Plantas Ornamentais

Próteas com floração no outono e inverno

As próteas são plantas nativas da África do Sul e existem há 95 milhões de anos, quando os continentes ainda não se tinham separado e os dinossauros habitavam a Terra. Todas as de que falo aqui são produzidas na Flora Toscana, o maior produtor de próteas da Europa.

Saiba que variedades escolher para garantir cor no seu jardim durante estas estações do ano.

As próteas estão habituadas a desenvolverem-se em condições adversas, solos pobres, pouca rega e calor. Dão flor uma única vez por ano, consoante a espécie. O período de floração é na primavera ou no outono, com exceção de algumas como a Tasman Ruby que pode florir no outono e/ou na primavera.

As de que falo hoje estão em flor no outono, muitas outras variedades estão em flor na primavera. O melhor é ter várias, para que o seu jardim, varanda e/ou terraço estejam sempre floridos.

Esta é uma boa época do ano para as plantar no seu jardim, varanda ou terraço.

AS PRÓTEAS COM FLORAÇÃO NO OUTONO E INVERNO DISTINGUEM-SE BEM DAS OUTRAS pois as suas folhas são peludas, para aguentarem melhor o frio.

PROTEA LIMELIGHT

Tem um longo período de floração, que tem início em setembro e se prolonga até ao final de dezembro. As suas flores são alongadas com as pétalas amareladas e as pontas cor de ferrugem.

Cresce até 1,5 metros de altura. Necessita de regas moderadas nos períodos mais quentes do ano. Gosta de zonas com exposição solar plena e tolera temperaturas negativas até -4 °C. Pode ser facilmente cultivada em vaso ou em floreira.

PROTEA CARDINAL (PROTEA EXIMIA X SUSANNAE)

Tem uma floração cor-de-rosa forte e exuberante desde agosto até outubro. Gosta de zonas com exposição solar plena e tolera temperaturas negativas até -4 °C.

Cresce até 1,5 metros de altura. Necessita de regas moderadas nos períodos mais quentes do ano. Pode ser facilmente cultivada em vaso ou em floreira.

PROTEA COMPACTA

Tem um longo período de floração desde setembro até março; a sua flor cor-de-rosa com laivos de lilás é muito bonita.

Cresce até 3,5 metros de altura. Necessita de regas moderadas nos períodos mais quentes do ano. Gosta de zonas com exposição solar plena e tolera temperaturas negativas até -4 °C.

PROTEA FROSTED FIRE

Tem um período de floração que se prolonga desde o início de setembro até ao final de dezembro. As suas flores grandes são encarnadas com o final das pétalas em branco — são lindas quando em botão e quando abertas.

Cresce até 2,5 metros de altura. Necessita de regas moderadas nos períodos mais quentes do ano. Gosta de zonas com exposição solar plena e tolera temperaturas negativas até -4 °C.

PROTEA JULIET

Tem um período de floração que se prolonga desde o início de setembro até ao final de dezembro. As suas flores são mais pequenas, compactas, encarnadas e peludas, lindas quando em botão e quando abertas.

Cresce até 2,5 metros de altura. Necessita de regas moderadas nos períodos mais quentes do ano. Gosta de zonas com exposição solar plena e tolera temperaturas negativas até -4 °C.

PROTEA MARIA

Tem um longo período de floração, que tem início em setembro e se prolonga até ao final de janeiro. As suas flores são compactas, de cor branca e bordeaux.

Cresce até 2 metros de altura. Necessita de regas moderadas nos períodos mais quentes do ano. Gosta de zonas com exposição solar plena e tolera temperaturas negativas até -4 °C.

PROTEA MINK

Tem um longo período de floração, que tem início em setembro e se prolonga até ao final de dezembro. As suas flores são compactas com as pétalas cor-de-rosa, as pontas bordeaux e o centro cor-de-rosa claro.

Cresce até 2,5 metros de altura. Necessita de regas moderadas nos períodos mais quentes do ano. Gosta de zonas com exposição solar plena e tolera temperaturas negativas até -4 °C.

PROTEA WHITE DIDI

Tem um longo período de floração que tem início em outubro e se prolonga até ao final de março. As suas flores são compactas com as pétalas cor de salmão com pelos brancos grandes nas pontas, o centro é branco e grande.

Cresce até 2 metros de altura. Necessita de regas moderadas nos períodos mais quentes do ano. Gosta de zonas com exposição solar plena e tolera temperaturas negativas até -4 °C. Pode ser facilmente cultivada em vaso ou em floreira.

