Plantas

Hemerocallis, flores que duram apenas um dia

O género Hemerocallis compreende cerca de 20 espécies perenes e rústicas que possuem rizoma e folhas estreitas, cintadas e agrupadas na base. Pertencem à família das Liliáceas e por isso são parecidas com as açucenas (Lilium sps.).

As flores apresentam forma de trompeta ou de estrela e resistem apenas duram um dia. No dia seguinte, são substituídas por outras e a floração avança continuamente durante várias semanas entre o início e o final do verão.

Existem variedades altas, que podem alcançar um metro de altura e que são ideais para plantar no jardim, em maciços ou canteiros. Mas também há espécies anãs que não superam 30 cm de altura, mais adequadas para o cultivo em recipientes. Uma das grandes vantagens dos hemerocallis é a longevidade. Se os colocar ao Sol, fizer divisões de vez em quando e adubar anualmente com estrume bem decomposto, podem permanecer no jardim durante vários anos, florescendo sem parar.

Guia de manutenção

Localização

Sol ou sol/sombra. Quanto mais Sol receberem mais flores darão e com perfume mais intenso. Também toleram a meia sombra, sobretudo as variedades de cores suaves, como creme ou rosa pálido. Crescem em todos os climas porque aguentam bem o calor e o frio, embora a temperatura ideal seja entre os 14 e os 20º.

Terreno

Profundo e rico. Gostam de solos húmidos mas com boa drenagem, férteis e ricos em húmus. Como podem permanecer muitos anos na terra, esta deve ser profunda. Ao plantar, junte composto caseiro e estrume bem decomposto.

Plantação

Primavera ou outono. Pode plantar durante todo o ano, inclusive quando estão em fl oração, desde que adquiridas em vaso. Os meses mais propícios à plantação são setembro ou março/abril, quando se vendem os rizomas, que deve colocar rente ao solo. Deixe 40 a 50 cm de separação.

Rega

Regular. Não gostam de solos secos, nem dos que estão permanentemente húmidos. Regue sobretudo as espécies recém-plantadas ou todas se o verão se apresentar seco e quente. Não encharque muito a terra e regue ligeiramente.

Outros cuidados

Adubo na primavera

Na primavera aplique estrume bem decomposto. Elimine as flores á medida que murcham para evitar que germinem, assim como as folhas e outras partes estragadas. Adube com fertilizante equilibrado de 15 em 15 dias, enquanto se formam os botões florais.

Multiplicação por divisão

No início do outono ou da primavera extraia as matas e com a navalha ou as mãos, divida a planta, deixando as partes centrais dos rizomas e as mais envelhecidas. Plante depois as porções, cobrindo com uma boa capa de terra vegetal. Esta operação permite ainda rejuvenescer os maciços.

Como prevenir e curar doenças

Caracóis? Coloque armadilhas

As folhas atraem lesmas e caracóis que podem surgir depois de regas copiosas ou chuva intensa. Provocam danos estéticos ao mordiscar as folhas, deixando um rasto brilhante, que são os excrementos. SOLUÇÃO: coloque entre as plantas pratos com leite ou cerveja, onde cairão atraídos pelo odor, acabando por se afogar. Para impedir que passem para os maciços aplique serradura à volta destes.

Botões roídos? Fumigue com inseticida

As larvas de Cecidomia sentem especial atração pelos botões florais dos hemerocallis e podem destruí-los mesmo antes de abrirem. SOLUÇÃO: corte rapidamente os botões florais estragados, porque as larvas podem esconder-se neles. Depois, fumigue com inseticida mas evite esta operação quando a planta está em flor.

Folhas estragadas? Fungos

A planta pode ser afetada por um dos três fungos que provocam a morte das folhas: Collectotricum causa riscas castanhas no centro da folha; Aureobasydium provoca uma manha avermelhada; Colleocephacus provoca riscas castanhas. SOLUÇÃO: trata-se de um problema estético. Soluções biológicas, como o enxofre, são recomendáveis. Mas em caso de ataque avançado, tem que podar as zonas mais estragadas e recorrer a fungicida.

Falta de flores? Bolbo podre

Como têm rizoma, os hemerocallis podem ser afetados pela doença do apodrecimento do bolbo, que surge por excesso de humidade e pode provocar a morte. SOLUÇÃO: o solo deve ter boa drenagem. Em caso de infestação, desenterre a mata, divida-a e volte a plantar as secções mais saudáveis, aplicando antes fungicida.

Ambiente seco? Atenção à cochonilha

Nos ambientes secos podem surgir cochonilhas, insetos que chupam a seiva, debilitando a planta. Observe de perto a planta e se vir carapaças brancas ou castanha, trata-se da presença de cochonilhas. SOLUÇÃO: se forem poucas, elimine-as com algodão impregnado em álcool ou borrife a planta com a mesma solução. Em caso de ataque em massa, recorra a inseticidas.

Fotos: Pixabay

Gostou deste artigo? Subscreva o canal da Jardins no Youtube e siga-nos no Facebook e no Instagram.

Poderá Também Gostar