Hortícolas e Frutícolas

Conheça o kiwano

Saiba como cultivar o kiwano, uma hortícola a que também se chama pepino-africano ou pepino-cornudo.

Condições ambientais

Solo: Prefere solos francos, areno-argilosos, arenosos, férteis (ricos em húmus), húmidos (frescos) e bem drenados. O pH ideal é de 6,0-7,0.

Zona climática: Temperada quente subtropical e tropical.

Temperaturas: Ótimas: 20-30 °C. Mín.: 11 °C. Máx.: 35 °C.

Paragem do desenvolvimento: 8-10 °C.

Temperatura do solo: 16-22 °C.

Exposição solar: Sol pleno, semissombra.

Humidade relativa ótima: 60-70% (deve ser alta).

Precipitação anual: Média deve ser de 1300-1500 mm.

Rega: 3-4 litros/dia ou 350-600 m3/ha.

Altitude: 210-1800 m acima do nível do mar.

Fertilização

Adubação: Com estrume bem decomposto de galinha, ovelha, vaca e guano, terra vegetal ou composto, cinzas, estrume de pombal. Pode regar-se com chorume bem diluído de bovinos.

Adubo verde: Azevém, favarola e luzerna. Exigências nutritivas: 2:1:2 (azoto: fósforo: potássio) + Ca

FICHA TÉCNICA

Nome comum: Kiwano, pepino-cornudo, melão gelatinoso, pepino-africano, Kino, chifrudo.

Nome científico: Cucumis metuliferus E.H. may ex schrad (Cucumis tinneanus kotschy).

Origem: Senegal, Somália, Namíbia, Africa do Sul, Nigéria, Iémen e deserto do Calaári no Zimbabwe, em África.

Família: Cucurbitáceas.

Características: Tem um sistema radicular aprumado resistente, superficial. Os caules são herbáceos, revestidos de pelos rígidos acastanhados, trepadores ou rasteiros (podem atingir 1,5-3 m de comprimento) com gavinhas. As folhas são trilobadas, podendo atingir os 7,5 cm de largura, com margens dentadas. As sementes têm 5-8 mm de comprimento e são ovoides.

Factos históricos: Cultivado e conhecido há mais de 3000 anos, só no século XX entrou nos supermercados da Europa. No deserto do Calaári no Zimbabwe, África, muitas vezes a planta é a única fonte de água para os animais. A Nova Zelândia é o principal produtor do mundo. Em Portugal e na Itália, já se produz este fruto com alguma qualidade.

Polinização/fecundação: As flores amarelas podem ser masculinas ou femininas e estão ambas na mesma planta, aparecendo no princípio do verão.

Ciclo biológico: Anual.

Variedades mais cultivadas: Não são conhecidos cultivares desta espécie, a maioria dos produtores refere apenas a cultivar “Cuke-Asaurus”.

Parte comestível: Frutos são elipsóide-cilíndricos de 6-10 cm de diâmetro e 10-15 cm de comprimento, cor verde escura ou alaranjada e pesa 200-250 g. A polpa do kiwano é verde com sementes brancas, parecidas com o pepino. Tem sabor idêntico ao do pepino, banana e ananás.

Técnicas de cultivo

Preparação do solo: Lavrar o solo em profundidade no outono e na primavera, esmiuçar bem o terreno e armar os canteiros, ligeiramente altos.

Data de plantação/sementeira: Abril-maio.

Tipo de plantação/sementeira: Em tabuleiros ou direta, por semente (covachos ou regos), deve-se fazer uma pré-germinação, demolhando durante 15-24 horas.

Emergência: 5-9 dias diretamente na terra a 22-30 °C.

Faculdade germinativa (anos): 5-6 anos.

Profundidade: 2-2,5 cm.

Compasso: 1-1,5 m na mesma fila x 1,5-2 m entre filas.

Transplantação: Quando a planta tiver 3-4 folhas.

Consociações: Aipo, cebola, couve, ervilha, feijão, alface e rabanete.

Rotações: Não deve voltar ao mesmo local durante 3-4 anos, pode vir a seguir ao feijoeiro.

Amanhos: Colocar tutores (postes com 2-2,5 m) com arames separados em 45 cm ou redes de malha larga; sachar as infestantes; aplicar uma camada de mulching bem espesso entre as filas.

Regas: Gota a gota.

Conselho de especialista

Aconselho a reservar um pequeno espaço, junto a uma rede, na sua horta, para estes frutos, apenas na época de primavera-verão, e depois poderá colhê-los no início do outono.

Entomologia e patologia vegetal

Pragas: Ácaros, afídios, alfinete, mosca-branca, lagarta-mineira, tripés, lesmas e caracóis (quando são plantas pequenas), pássaros e nematodes.

Doenças: Podridão cinzenta, oídio, míldio, fusariose, antracnose, alternariose e várias viroses.

Acidentes: Sensível à salinidade.

Colheita e utilização

Quando colher: Assim que o kiwano fique com calibre grande ou amarelo-alaranjado. Entre agosto-outubro, deve ter cuidado ao armazenar, para que os picos não penetrem na epiderme dos frutos. A planta geralmente fica castanha e morre, mas os frutos ficam muitas vezes pendurados.

Produção: 10-46 t/ha/ano de frutos ou 15-66 frutos por planta, dependendo do local.

Condições de armazenamento: 10-13 °C com humidade relativa de 95%, durante duas semanas. Se não tiverem defeitos na casca, podem permanecer à temperatura ambiente (20-22 ºC) com humidade relativa entre 85-90% durante 3-5 meses.

Época de consumo: Melhor consumir no outono (em Portugal).

Valor nutricional: Contém muita água e alguma vitamina C, cálcio, magnésio, fosforo e potássio.

Usos: Consumido cru como fruto ou em saladas, sendo mais saboroso e refrescante do que o pepino. Também se pode fazer como pickles, sorvetes misturados com outras frutas e também compotas. As folhas podem ser aproveitadas e cozidas como as do espinafre.

Gostou deste artigo? Então leia a nossa Revista, subscreva o canal da Jardins no Youtube, e siga-nos no Facebook, Instagram e Pinterest.


Poderá Também Gostar