PROTEA PIXIE

Tem um longo período de floração, que tem início em setembro e se prolonga até ao final de dezembro. As suas flores são mais pequenas de um tom avermelhado quase cor de laranja e com o centro bordeaux, com uma textura que parece veludo.

Cresce até 2,5 metros de altura. Necessita de regas moderadas nos períodos mais quentes do ano. Gosta de zonas com exposição solar plena e tolera temperaturas negativas até -4 °C.

PROTEA RUBY BLUSH

Tem um longo período de floração, que tem início em setembro e se prolonga até ao final de dezembro. As suas flores são brancas com as pontas das pétalas cor-de-rosa-claro.

Cresce até 2 metros de altura. Necessita de regas moderadas nos períodos mais quentes do ano. Gosta de zonas com exposição solar plena e tolera temperaturas negativas até -3 ºC.

PROTEA MAYDAY (PROTEA MAGNIFICA X COMPACTA)

Tem um longo período de floração, que tem início em outubro e se prolonga até ao final de abril. As suas flores são compactas, encarnadas, com as pontas brancas com pelo, o centro da flor é bordeaux.

Cresce até 2,5 metros de altura. Necessita de regas moderadas nos períodos mais quentes do ano. Gosta de zonas com exposição solar plena e tolera temperaturas negativas até -4 °C.

PROTEA PINK ICE (PROTEA NERIIFOLIA X SUSANNAE)

Tem um longo período de floração, que tem início em setembro e se prolonga até ao final de fevereiro. As suas flores são alongadas e estreitas, cor-de-rosa.

Cresce até 2,5 metros de altura. Necessita de regas moderadas nos períodos mais quentes do ano. Gosta de zonas com exposição solar plena e tolera temperaturas negativas até -5 °C.

PROTEA LIEBENCHERRY (PROTEA REPENS X LONGIFOLIA)

Tem um longo período de floração, que tem início em setembro e se prolonga até ao final de fevereiro. As suas flores são muito originais, pois são mais alongadas, de cor fúchsia.

Cresce até 2,5 metros de altura. Necessita de regas moderadas nos períodos mais quentes do ano. Gosta de zonas com exposição solar plena e tolera temperaturas negativas até -4 °C.

PROTEA SUSARA

Tem um longo período de floração, que tem início em setembro e se prolonga até ao final de dezembro. As suas flores são mais pequenas e compactas, com as pétalas cor-de-rosa-claro e as pontas mais escuras, com pequenos pêlos.

Cresce até 2 metros de altura. Necessita de regas moderadas nos períodos mais quentes do ano. Gosta de zonas com exposição solar plena e tolera temperaturas negativas até -3 °C.

Como plantar próteas com sucesso

No jardim

  1. Antes da plantação, tem de se garantir a drenagem do terreno.
  2. Para o sucesso da plantação, deve usar-se sempre substrato especial para próteas, pois tem o pH, estrutura e drenagem adequados. As próteas preferem solos com pH ácido.
  3. Fazer uma boa cova de plantação (ligeiramente superior ao diâmetro e altura do torrão).
  4. Plantar, aconchegando a terra.
  5. Coloque uma camada de casca de pinheiro por cima para evitar o crescimento de infestantes, conservar a humidade e acidificar o solo.
  6. Fazer uma caldeira de rega para garantir uma rega eficiente.
  7. Regar a seguir à plantação.
  8. Sempre que possível deve ser instalado um sistema gota-a-gota para garantir a rega correta.

Em vaso

  1. Escolha um vaso drenado com, pelo menos, 40 cm de altura e 35 cm de diâmetro, para que a planta se desenvolva em boas condições.
  2. Coloque argila expandida.
  3. Adicione uma camada de geotêxtil.
  4. Coloque substrato específico para próteas.
  5. Meta a planta, calcando ligeiramente para que fique segura.
  6. Coloque uma camada de casca de pinheiro.
  7. Regar a seguir à plantação.

Condições de cultivo

Estas plantas precisam de zonas de sol direto, substratos bem drenados, ácidos e pouco férteis. No primeiro ano, as proteáceas precisam de mais água, pois as raízes estão a desenvolver-se.

A partir do segundo ano, uma rega por semana em períodos de secura basta. As próteas adoram o sol direto. Deve-se fertilizá-las a seguir à floração, no verão e no outono, com um fertilizante sem fósforo. Não suportam fertilizante em excesso; mais vale a menos do que a mais.

Regue semanalmente. Devem ser podadas a seguir à floração removendo a haste floral até à altura das folhas.

Gostou deste artigo?
Então subscreva o canal da Jardins no Youtube, e siga-nos no Facebook, Instagram e Pinterest.

Poderá Também Gostar