Atualidade

Hissopo para melhorar o sistema imunitário

O hissopo é muito utilizado para tratar infeções do aparelho respiratório, além de ter propriedades expetorantes e diaforéticos.

O hissopo (Hyssopus officinalis) parece ter caído um pouco em desuso, no entanto era uma planta bastante venerada e recomendada pelos médicos da antiguidade. Dioscórides, no século I d.C., considerava-a uma panaceia para quase todos os males. É uma grande planta antimicrobiana, muito apreciada pelos romanos que a utilizaram na Idade Média, durante a peste negra, para desinfetar hospitais e casas com doentes. É uma das ervas amargas usadas pelos judeus nas suas cerimónias. Era mencionada nas sagradas escrituras e julga-se ter existido alguma variedade de hissopo na antiga Grécia e Palestina.

Descrição e habitat

Planta vivaz da família das Labiadas ou Lamiáceas, de caule ascendente e ramificado, de folhas opostas, e pequenas, lanceoladas,
estreitas e nervuras salientes, cachos de flores de lábios duplos, de cor roxa–azulada ou lilás. Gosta de solos secos, calcários e bem drenados, muros expostos ao sol. Utilizam-se as folhas e sumidades floridas. É nativa do sul da Europa, encontra-se em quase todos os países mediterrânicos, sobretudo na Turquia e nos Balcãs. Em Portugal existe também em estado selvagem ou cultivada como planta aromática, ornamental e melífera.

Componentes e propriedades

O hissopo contém terpenos, (incluindo marubiina), óleo volátil, incluindo cânfora e betapineno, flavonóides, taninos, hissopina e resinas. Muito utlizado em forma de infusão para tratar infeções do parelho respiratório, tosse, constipações, gripe, bronquite, sinusite, asma, entre outras. Muito expetorante e diaforético. Aumenta o apetite, funciona como digestivo e combate a flatulência e a prisão de ventre. É um tónico do sistema nervoso, aliviando a ansiedade e a depressão. Ajuda a fortalecer o sistema imunitário e combater infeções e vírus. Em uso externo em forma de gargarejos para aliviar dores de garganta, gengivites e amigdalites, inalado para combater a febre dos fenos. Em compressas, o óleo essencial dissolvido em água ou óleo vegetal alivia dores reumáticas e musculares, desinfeta feridas e acelera a cicatrização. Usa-se ainda para aromatizar e desinfetar o ambientes.

No jardim

O hissopo é uma bonita planta aromática que atrai abelhas e ajuda a combater a mosca branca das couves, é benéfica para as videiras mas não gosta de ser consociada com rabanetes.

Culinária

No fabrico de vermutes e licores, incluindo o afamado chartreuse, utilizam-se as flores mas também as folhas de sabor ligeiramente
apimentado e amargo, um misto entre salva e hortelã. Pode ainda utilizá-la em molhos ou pratos de feijão-verde. As suas flores melhoramo aspeto e o sabor de qualquer travessa.

Precauções

Não se recomenda a grávidas nem pessoas com epilepsia. O óleo essencial não deve ser utilizado diretamente na pele.

Foto: Pixabay

Siga-nos no Facebook e no Instagram.

Poderá Também Gostar