Hortícolas e Frutícolas

Beldroegas: rica em vitaminas A, B e C

Conheça esta planta rica em vitaminas A, B e C e que é muito apreciada, principalmente no Alentejo.

Beldroega de verão

Entre muitas outras plantas, a serralha, o saramago, o dente-de-leão, a beldroega de verão e a beldroega de Inverno serão as que, mais uma vez, irão atenuar as fomes no inflamado tabuleiro das crises. É uma das consequências da herança das promessas responsáveis e do sequente letargo a que os homens se têm botado nas últimas décadas!

Desta vez, são as duas últimas as que trago à ribalta. Mesmo nos chamados “terrenos abandonados”, nos nossos aidos e em muitas outras terras de semeadura, fazendo mesmo uniforme cobertura em zonas húmidas e ensolaradas, podemos encontrá-las.

Não carecem de favores para se autopropagarem, sabem muito bem onde e quando devem germinar, promover o seu desenvolvimento e gerar novas vidas anualmente. São simplesmente herbáceas, anuais, muitas vezes esquecidas. Nunca deixaram de ser acarinhadas desde os tempos da Antiga Grécia até aos dias de hoje em certas áreas da nossa biosfera; os do Alentejo bem o confirmam como fiéis apreciadores.

Mais uma oferta “dois em um” das pequenas e grandes superfícies alimentares (naturais).
De proximidade, desprezíveis, virão a ter mais destacado contributo em prol da biosegurança alimentar e medicinal do Homem.

Beldroega de verão

Denominada (Portulaca oleracea), é rica em mucilagens e em ácido gordo essencial ómega-3. Esta planta é conhecida por “planta ABC” exactamente por reunir as vitaminas denominadas por estas letras. Cresce em zonas temperadas, ensolaradas e húmidas de quase todo o mundo. Esta planta suculenta pode ser utilizada como legume em cozidos, sopas e saladas. Seca-se para utilizações medicinais.

É diurética, fortalece o sistema imunitário e é eficaz nas picadas e mordeduras. As suas diminutas sementes são vermífugas e resistem muitos anos debaixo da terra sem perderem o seu poder germinativo. Muito rasteira, ramifica o caule em estrela; uma só semente pode desenvolver uma planta de bem mais de meio quilograma para uma suculenta refeição de família!

Beldroega de inverno

Beldroega de inverno

Não resisto a escrever um pouco mais sobre a beldroega – agora a de inverno (Montia perfoliata), também suculenta, da mesma família da primeira – a das Portulacaceae – pela sua peculiar vaidade ornamental. Tem a sua origem na América do Norte; cada caule parece crescer através da folha em forma de taça, por cima da qual se forma um lindo arranjo floral branco.

De sabor parecido com o do espinafre, tem aplicações muito semelhantes às daquele seu parente. Ambas são plantas selvagens, invasoras e consideradas esquecidas, infelizmente como tantas outras. De uma boa refeição sem alguma envolvente reflexiva não se faz boa digestão, digo eu. As leis que regulam a vida dos homens estão sempre sujeitas às leis naturais e nela se inspiram.

Um humilde conselho: não clique no equívoco nem repouse na ideia de que toda a sua informação, sabedoria ou experiência lhe são ministradas pelo Homem. Tal é frouxo e, quantas vezes, asfixiante.

Não haverá mais Natureza, além do Homem, para conhecer? Conviva, envolva-se também no mundo irracional – perene de incontestáveis ensinamentos (racionais) que o ajudarão a pensar e a pesar melhor como lidar com a vida. Faça contas; multiplique a boa semente no campo da coexistência.

Gostou deste artigo? Subscreva o canal da Jardins no Youtube e siga-nos no Facebook e no Instagram.

Poderá Também Gostar