Hortícolas e Frutícolas

Alcachofra: uma deliciosa flor que se come

Existem muitas variedades, diferindo bastante no tamanho e na rigidez. Assim, leva algum tempo e experiência até percebermos qual se adapta melhor à nossa região e ao nosso paladar.

No entanto, a alcachofra tem a sua origem na zona mediterrânea, o que faz dela uma planta autóctone para a o Sul de Portugal e, assim sendo, todas as variedades são fáceis de produzir.

O coração da alcachofra

Na realidade, o que se come da alcachofra é o botão da flor, que deve ser colhido quando ainda é jovem e tenro, pois, passado esse ponto, fica muito rijo e fibroso e já não é comestível.

Coração da alcachofra

Apesar disso, podemos deixá-lo florir, pois ficaremos de certeza maravilhados com a explosão de tons de violeta em que se transforma. Sem dúvida, uma linda flor para embelezar a sua horta.

Propriedades medicinais

Além de uma iguaria, a alcachofra é uma potente planta medicinal, ajudando no tratamento de anemia, arteriosclerose, diabetes, doenças do coração, febre, fígado, fraqueza, gota, hemorroidas, hemofilia, pneumonia, reumatismo, sífilis, tosse, ureia, urticária e problemas urinários.

E como se isso não bastasse, é também utilizada para emagrecer ou para complementar tratamentos, tais como:

  • Baixar o colesterol;
  • Combater a anemia;
  • Regular os níveis de açúcar no sangue;
  • Combater os gases.

Por todas estas fantásticas qualidades, ela é muito comercializada em ervanárias e na composição de medicamentos, mas nada se compara a comê-la ao natural, só cozida, pois além disto tudo, ainda é uma verdadeira delicia.

Alcachofra florida, com botão maduro

Cuidados de cultivo

A época apropriada para plantar a alcachofra é no início da primavera ou do outono. Desenvolve-se bem em temperaturas médias que vão de 13 °C a 18 °C. O seu florescimento dá-se melhor em regiões temperadas.

Em caso de geadas, a alcachofra consegue resistir às mais leves e, em climas quentes e secos, os botões florais abrem-se precocemente.

Apesar de serem plantas perenes que podem permanecer no mesmo local durante cinco ou seis anos, devem, passado este tempo, ser transplantadas para um novo local e assim incentivar a produção de flores. A planta seca depois da floração de verão e nessa altura deve-se cortar e cobrir o cepo com palha para o proteger do frio do inverno.

O seu plantio faz-se mais facilmente por meio da divisão de plantas adultas, sobretudo depois de estas secarem e os novos rebentos começarem a aparecer ao pé do cepo.

Em Vaso

Também podem ser plantadas em vasos para futuramente serem transplantadas para o local definitivo. Os rebentos devem ser retirados da planta-mãe com cuidado, usando-se para isso uma faca ou pá.

O cultivo por semente não é aconselhável, pois a planta pode não ter as características da planta mãe e só dará boas florações depois de três ou quatro anos.

No terreno

Deve-se respeitar o espaçamento de 75 cm entre mudas e de 90 cm entre linhas. Por não se desenvolver satisfatoriamente em solos muitos ácidos, certifique-se que o local escolhido possui boa drenagem, seja profundo, fértil e que tenha bastante matéria orgânica a fim de satisfazer as necessidades da planta.

  • Mantenha o solo constantemente húmido, porém sem alagar.
  • Não divida o local com outro tipo de cultura.
  • Faça um bom mulching para manter a humidade e evitar as ervas espontâneas.
  • Plante a alcachofra em local soalheiro, pois ela necessita de luz solar direta, pelo menos por algumas horas por dia.

A colheita, como já disse atrás, deve ser feita com os botões ainda jovens, firmes e fechados.

Gostou deste artigo? Subscreva o canal da Jardins no Youtube e siga-nos no Facebook e no Instagram.

Poderá Também Gostar