Plantas Ornamentais

Hera vs vinha virgem: qual escolher?

Num jardim somos muitas vezes confrontados com paredes ou muros que gostaríamos de camuflar ou cobrir completamente, seja por serem muito altos, seja por estarem feios ou degradados. A minha sugestão deste mês é revelar as diferenças entre a hera e a vinha virgem, avaliar os prós e os contras da utilização de cada uma e ajudar a fazer a escolha acertada para o seu jardim.

Hedera Helix

Hera

A Hedera helix é uma trepadeira de folha persistente cuja variedade mais comum tem a folha verde escura e brilhante. Cresce bem em todo o tipo de solos e emite umas radiculas a partir do caule que agarram fortemente, tanto o substrato como as superfícies que trepa, não precisando de suporte. Pode estar ao sol ou à sombra mas prefere locais mais sombrios e húmidos desde que não encharquem.

Dentro das Hederas encontramos dezenas de variedades diferentes, com folhas variegata, outras mais recortadas, mais pequenas e menos vigorosas que podem servir para cobrir pequenos muros ou para revestir pequenos canteiros. O crescimento é menos vigoroso do que o da vinha virgem, sendo mais fácil de controlar.

Vantagens
  • Plantar em qualquer exposição solar mas cresce muito bem em locais mais sombrios.
  • Utilização: revestimento de muros, cobertura de solo, controle de erosão dos taludes.
  • Particularidade: folha persistente verde escura e brilhante.
Desvantagens
  • Poda regular para controlar o crescimento.
  • Com o tempo os caules tornam-se lenhosos.
  • É mais agressivo para os muros do que a vinha virgem.

Vinha virgem

A vinha virgem é uma trepadeira de folha caduca, extremamente vigorosa e muito decorativa no outono, quando as suas grandes folhas verdes e lustrosas se transformam numa gama de tons avermelhados, por vezes espetaculares. Se o crescimento não for controlado e se tiver condições de terreno para crescer, a vinha virgem pode transformar uma parede de um prédio alto num muro de folhagem, atingindo alturas superiores a 30 m.

Existem duas espécies diferentes nos jardins, a Parthenocisus tricuspidata, com folhas mais brilhantes mas de menor dimensão e que conseguem agarrar à parede pelas pequenas ventosas que emitem os rebentos novos. A Parthenocisus quinquefolia, com folhas compostas formadas por cinco folíolos serrilhados e que possuem gavinhas semelhantes às videiras que se entrelaçam facilmente numa rede ou aramada.

A coloração das folhas é mais exuberante na quinquefolia mas tem a desvantagem de não agarrar facilmente às paredes sem suporte. A vinha virgem é muito resistente a pragas e doenças adaptando-se a todo o tipo de solos e exposição solar. Dado o rápido crescimento, necessita de podas regulares para não se tornar invasora.

Vantagens
  • A Parthenocissus tricuspidata forma umas pequenas “ventosas” que colam facilmente à parede.
  • Plantação em todo o tipo de solos.
  • Crescimento: muito rápido.
  • Utilização: cobertura de muros altos, edifícios ou pérgolas.
  • Particularidade: folhas verdes e lustrosas que se transformam em vermelhas no outono. Nos locais mais frios pode fazer um efeito espetacular.

Desvantagens
  • A Parthenocissus quinquefolia necessita de suporte para se entrelaçar.
  • São plantas de folha caduca deixando os muros despidos no inverno.
  • O crescimento vigoroso impõe um controle regular dos novos rebentos.

Fotos: Thinkstock

Gostou deste artigo? Siga-nos no Facebook, no Instagram e no Pinterest e subscreva o nosso canal no Youtube

Poderá Também Gostar