Plantas Ornamentais

Já conhece a orquídea-bambu?

Quem já visitou a ilha da Madeira conhece certamente estas belas orquídeas. As temperaturas amenas, quase tropicais, da ilha e o gosto dos habitantes por flores favoreceram a sua conquista e propagação pelos quintais e jardins madeirenses.

O facto do período de vida das flores ser muito efémero pode desanimar alguns, mas ao olhar dos orquidófilos só as tornam mais raras e especiais.

A origem destas plantas em nada tem a ver com a ilha da Madeira. Talvez as primeiras tenham sido deixadas no caminho de regresso de alguma caravela vinda do Brasil. As orquídeas do género Sobralia são originárias da América Central e do Sul. As cerca de 100 espécies que fazem parte do género crescem em altitudes variáveis até aos 3.000 m em países como o México, Bolívia, Equador, Peru e Brasil.

O seu nome foi atribuído, mais uma vez, pelos botânicos da grande travessia do Peru e Chile em 1777-88 em honra a Francisco Martin Sobral, botânico espanhol.

As plantas são anatomicamente um pouco diferentes das orquídeas mais comuns no mercado e podem ser encontradas a crescer tanto no solo (terrestres) como agarradas a troncos de árvores (epífitas) ou em maciços rochosos (litófitas). As raízes são grossas e cobertas de velame e a planta não tem pseudobolbos propriamente ditos, mas sim hastes tipo canas, sem ramificações, de crescimento cespitoso, de um rizoma curto e formando uma touceira que, mesmo quando não tem flores, é muito bonita e decorativa no jardim. Em cada caule as folhas plicadas crescem alternadas e tem a forma oblonga ou lanceolada.

As flores são apicais ou laterais mas próximas das extremidades dos caules crescendo nas axilas das folhas superiores. São flores normalmente de tamanho médio/grande assemelhando-se a uma Cattleya.

Cultivo

O seu cultivo é relativamente fácil no nosso País e quem tem sucesso com Cymbidium terá também sucesso garantido com as Sobralia pois as necessidades são muito semelhantes. Podem ser cultivadas numa estufa fria ou temperada mas também no exterior desde que, no inverno, as plantas sejam colocadas num local abrigado das intempéries (chuva, geadas, ventos fortes). Apesar de conhecer alguns casos de plantas que estão plantadas no solo ou em canteiros com boa drenagem, a maneira mais fácil de as cultivar é em vasos. Estas orquídeas criam muitas raízes e daí que o melhor é utilizarem-se vasos de tamanho médio/grande, conforme o tamanho da planta.

O vaso deverá ter espaço para a planta crescer e expandir-se. A quantidade de flores depende do tamanho e maturidade da planta e eu costumo utilizar vasos de barro para evitar que, com plantas grandes, possam acontecer acidentes. Se um vaso cai e os caules da planta se partem ou dobram temos a floração desse ano comprometida.

Como substrato, pode utilizar a mistura base que já aqui falei muitas vezes (1 parte de fibra de coco fina + 1 parte de casca de pinheiro média + 1 parte de leca não muito grossa). Costumo também juntar um pouco de perlite para evitar que o substrato seque em demasia.

As temperaturas ideais para estas orquídeas não devem baixar muito dos 10ºC e podem ir, desde que com boa humidade e arejamento a temperaturas que rondem os 30ºC.

Rega e fertilização

As regas deverão ser, no mínimo, semanais e de modo aque o substrato nunca seque totalmente. Deveremos regar mais ou menos, consoante o local onde cultivamos as nossas orquídeas e também dependendo da temperatura, se apanha sol direto, etc. As Sobralia podem ser cultivadas em locais de sombra parcial mesmo apanhando algum sol direto desde que não seja forte ao ponto de queimar as folhas da planta. As fertilizações devem ser em regas alternadas ou em todas as regas dependendo do fertilizante que usamos.

Como já mencionei anteriormente, as flores destas orquídeas têm uma duração muito pequena. Em algumas espécies estão abertas só algumas horas e em outras vão até dois ou três dias. Este facto pode afastar alguns orquidófilos mas não há que desanimar porque cada haste dá algumas flores (geralmente três ou quatro) que abrem consecutivamente. Se tivermos várias hastes a florir temos sempre flores para admirar durante algumas semanas. Daí a importância das plantas atingirem um certo tamanho e maturação pois só com uma planta grande se consegue obter uma floração em pleno.

A popularidade das Sobralia tem vindo a aumentar e já se conseguem encontrar várias espécies e alguns híbridos diferentes à venda. Principalmente em exposições de orquídeas.

Fotos: José Santos

Gostou deste artigo? Subscreva o canal da Jardins no Youtube e siga-nos no Facebook e no Instagram.

Poderá Também Gostar