Plantas

Phalaenopsis: plantações com sucesso II

Com algumas regras básicas, as suas Phalaenopsis crescem de boa saúde e produzem florações que duram meses.

As Phalaenopsis são as orquídeas que, no nosso País, se caracterizam como sendo plantas “de interior”. Necessitam de temperaturas amenas que não são possíveis de obter no exterior, principalmente nas nossas estações mais frias. Além de temperaturas ideais, entre os 18ºC e os 28ºC, precisam de luz brilhante, sem Sol directo, bom arejamento e humidade no ar.

Sendo plantas epífitas, poderíamos cultiva-las “montadas” em troncos, pedaços de cortiça ou outros materiais rugosos que permitissem às raízes agarrar-se. No entanto é mais fácil e prático cultivá-las e transportá-las em vaso. Geralmente, encontramos estas plantas em vasos de plástico transparentes porque as suas raízes grossas e esponjosas necessitam também de alguma luz, pois possuem cloroplastos que com a luminosidade realizam a fotossíntese.

Os vasos transparentes dão também uma ajuda na rega pois podemos observar facilmente as raízes e assim evitamos as regas excessivas: As raízes das Phalaenopsis são prateadas quando estão secas. adquirem uma cor esverdeada quando estão molhadas. Só devemos regar quando a maioria das raízes perde a cor verde.

Podemos regar as Phalaenopsis de duas maneiras:

  • Mergulhando o vaso num recipiente com água durante alguns minutos
  • Molhando as raízes, numa torneira ou com um regador. Em qualquer das opções, devemos deixar a água escorrer muito bem e devemos ter o cuidado de não molhar as folhas, especialmente no centro da planta, junto ao caule, onde nascem as folhas novas.

Aí, normalmente forma-se uma concavidade onde há uma tendência natural para se acumular água. Essa água causa o apodrecimento das folhas, especialmente das folhas novas, que são mais tenras. Se por acidente molhar essa zona, limpe-a com um guardanapo de papel ou algodão.

As folhas precisam, no entanto, de alguma humidade e essa humidade pode ser dada borrifando diariamente as folhas. Um borrifo fino, que pode apanhar também os botões, só para aumentar a humidade, é suficiente. Tanto a rega como os borrifadelas nas folhas devem ser feitos logo de manhã para, com o calor do dia, o excesso de água poder evaporar-se naturalmente.

Fertilizante

Nas Phalaenopsis, usamos um fertilizante líquido na água de rega. Ou fertilizamos em regas alternadas (se regamos uma vez por semana, fertilizamos quinzenalmente) ou usamos metade da dose aconselhada em todas as regas. Quando a planta não tem flor, colocamos um fertilizante de crescimento, com mais azoto; quando começamos a ver uma haste floral a crescer, mudamos para um fertilizante de floração, mais rico em fósforo e potássio.

Substrato

Para os vasos das Phalaenopsis utiliza-se um substrato para orquídeas epífitas que é composto basicamente por casca de pinheiro partida em pedaços pequenos e onde podemos juntar alguma leca e um pouco de fibra de coco. Se tem tendência para deixar secar as suas orquídeas, pode acrescentar ainda um pouco de musgo de esfagno cortado em pedaços pequenos. O que é importante é que o substrato fique poroso e que permita boa drenagem.

O cultivo de Phalaenopsis não é complicado. Basta seguir algumas regras básicas para que as suas Phalaenopsis cresçam de boa saúde e produzam florações que duram meses. A sua beleza e facilidade de cultivo tornaram-nas as mais conhecidas e adoradas orquídeas em todo o Mundo.

Gostou deste artigo? Siga-nos no Facebook, no Instagram e no Pinterest e subscreva o nosso canal no Youtube.

Poderá Também Gostar