Atualidade

Conhece a avoadinha?

A avoadinha é uma planta de caráter invasor que foi importada da América do Norte em 1655 para a Europa para um jardim botânico francês. A partir daí, foi muito rápida a sua disseminação por todo o continente europeu onde é muitas vezes problemática, colocando em risco a flora autóctone.

Nos dias de hoje muito vulgar na América do sul, na Europa mas também nos outros continentes. Em Portugal podemos encontrá-la também na Madeira e nos Açores.

Apesar de ser uma planta invasora em Portugal, nos seus países de origem; Canadá e Estados-Unidos é muito apreciada pelas suas propriedades medicinais.

Erigeron é o nome grego da planta que deriva de èr primavera e de gêron que significa velho, aludindo provavelmente à formação de penachos brancos nos indivíduos jovens assim que as flores murcham.

Descrição e habitat

O seu nome científico é Erigeron canadensis ou Conyza canadensis. Pertence à família das Asteráceas ou Compostas.

Em Portugal existem quatro espécies de avoadinhas: Conyza, Coniza canadiensis, C. bonariensis e C. sumatrensis. Os seus nomes populares são cauda-de-raposa e erigão.

É uma planta herbácea, anual ou bienal, caule ereto, único, peludo, muito ramoso, folhas alongadas, estreitas, inteiras ou serradas no vértice, de cor verde-acinzentada, flores esbranquiçadas (junho a outubro), em longa panícula com grande número de pequenos capítulos tubulosos, amarelos no centro.

Cresce em terrenos incultos, beiras de caminhos, entulhos, em zonas recentemente aradas, lugares arenosos, vias férreas, areias das arribas, entre as frestas de cimento ou pedras de muros e passeios, do Minho ao Algarve e também nas ilhas.

Constituintes e propriedades

  • Contém taninos, óleo essencial: limoneno, citronelal, terpinol, far- neseno, ácido gálhico, flavonoides e esteróis.
  • Os taninos têm uma ação adstringente e antidiarreica. Os flavonoides são antisséticos, anti-inflamatórios e diuréticos.
  • Utiliza-se para tratar inflamações das mucosas; enterites; bronquites; estomatites, cistites. Para combater diarreias persistentes, tomar 3 a 4 chávenas por dia depois das refeições.
  • Para inflamações vaginais pode usar-se em irrigações ou lavagens.
  • Um bom diurético, muito útil em situações de edemas e obesidade acompanhada de retenção de líquidos. Muito útil também em casos de disenteria, reumatismo e gota.
  • Para uso interno utilizar em infusão cerca de uma colher de sobremesa da planta seca ou duas da planta fresca para uma chávena de água fervida.

Precauções

Não se aconselha misturar esta planta com medicação alopática de cardiotónicos ou hipotensores (que baixam a tensão arterial).

Atenção

Em Portugal, é oficialmente considerada uma planta invasora (plantas que depois de serem introduzidas num novo território (plantas exóticas) se reproduzem rapidamente e ocupam áreas extensas, sem ajuda do Homem, causando prejuízos a vários níveis.

 

Gostou deste artigo? Subscreva o canal da Jardins no Youtube e siga-nos no Facebook e no Instagram.

Poderá Também Gostar