Plantas Ornamentais

Orquídeas Cymbidium: o primeiro amor

Começam a florir quando o verão se despede e as suas florações prolongam-se até ao final da primavera. Com a grande variedade de híbridos que existe hoje no mercado, podemos ter Cymbidium floridos durante todo o ano.

São as orquídeas favoritas dos portugueses e quem tem um jardim,uma varanda aberta,

um terraço ou outro qualquer espaço exterior pode, sem quaisquer problemas, ter bonitas florações destas orquídeas asiáticas.

Cymbidium American Beauty

 

Distribuição geográfica

Estão espalhadas por toda a Ásia, desde a Índia, China, Japão, Filipinas, Malásia, Tailândia, Camboja, Vietname, Bornéu e tantos outros países e ilhas até ao Norte da Austrália. O género é constituído
por pouco mais de cinco dezenas de espécies que crescem em zonas de clima tropical e subtropical, tanto em zonas de planície como em zonas montanhosas, a grandes altitudes.

A maior parte cresce em zonas onde as temperaturas podem atingir valores muito baixos. Esta grande amplitude térmica torna-os excelentes para se adaptarem ao clima do
nosso País, podendo ser cultivados no exterior durante todo o ano. É o segredo do seu sucesso.

A primeira espécie deste género, o Cymbidium aloifolium, foi descrita pela primeira vez em 1799, mas os chineses já os cultivavam há milhares de anos. Na Europa, tornaram-se muito populares no século XIX pela facilidade de cultivo e por florirem no inverno, quando a maior parte das plantas está sem flores.O primeiro híbrido, o Cymbidium veitchii, foi produzido em 1889 com o cruzamento de um Cymbidium eburneum com um Cymbidium lowianum. Desde essa altura até aos dias de hoje foram criados muitos milhares de cruzamentos, resultando em híbridos espetaculares, com cores e tamanhos nunca vistos e admirados por legiões de apaixonados por este género de todo o mundo.

Cymbidium Isle Flamingo

Cuidados de cultivo

Em Portugal, a principal queixa dos cultivadores de Cymbidium é a falta de espaço. As plantas atingem tamanhos consideráveis, em média cerca de 60 cm de altura, formando grandes touceiras em poucos anos.
Os Cymbidium florescem melhor se plantados em vasos e devem ser reenvasados a cada dois ou três anos. Gostam de estar apertados, não devemos usar vasos grandes para plantas pequenas com o risco de termos plantas sem flores durante muitos anos. Mas se forem cultivadas em substrato próprio para orquídeas, se usar uma mistura com casca de pinheiro para Cymbidium e assegurar uma boa drenagem, as plantas constituídas por pseudobolbos de tamanhos variáveis num instante enchem um vaso.

Nessa altura, muda-se a planta para um vaso um pouco maior ou divide-se a planta em várias, deixando sempre pelo menos três pseudobolbos em cada planta. As regas devem ser abundantes e semanais, mas as plantas não devem ficar encharcadas. Os pratos debaixo dos vasos podem acumular água e apodrecer as raízes. Uma ou duas vezes por mês, devemos aplicar um fertilizante para orquídeas na água de rega.

Características

Quando saudáveis, as plantas têm uma cor verde-escura sem manchas. Preferem ser colocadas num lugar à sombra, sem sol direto nas horas de mais calor. Preferencialmente protegidas de chuvas intensas ou geadas. As hastes florais variam muito em tamanho e em quantidade de flores. Também estas podem ter vários tamanhos dependendo do tipo de Cymbidium. Em média, duram cerca de dois meses abertas.

Há hastes que crescem na vertical e outras que são pendentes, as chamadas “Cascata”. São, dentro das orquídeas, o primeiro amor de muitos orquidófilos. As florações abundantes, a facilidade de cultivo e a enorme variedade ajudam bastante a manter a paixão acesa. E, por mais que se diga, há sempre espaço para mais um.

Dentro dos Cymbidium, há algumas espécies a que chamamos “os Cymbidium chineses” cujas plantas são mais pequenas. Dão menos flores por haste, por vezes até uma única flor, e são menos resistentes a temperaturas muito baixas. São somente cinco ou seis espécies e, no género Cymbidium, constituem a secção Jensoa. Estes, por terem outras características, têm um grupo de cultivadores mais restrito, talvez mais conhecedor e mais especializado.

O género é constituído por cinco dezenas de espécies que crescem em zonas de clima tropical e subtropical.

Gostou deste artigo? Subscreva o canal da Jardins no Youtube e siga-nos no Facebook e no Instagram.

Poderá Também Gostar