Manutenção Geral

35 sugestões para regar menos

Colocar gravilha no solo, escolher espécies tolerantes à seca ou fazer boas coberturas são soluções que funcionam quando o objetivo é poupar água. Fique com algumas sugestões para regar menos.

1- Melhore o terreno

Para que as qualidades nutritiva e filtrante do terreno sejam óptimas faça melhorias no solo antes de plantar. Aplique composto, de preferência doméstico e cave primeiro o solo, remexa-o bem e misture o adubo orgânico.

2- “Mulch” de relvado

Uma boa cobertura de ervas enriquece o terreno e contribui para o manter húmido durante mais tempo. Pode rodear as plantas com as ervas cortadas mas assegure-se que estão bem secas e humedeça o solo antes da aplicação.

3- Gel para guardar a humidade nos vasos

Nos centros de jardinagem pode encontrar gel específico para misturar com o substrato que tem como função guardar uma parte da água até que esta seja necessária à planta. Trata-se de uma solução muito eficaz em caso de ausência por alguns dias.

4- Invista num bom sistema de rega

Os sistemas automáticos de rega localizada ou por gota-a-gota rentabilizam a água, administrando apenas a quantidade que necessita cada planta. Alguns equipamentos têm um sensor de humidade, que activam a máquina apenas quando o solo assim o exige. Podem ser programados por dias, semanas e horas.

5- Água do aquário

A água sem sal de cozer as verduras contém nutrientes benéficos para o crescimento das plantas. Utilize esta água para regar. Também pode aproveitar a água dos jarros e dos aquários, inclusive a de cozer ovos, mas neste caso aplique-a apenas nas espécies acidófilas como camélias e azáleas.

6- Aproveite a água dos vasos

Se colocar alguns vasos debaixo dos cestos pendentes, estes servem para recolher a água da rega que acaba quase sempre por cair no chão. Desta forma pode aproveitar a água.

7- Garrafa perfurada

Encha uma garrafa de água, faça-lhe furos na tampa e coloque-a de boca para baixo no substrato. Funciona como um sistema gota-a-gota soltando lentamente a água.

8- Nem uma daninha

Elimine as daninhas sempre que surgirem para que não entrem em competição por água e nutrientes com as outras plantas. Para que não se reproduzam, arranque pela raiz.

9- Regue por ordem de importância

Em caso de carência de água, estabeleça uma ordem de prioridades. As espécies recém-plantadas e as sementeiras são as primeiras. A seguir, fruteiras e vegetais e, por último, árvores e arbustos estabelecidos.

10- Utilize hidrojardineiras

As hidrojardineiras estão dotadas de um depósito que vai humedecendo o substrato pouco a pouco. E não são muito mais caras que as dos recipientes normais. Permitem utilizar apenas a quantidade de água estritamente necessária.

11- Vasos à sombra

Se levar os vasos para a sombra sempre que as previsões meteorológicas anunciem temperaturas demasiado elevadas consegue reduzir a quantidade de água evaporada. As plantas obtêm luz suficiente para se manterem saudáveis mas não secarão tão rápido como se estivessem a Sol pleno.

12- Faça alporques

Escave uma pequena depressão em redor de cada planta para que a água se mantenha armazenada. Se formar uma fila com vários exemplares da mesma espécie, uma sebe por exemplo, faça apenas um fosso que as rodeie e que permita que a água chegue a todas.

13- Substitua as que têm muita sede

Substitua as plantas que mais rega requerem por outras que se conformem com menos. Por exemplo, mude petúnias por lavandas ou hipericão.

14- Doses baixas de adubo

No verão, é aconselhável não ter mão pesada no fertilizante que aplica com a água da rega. Com doses quinzenais e metade da concentração, as plantas ficam bem nutridas e frescas.

15- Corte o relvado mais alto

Embora comece a secar com a subida da temperatura, o relvado recupera muito rápido após uma seca. Por isso, não dê prioridade ao relvado ao regar. Corte mais alto e areje a relva para manter as raízes húmidas.

16- Forre os vasos de terracota

Como a terracota é porosa, o composto seca mais rapidamente neste tipo de recipientes. Forre o interior com plástico para poupar água e faça um furo de drenagem no fundo. Recorde-se que os maiores requerem menos rega que os pequenos.

17- Coloque as plantas sobre uma esteira

Cubra a tampa de uma mesa com polietileno e coloque por cima um pano de flanela. Humedeça o pano e coloque os vasos por cima. Estes absorvem a água à medida que necessitam, através do orifício do fundo.

