Plantas Ornamentais

Árvore das borboletas: flores exuberantes

B. davidii “Naanhoensis Purple”, em púrpura

 

Sol e poda regular. Com estes simples cuidados, pode desfrutar no jardim da árvore das borboletas (Buddleia sps.) Trata-se de um arbusto que no Verão se cobre de panículas de flores fragrantes em cores brilhantes.

A mais popular e resistente das árvores das borboletas é a B. davidii, um arbusto de origem chinesa que pode chegar aos 4 metros de altura

Cerca de 100 árvores e arbustos de folha perene e caduca, originárias do Este da Ásia, América do Sul e Sul de África, fazem parte do género Budleia. Trata-se de plantas abertas, de ramos arqueados e frágeis que crescem muito rapidamente. As folhas são muito largas, com até 25 cm, e terminam num pico agudo, com cor verde azulada e esbranquiçadas na parte inferior.

A Budleia destaca-se pela floração: no Verão, do extremo dos ramos nascem agrupamentos de pequenas flores de forma cónica alargada, muito fragrantes. Existem flores rosa, violeta com centro laranja e brancas, entre outras. O aroma que soltam atrai borboletas, daí que a Budleia também seja conhecida por “árvore das borboletas”.

Guia de cuidados

  • Localização ao sol

Necessitam muito Sol para florescer. Neste sentido, coloque-as em local bem iluminado. Quanto mais Sol receberem mais brilhantes serão as cores das panículas. Crescem em qualquer clima.

B. davidii “black Nught”, com flores violeta escuro

  • Plantação outono ou primavera

A forma mais fácil de as cultivar no jardim é comprar plantas em vasos e transplantar no Outono e na Primavera. São bastante resistentes, não sofrem com as geadas, embora se viver numa zona fria, deve plantar na Primavera.

  • Solo drenado

Crescem em qualquer solo, inclusive nos mais pobres, secos ou calcários. No entanto, se pretende plantas saudáveis que ofereçam até duas florações na mesma época, coloque-as em terreno fértil, bem adubado e com drenagem eficaz.

  • Rega escassa

São muito resistentes à seca. Regue bem apenas depois da plantação até que as raízes assentem bem no solo. Depois, em períodos de seca prolongada. Nunca encharque o terreno.

B. davidii “ Pink Delight”em rosa

Como prevenir e curar os males

  • Folhas pegajosas: sabonária

Quando a temperatura sobe, os rebentos jovens podem ser atacados por pulgões, que chupam a seiva, provocando a diminuição do crescimento.

SOLUÇÃO: se detectar rapidamente a presença de pulgões, borrife a planta com sabonária. Se o ataque se encontrar avançado, recorra a insecticidas anti-pulgões.

  • Ramos definhados: falta de sol

Se as flores das budleias apresentam cores apagadas e os ramos estão definhados, ou seja, demasiado compridos ou debilitados, isso pode dever-se a falta de luz e Sol.

SOLUÇÃO: trata-se de uma planta que gosta de Sol pleno, por isso coloque-a na zona do jardim que mais Sol recebe. Evite colocar a budleia perto de um edifício ou de árvores altas que possam proporcionar sombra.

  • Tom oxidado: ferrugem

Em primaveras e outonos chuvosos o fungo ferrugem pode invadir as budleias. Manifesta-se através de manchas alaranjadas que cobrem as folhas.

SOLUÇÃO: para prevenir, aplique no Inverno óleo mineral. Se o fungo já se manifestou, corte e queime as partes estragadas e fumigue com um produto anti-ferrugem.

  • Folhagem comida: atenção às lagartas

Se as budleias apresentam as folhas mordidas, as culpadas são as lagartas. Os danos que estragam são sobretudo de natureza estética.

SOLUÇÃO: apenas uma aplicação de insecticida a tempo pode ser suficiente. Para prevenir o ataque das lagartas, opte por óleo mineral no Inverno, à venda nas lojas da especialidade.

B. “lochnich” é um arbusto compacto e arqueado, com flores tubolares, em panículas largas e densas, a partir do final do Verão até ao Outono, que deve podar na Primavera.

Fotos: Thinkstock

Gostou deste artigo? Siga-nos no Facebook, no Instagram e no Pinterest e subscreva o nosso canal no Youtube.

Poderá Também Gostar