Plantas Ornamentais

Aprenda a cultivar a planta mais trendy do momento

A costela de Adão é das plantas mais populares e decorativas do momento. Muito procurada pelos amantes do exótico e pelos que pretendem construir um ambiente de selva urbana em sua casa ou jardim, a costela de Adão dificilmente passa por despercebida.

Nomes comuns: Costelas de Adão, Queijo suíço (devido aos buracos das folhas), Banana do mato, Banana de brejo, Banana de macaco, Tornelia, Fruto delicioso e Fruta de pão mexicano, Monstera, Abacaxi do reino, Ceriman, Fruta da princesa, Ananás  japonês  e Fruta mexicana.

Nome científico: Monstera deliciosa Liebm (o último nome deriva da palavra delicioso, porque o fruto era muito apreciado).

Origem: África ou Sul do México, Costa Rica, Panamá e Guatemala.

Família: Aráceas.

Características: Planta muito exótica e ornamental (trepadeira), pode atingir 10 metros de comprimento e desenvolver muitas raízes aéreas, com folhas grandes, brilhantes e muito recortadas. Muito utilizada nos nossos jardins, sendo muito vista em várias quintas na zona da serra de Sintra  e até no interior das nossas casas. Na Madeira é muito popular nos mercados e frequentemente dado a degustar aos turistas. Com boas condições, esta planta propaga-se facilmente e trepa pelas árvores.

Factos históricos: O fruto desta planta era o favorito de D. Isabel de Bragança e Bourbon, princesa Imperial do Brasil, parente do D. Duarte de Bragança e do rei de Espanha, D Juan Carlos de Bourbon. D. Isabel na ausência do seu pai, proclamou o fim da escravidão negra no Brasil.

Ciclo biológico: Perene, dá frutos quatro anos depois de plantada.

Variedades mais cultivadas: Além da variedade normal, só existem as variedades “albo-variegata”, “variegata”, ”Bonsigiana” (mais compacta) e a normal, que é verde escura.

Parte comestível: Frutos longos (20-25 cm) e cilíndricos (7,5-10 cm de diâmetro), com um sabor “exótico” a anona, banana e ananás.

Condições ambientais

Solo: Sendo uma planta epifítia (raízes aéreas que crescem nas árvores), dá-se bem em muitos solos, mas os francos ou limosos, com muito húmus e matéria orgânica, são mais favoráveis. O pH deve estar entre 5,6-7,5.

Zona climática: Tropical, subtropical e temperada quente.

Temperaturas: Óptimas: 20-24ºC Min: 0ºC Max 35ºC

Paragem do Desenvolvimento: 10ºC

Morte da planta: – 1,1ºC.

Exposição solar: Semi-sombra.

Humidade relativa: Prefere valores altos a médio altos (50-70%).

Precipitação: Deve ser mediana ou alta.

Altura: Mais de 400 metros.

Fertilização

Adubação: Gosta de muita matéria orgânica (composto rico e húmus), com estrumes bem decompostos de vaca, porco e peru. Efectuar uma pulverização com adubo completo de quatro em quatro semanas, na primavera e no verão.

Adubo verde: Favas, mostarda e luzerna.

Exigências nutritivas: 1:1:2 ou 1.1:1 (azoto: fósforo: potássio). Gosta também de enxofre.

Técnicas de cultivo

Preparação do solo: Lavrar o solo superficialmente (10-15 cm).

Data de plantação/sementeira: Primavera.

Multiplicação: Divisão dos caules, estacaria.

Profundidade: Enterrar uma parte do caule e das raízes.

Compasso: 80-90 cm.

Consociações: Dá se bem ao pé de árvores que possam fazer um pouco  de sombra e a ajudem a trepar.

Amanhos: Precisa de apoios (muros, redes ou árvores) para trepar; podar, para não se expandir muito; limpar as folhas do pó.

Regas: Devem ser regulares no verão.

Entomologia e patologia vegetal

Pragas: Cochonilhas, ácaros, tripés, esquilos, ratos e gafanhotos.

Doenças: Algumas doenças provocadas por fungos (phytophthora) e bactérias (Erwinia).

Acidentes: Não tolera geadas e solos salinos.

Colheita e utilização

Quando colher: O fruto está pronto a comer, quando os “hexágonos” que o compõem se destacam facilmente do cone. Estas “células” vão endurecendo do fundo para o topo. O fruto colhe-se cerca de um ano depois da floração quando a tonalidade muda do verde intenso para o verde-amarelado.

Produção: Cada planta produz 1-3/ frutos/ano.

Condições de armazenamento: Podem ser armazenados durante 5 dias em condições ambientais de 20-25ºC.

Valor nutricional: O fruto contém ácido oxálico (Oxalato de caliço) que pode provocar irritações nas membranas da mucosa (só se devem comer os frutos muito maduros). Rica em potássio e vitamina C.

Usos: Come-se como fruto em fresco, saladas e em bebidas não se pode comer muito, pois pode causar problemas. Conselho de especialista: Planta para zonas de semi-sombra (debaixo das árvores), que tem apenas interesse decorativo. Ocasionalmente, podem dar o “fruto delicioso” que não se deve comer em excesso e no estado verde, devido ao seu ácido que pode provocar irritações. Em alguns casos, a planta pode trepar cerca de 20-25 metros e tapar por completo muros ou redes do nosso jardim. Também pode colocar a planta dentro de casa.

Fotos: GettyImages

Gostou deste artigo? Subscreva o canal da Jardins no Youtube e siga-nos no Facebook e no Instagram

Poderá Também Gostar