Pragas e Doenças

Ascoquita da ervilha

Ascoquita da ervilha

Saiba quais são as principais características desta doença e como combatê-la.

Designações da doença

Mancha de Ascochyta, Ferrugem da ervilha, ferrugem das leguminosas, Antracnose, “raiva”, (Mycosphaerella pinodes Berk & Bloxam = Ascochyta pinoides ou Didymella pinodes).

Características

Doença causada por fungos (Ascomycete) que aparecem nas zonas temperadas.

Ciclo biológico

Este fungo consegue sobreviver nos resíduos deixados pelas ervilheiras do ano anterior e mantém-se no solo. Assim que as temperaturas estejam favoráveis (15-25ºC), os ascósporo libertam-se para o ar e a infeção dá-se em 2-4 dias (geralmente na primavera e no outono). É preciso que a folha esteja húmida (humidade relativa maior que 90%), pelo menos duas horas, para se dar a germinação do ascósporo.

Plantas mais sensíveis

Ervilhas, grão-de-bico, lentilha, feijão e favas.

Danos/sintomas

As lesões aparecem nos caules, folhas e vagens. As primeiras manchas que aparecem são pequenas (5 mm), de forma circular, oval ou alongadas e irregulares ligeiramente deprimidas. As manchas vão alargando (até 8 mm) e ficam de cor acastanhada-negra e formam pequenos anéis mais claros no seu interior, chegando aos pecíolos e caules, ficando ligeiramente azuladas. As sementes também podem ser afetadas, causando lesões no colo e nas raízes, levando a morte das plantas jovens.

A infeção floral, começa com lesões minúsculas nas pétalas que levam à senescência muito rapidamente e um desenvolvimento desigual das “veias”. Os danos podem ser muito elevados, conforme o grau de infestação e o momento em que se dá a contaminação. As ervilhas podem não se formar ou perder peso e com isso reduzir drasticamente a produção.

Prevenção/aspetos agronómicos

Fazer rotações superiores a 5 anos; Limpar os restos das culturas; Usar sementes saudáveis e tratadas; semear em zonas mais secas; evitar regas por aspersão; utilizar cultivares resistentes; semear no início da primavera; evitar áreas com azoto em excesso; diminuir a densidade de plantação; destruir (queimar ou compostar) as plantas infetadas; mondar as ervas infestantes e plantar em terrenos com boa drenagem.

Combate biológico

Os fungicidas com cobre, também podem combater este fungo.

Luta química biológica

Não existe.

Foto: GettyImages

Gostou deste artigo? Subscreva o canal da Jardins no Youtube e siga-nos no Facebook e no Instagram.

Poderá Também Gostar