa têm um papel central. Procuramos congregar todos os interessados em camélias, nomeadamente proprietários de jardins com coleções históricas, colecionadores, simples amantes da flor, profissionais (floricultores, arquitetos paisagistas, jardineiros…), instituições de investigação e entidades ligadas à valorização de património.  A APC promove, ainda, a disseminação de informação sobre o cultivo e preservação de camélias, a pesquisa histórica, científica e hortícola. Tendo em vista o aumento da popularidade da camélia, são fomentadas exposições (cerca de dez anualmente) e outras atividades culturais.

XIII Festival Internacional de Camélias

Local: Lousada Data: 9 a 10 de março A Associação Portuguesa das Camélias (APC), entidade sem fins lucrativos, criada em 2008, visa proteger a camélia como património biológico e cultural de Portugal. Neste sentido, o estudo e a promoção da Camélia de Origem Portuguesa têm um papel central. Procuramos congregar todos os interessados em camélias, nomeadamente proprietários de jardins com coleções históricas, colecionadores, simples amantes da flor, profissionais (floricultores, arquitetos paisagistas, jardineiros…), instituições de investigação e entidades ligadas à valorização de património.  A APC promove, ainda, a disseminação de informação sobre o cultivo e preservação de camélias, a pesquisa histórica, científica e hortícola. Tendo em vista o aumento da popularidade da camélia, são fomentadas exposições (cerca de dez anualmente) e outras atividades culturais.

XVIII Festa Internacional das Camélias

Local: Celorico de Basto Data: 16 a 17 de março A Associação Portuguesa das Camélias (APC), entidade sem fins lucrativos, criada em 2008, visa proteger a camélia como património biológico e cultural de Portugal. Neste sentido, o estudo e a promoção da Camélia de Origem Portuguesa têm um papel central. Procuramos congregar todos os interessados em camélias, nomeadamente proprietários de jardins com coleções históricas, colecionadores, simples amantes da flor, profissionais (floricultores, arquitetos paisagistas, jardineiros…), instituições de investigação e entidades ligadas à valorização de património.  A APC promove, ainda, a disseminação de informação sobre o cultivo e preservação de camélias, a pesquisa histórica, científica e hortícola. Tendo em vista o aumento da popularidade da camélia, são fomentadas exposições (cerca de dez anualmente) e outras atividades culturais.

Curso | Poda do olival

Pretende-se que nesta formação adquira conhecimentos sobre o porquê das podas das oliveiras, as suas épocas, os tipos de podas, tais como: Poda de formação, Poda de produção, Poda de rejuvenescimento e os seus objetivos. Numa dimensão mais prática, irá aprender sobre os utensílios necessários à poda e os seus cuidados, distinguir os ramos de madeira e de frutificação, e ainda os cuidados fitossanitários a ter, após a poda. Local: Plataforma B-learning Datas: 20 a 23 de março de 2024 Data-limite de inscrição: 19 de março de 2024 Sessão Síncrona:  20 de março, das 18h00 às 20h00; Aulas Presenciais:  23 de março, das 10h00 às 16h00; Local Aula Presencial:  Alcanena/Santarém Veja o programa completo e inscreva-se aqui.

III Exposição de Camélias da Cidade da Maia

Local: Maia Data: 23 a 24 de março A Associação Portuguesa das Camélias (APC), entidade sem fins lucrativos, criada em 2008, visa proteger a camélia como património biológico e cultural de Portugal. Neste sentido, o estudo e a promoção da Camélia de Origem Portuguesa têm um papel central. Procuramos congregar todos os interessados em camélias, nomeadamente proprietários de jardins com coleções históricas, colecionadores, simples amantes da flor, profissionais (floricultores, arquitetos paisagistas, jardineiros…), instituições de investigação e entidades ligadas à valorização de património.  A APC promove, ainda, a disseminação de informação sobre o cultivo e preservação de camélias, a pesquisa histórica, científica e hortícola. Tendo em vista o aumento da popularidade da camélia, são fomentadas exposições (cerca de dez anualmente) e outras atividades culturais.

Moção em Flor de Camélia

Evento: Exposição de camélias Local: Monção Data: 6 a 7 de abril A Associação Portuguesa das Camélias (APC), entidade sem fins lucrativos, criada em 2008, visa proteger a camélia como património biológico e cultural de Portugal. Neste sentido, o estudo e a promoção da Camélia de Origem Portuguesa têm um papel central. Procuramos congregar todos os interessados em camélias, nomeadamente proprietários de jardins com coleções históricas, colecionadores, simples amantes da flor, profissionais (floricultores, arquitetos paisagistas, jardineiros…), instituições de investigação e entidades ligadas à valorização de património.  A APC promove, ainda, a disseminação de informação sobre o cultivo e preservação de camélias, a pesquisa histórica, científica e hortícola. Tendo em vista o aumento da popularidade da camélia, são fomentadas exposições (cerca de dez anualmente) e outras atividades culturais.

Visita cultural | À descoberta das maravilhas de Portugal – Paisagens e tradições do Alentejo

De Alter do Chão ao Alqueva Apesar das suas reduzidas dimensões, o Alentejo oferece-nos paisagens e realidades muito diversificadas entre as suas regiões. Se no Alto Alentejo encontramos paisagens entrecortadas com montes e colinas, nas suas zonas mais a sul a planície estende -se até ao horizonte. Nesta viagem, apresentamos-lhe as características e tradições mais emblemáticas do Alto Alentejo, viajando depois mais para sul, até à Barragem do Alqueva que recentemente transformou parte da paisagem da região. Em Alter-do-Chão, não poderíamos deixar de visitar a Coudelaria de Alter, onde o puro cavalo lusitano é rei. Atravessando a Serra d’Ossa, iremos visitar o castelo de Évoramonte, belo exemplar da arquitetura militar gótica do séc.XII, e provar os famosos vinhos alentejanos da Herdade do Esporão. A nossa incursão até à zona mais a sul, irá levar-nos até à Barragem do Alqueva, cuja imensidão impressiona qualquer visitante, bem como à vila medieval de Monsaraz. Mais o mais importante de uma região são as pessoas e as suas tradições, e por isso mesmo visitaremos também uma olaria tradicional, uma quinta especialmente dedicada ao turismo de natureza e o Centro de Interpretação do Tapete de Arraiolos, arte tão emblemática do nosso país. Três dias verdadeiramente […]