Jardim

Os animais da quinta são amigos da horta e jardim?

Fala-se muito do papel que os insectos e outros pequenos animais que visitam os nossos jardins têm nos processos de polinização, controlo de pragas e doenças, e na manutenção de um equilíbrio natural no ecossistema. Mas há tantos outros exemplos de animais que nos são muito familiares e úteis, os chamados “animais da quinta”.

Estes seres vivos podem e devem ser criados num quintal ou espaço exterior que seja amplo e tenha terreno suficiente para permitir albergar com todas as condições estes animais amigos das nossas hortas.

Há muitos benefícios em integrá-los no quintal, que queremos fazer crescer de forma biológica e sustentável ao longo do ano. Nas lojas Agriloja pode adquirir uma enorme variedade destes animais de capoeira dos quais falamos a seguir.

Razões para ter animais da quinta na sua horta e jardim

  • Alimentam-se de plantas infestantes e pragas frequentemente presentes na horta e jardim, como os caracóis, lesmas e lagartas.
  • Podem ser criados com o intuito de produzir ovos e carne de qualidade, criados de forma biológica em casa.
  • Contribuem com os seus dejetos naturais, os estrumes e estercos, que na agricultura e jardinagem são fundamentais para manter a fertilidade, textura e salubridade da biota do solo, atuando das seguintes formas:
    • Aumentam significativamente a taxa de absorção e infiltração da água no solo.
    • Fornecem alguns nutrientes às plantas, sendo os três principais, o azoto (N), fósforo (P) e potássio (K), num processo biológico caracterizado pela libertação lenta, impedindo assim a sua lixiviação e garantindo a fertilidade do terreno durante vários anos após aplicação e incorporação.
    • Estimulam a atividade biológica do solo, seja ao nível micro ou macro, promovendo a vida de organismos benéficos como bactérias, fungos, insetos e outros pequenos animais.
    • Atenuam as oscilações do valor de pH devido ao seu efeito tampão.
    • Promovem a circulação do ar, arejamento do solo e aligeiram a sua estrutura, devido ao elevado conteúdo em matéria orgânica, deixando a terra muito mais fácil de trabalhar e especialmente boa para o cultivo de tubérculos e raízes que crescem debaixo do solo.
    • Não há risco de sobredosagem desde que o estrume esteja bem curtido, podendo por isso aplicar-se quantidades grandes sem danos para as raízes ou germinação das plântulas.
    • Previnem a erosão física e química do solo, bem como a sua desertificação e empobrecimento progressivo.

Galinhas

Ter galinhas no quintal é uma ótima escolha para quem não tem muito tempo para dedicar a estes animais, mas nem por isso deixa de tirar muitos proveitos da sua criação.

As galinhas produzem ovos quase diariamente, pelo que se tiver várias na capoeira, nunca mais precisará de comprar este produto tão consumido na dieta mediterrânica. Da mesma forma, a carne branca é comprovadamente mais saudável do que outros tipos, e por isso as galinhas podem ser parte da dieta de quem as cria no quintal.

As galinhas são também ávidas comedoras de vários tipos de restos vegetais e seres vivos que existam no espaço onde se encontram, desde sementes de ervas daninhas e plantas infestantes já crescidas a certos insectos que vivem no solo e na vegetação.

Pode-se incorporar na alimentação destas aves: vegetais, frutos, cascas e outros resíduos orgânicos.

São muito eficazes e ativas a vasculhar e enriquecer a terra. Se as deixarmos numa determinada parcela de terreno, em pouco tempo, esta ficará pronta a ser cultivada, com o bónus da fertilização natural por elas assegurada.

Estrume de galinha: principais macronutrientes

  • Azoto
  • Fósforo
  • Potássio
  • Cálcio
  • Magnésio
  • Enxofre

Por estas razões, há quem tenha no seu terreno uma estrutura chamada galinheiro, que na realidade pode ser usado para outras espécies de animais de criação de pequeno porte.

Esta ideia traz muitos benefícios e é um conceito de design funcional muito bem adaptado aos jardineiros e agricultores que tencionam implementar os princípios da permacultura no seu quintal.

Patos

Embora sejam ambos aves, é importante notar que a criação de patos difere um pouco da das galinhas. As galinhas são relativamente bem comportadas, mais confiáveis ainda que propensas a serem mandonas e agressivas para galinhas que considerem mais fracas ou de grupos e gerações diferentes. Os patos, por outro lado, são mais barulhentos mas continuam a ser uma belíssima escolha desde que os tenha num sítio adaptado e vedado, preferencialmente com acesso a um pequeno lago.

Como sugestão, pode optar por adquirir patos brancos domésticos, que são bonitos, mais fáceis de controlar e ótimos para ter num jardim grande, pois é menos provável que mordisquem as pequenas plantas e culturas existentes.

A sua alimentação é muito variada e os patos precisam de água e alguma areia para digerir melhor os alimentos, que podem ser de base vegetal, como rações e mistura de cereais. A sua dieta será naturalmente complementada com insetos do jardim.

Curiosamente, os patos conseguem ver no escuro e por isso adaptam-se mais facilmente à rotina de quem esteja ausente durante o dia e só à noite tenha oportunidade de os alimentar.

Estrume de pato: principais macronutrientes

  • Azoto
  • Fósforo

 

Coelhos

Para manter coelhos no quintal, é preciso garantir-lhes abrigo e comida durante o dia e a noite porque estes mamíferos estão ativos também durante o período nocturno. O tipo de abrigo necessário dependerá do tipo e número de coelhos que deseja criar.

Pense em comprar uma coelheira que permita que os animais tenham zonas de sombra e sol, e acesso fácil a áreas frescas de descanso durante os meses de maior calor no verão, pois eles são mais tolerantes a temperaturas frias do que o contrário.

Estes animais devem ter uma dieta diária composta principalmente de feno bem seco, uma quantidade menor de vegetais frescos e ração suplementar. Como resultado desta dieta equilibrada e rica em fibras, os dejetos dos coelhos são uma excelente adição ao solo do jardim pois melhoram a sua estrutura e fertilidade.

Não possuem um odor intenso e devem ser fermentados, visto que de outra forma podem queimar as suas culturas. São fáceis de espalhar e incorporar na terra, o que é uma grande vantagem.

Estrume de coelho: principais macronutrientes

  • Azoto
  • Fósforo

 

Durante o processo de decisão e escolha do melhor tipo de animal da quinta para ter no seu quintal, lembre-se sempre também que a utilização de inseticidas, herbicidas e outros químicos pode prejudicar a saúde não só da fauna selvagem amiga dos jardins mas também dos seus animais de estimação, incluindo todos estes de que falámos no artigo.

Por isso procure sempre encontrar sistemas e soluções naturais para viver em pleno a sua horta da forma mais produtiva e biológica possível.

Encontre acessórios, rações e outros produtos para cuidar bem destes animais em shop.agriloja.pt ou numa das lojas Agriloja mais perto de si.

Poderá Também Gostar