18- Escolha espécies autóctones

As plantas autóctones são as que menos rega necessitam porque estão melhor adaptadas ao meio em que crescem. Entre as árvores e arbustos destacam-se o azevinho, o loureiro e o viburno. Entre as espécies de flor, aloé, calêndula e cerastium. Como trepadoras, glicínia, madressilva e begónia.

19- Alternativas ao relvado

Como o relvado necessita mais água que outras plantas, para poupar, substitua a relva por soluções que não requerem rega, como pavimentos ou revestimentos de gravilha. Se não pretende renunciar à vegetação, opte por plantas rasteiras.

20- Cones cerâmicos

São artefatos que se enchem com água e se introduzem nos vasos como forma de auto-rega. A rega faz-se por capilaridade diretamente nas raízes e de acordo com o tamanho do cone e o tipo de planta, necessitam entre um quarto e um litro de água por semana.

21- Vaso enterrado

Com este truque fácil, proporciona a água direta e de forma doseficada às plantas. Encha de gravilha um vaso com furos de drenagem e enterre o mais próximo possível do exemplar. A água filtra lentamente e chega directa às raízes sem ser absorvida pela terra circundante.

22- Cobertura

Uma capa de palha, casca de pinho, gravilha ou outro material isolante, evita a evaporação da água e conserva húmida a terra que rodeia as raízes durante o tempo que a planta necessita para absorver a água.

23- Mais humidade com copo de vidro

Para humedecer a atmosfera que rodeia as espécies de interior, coloque um copo cheio de água no substrato. Quando se evapora, o líquido actua como humificador da planta.

24- Armazene a água da chuva

Recolha e armazene a água da chuva para regar as suas plantas Além de gratuita é bastante benéfica para as plantas.

25- Evite o excesso de alimentação

O excesso de azoto na terra aumenta o consumo de água. Utilize adubos orgânicos como estrume de guano e prefira os de libertação lenta aos solúveis. Duram mais no solo e são mais económicos.

26- Forme grupos segundo as necessidades

Criar grupos densos de plantas permite microclimas capazes de reter a humidade, dar sombra ao solo, proteger os exemplares pequenos do vento e reduzir o aparecimento de daninhas. Reúna as plantas de acordo com as necessidades hídricas.

27- Cave em profundidade

Se vai criar maciços de flores da época, vivazes ou arbustos, prepare o terreno, cavando profundamente o solo. As reservas de água crescem o que permite espaçar as regas.

28- Escolha bem o substrato

Alguns substratos aumentam a retenção da água, permitindo que se criem microdepósitos que vão abastecendo os cultivos.

29- Barreiras para as pendentes

Os terrenos em pendente são mais difíceis de manter húmidos porque a água escorre para a zona inferior. Para ultrapassar esta dificuldade, enterre uma bordadura de plástico com cerca de 20 cm em redor da planta ou faça um alporque na parte superior da planta.

30- Mechas de algodão

Introduza o extremo de uma mecha no substrato de um vaso e o outro num recipiente com água, mantendo-a tensa. Até chegar à terra, a água passa por um processo de filtragem.

31- Vasos pequenos num grande

Agrupe os vasos pequenos num grande. Coloque os vasos sobre uma esteira capilar húmida ou sobre uma capa de gravilha coberta de água e rodeie com papel de jornal molhado. Este sistema ajuda a manter a humidade por mais tempo.

32- Controle os gastos

Uma forma de economizar a água é conhecer a quantidade que o jardim necessita. Para isso, utilize pulviómetros e medidores de humidade e regue em finção das medições efectuadas.

33- Escadas nos desníveis

Quando existe um talude, uma das soluções é cobri-lo com vivazes. Mas consomem muita água por isso se a ideia é poupar, o melhor é construir uma escada.

34- Recorra a sebes

Se plantar espécies decorativas como sardinheiras debaixo de grandes sebes, assegura a sombra e a humidade necessária.

35- Cortinas corta-ventos

Se há algo que seca as plantas em pouco tempo é o vento forte e quente. As folhas perdem água, o que obriga a regas mais frequentes. Para proteger as plantas da canícula, coloque sebes ou corta-ventos á base de caniço ou bambu.

Fotos: GettyImages

Gostou deste artigo? Subscreva o canal da Jardins no Youtube e siga-nos no Facebook e no Instagram.

Poderá Também Gostar