Ornamentais

Orquídeas-joia: A beleza das folhas

Um género de orquídeas muito diferente. São compostas por caules suculentos e belas folhas aveludadas e coloridas. Apresento-lhes as Ludisia discolor.

Duas variedades de orquídeas-joia (Ludisia discolor)

Duas variedades de orquídeas-joia (Ludisia discolor)

O género Ludisia é um género monotípico, o que quer dizer que é um género constituído somente por uma espécie. São plantas terrestres ou litófitas, podem ser encontradas nos solos das florestas, protegidas da luz solar pelas copas frondosas das árvores, mas também podem crescer em rochas cobertas por musgo. Geralmente preferem locais mais sombrios e húmidos, aparecendo muitas vezes ao longo de cursos de água em zonas de temperaturas tropicais quentes. São originárias da Ásia, encontradas desde a China a Laos, Camboja, Vietname, Tailândia, Malásia e ilhas da Indonésia.

As Ludisia discolor fazem parte de um grupo de orquídeas às quais se chama orquídeas-joia devido ao requinte e beleza das suas folhas decoradas a fio de prata ou ouro. Na mesma categoria podemos encontrar a Macodes petola, algumas espécies pertencentes ao género Anoectochilus, a Dossinia marmorata e a Goodyera pubescens. Estas orquídeas são propagadas por divisão. Os caules são frágeis e quebradiços, mas qualquer pedacinho pode facilmente enraizar; muitas vezes os caules que começam a entortar entram em contacto com o substrato e enraízam nesse ponto. São também boas plantas para cultivar em terrário.

A beleza das folhas

São plantas simpodiais, constituídas por rizomas e caules suculentos cor-de-rosa-acastanhado, por vezes vermelhos. Os caules têm tendência a entortar e a sair dos vasos, ficando pendentes. Cada caule tem várias folhas, e estas formam uma roseta no ápice do caule. A principal razão do cultivo destas orquídeas é a beleza das suas folhas. Existem algumas variações de cor, tanto podemos encontrar espécimes de folhas verdes brilhantes como acastanhadas ou quase negras. As folhas são também grossas, com um aspeto aveludado e decoradas com veios geralmente prateados, nas folhas verdes, e dourados, nas folhas mais acastanhadas. O efeito é de grande beleza e muito decorativo.

Ludisia discolor forma alba

Ludisia discolor forma alba

As flores

Não são grandes nem vistosas, mas não deixam de ser curiosas e bonitas. Aparecem mais frequentemente no outono e inverno e crescem na extremidade dos caules que se desenvolveram nesse ano. A haste floral cresce na vertical, ramificando-se como se fosse uma espiga, com pequenas flores brancas com um toque de amarelo no labelo. Cada florzinha não terá mais do que um centímetro e dura cerca de duas a três semanas.

Como cultivar

São plantas fáceis de encontrar e não são muito dispendiosas. Para as manter saudáveis, devemos cultivá-las de preferência numa taça de barro, colocando a planta ao centro da taça. Como substrato deve utilizar-se uma mistura para orquídeas terrestres, à qual se pode misturar um pouco de areia de rio ou areão fino para facilitar a drenagem. O maior problema é o apodrecimento. Elas gostam de ambientes húmidos, mas, se forem regadas em demasia e o substrato ficar mais do que umas horas muito molhado, com toda a certeza que os caules suculentos irão apodrecer. Assim, há que ter cuidado com a quantidade de água que lhes oferecemos. Um local quente, à sombra e bem arejado também ajuda. Estas orquídeas devem ser fertilizadas a cada três semanas com fertilizante líquido diluído na água de rega.

 

Texto e fotografias: José M. M. Santos

 

Gostou deste artigo? Então leia a nossa Revista, subscreva o canal da Jardins no Youtube, e siga-nos no Facebook, Instagram e Pinterest.


 

Poderá Também Gostar